Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

Sabrina, "a Marilyn Monroe" inglesa, além de Diana Dors


Marilyn Monroe foi uma das maiores estrelas da história do cinema, sendo um fenômeno de popularidade raro entre os atros das telas.  E obviamente o sucesso da atriz gerou muitas imitações, como Jayne Mansfield e Mamie Van Doren, suas maiores "rivais" em Hollywood, e Diana Dors, Sabrina e Sandra Dorne na Inglaterra.

Certa vez um jornal escreveu "Que Sabrina era para Diana Dors, na Inglaterra, o que Jayne Mansfield era para Marilyn Monroe em Hollywood".



Sabrina era o nome artístico de Norma Ann Skyes, artista nascida em Cheshire, Inglaterra, em 19 de maio de 1936. 

Aos 16 anos anos ela se mudou com a mãe para Londres, e arrumou emprego como garçonete, para ajudar nas despesas da casa. Trabalhando em um restaurante, ela foi descoberta por um fotógrafo, que a convidou para posar nua, e as fotos foram usadas para estampar um baralho de cartas.

Sabrina fez outros trabalhos como modelo, e em 1955 estreou na televisão, atuando na série Before Your Very Eyes (1955-1956), da BBC. Loira e com seios voluptuosos, ela quase nem tinha falas no programa, mas sua beleza chamou atenção, fazendo dela um rosto conhecido entre os ingleses.

No mesmo ano, o produtor James Beney lançou o curta-metragem At Home With Sabrina (1955), que basicamente explorava suas curvas de biquini, e o filme era vendido para a distribuição caseira.

Ainda em 1955 ela estreou no cinema, atuando no filme Stock Car (1955). Ela atuaria em seguida em Ramsbottom Rides Again (1956) e Blue Murder at St. Trinian's (1957). Neste último, sua imagem foi usada para promover o filme, aparecendo em cartazes e fotos publicitárias, ganhando tanto destaque quando o ator principal, Alastair Sim. Porém, ela não tinha falas no filme, e aparecia apenas em uma única cena, sentada em uma cama, lendo um livro, vestindo uma sexy camisola.



Ao contrário de Diana Dors, cujos filmes chegaram a fazer sucesso, Sabrina nunca teve grande expressão como atriz. Porém, sua figura era muito conhecida, e ela estampou diversas capas de revista, e foi fotografada por diversos paparazzis, geralmente com roupas e poses ousadas.

Sabrina era uma espécie de subcelebridade da época. Mas ao mesmo tempo que vivia uma loira sensual e meio burra nas telas e na imprensa, ela obteve um doutorado em filosofia na Universidade de Leeds.



Sabrina só retornaria ao cinema em 1962, quando atuou no filme Satan in High Hell (1962), e depois desapareceu das telas por um período.



Em baixa, e quase esquecida, ela resolveu se mudar para os Estados Unidos, em busca de oportunidades em Hollywood. 

Sabrina, porém, não conseguiu grandes trabalhos na América. Ela apareceu em dois episódios da série Tarzan, estrelada por Ron Ely, em 1967.


Ron Ely e Sabrina nos bastidores de Tarzan

Nos Estados Unidos, seu melhor momento foi no filme de terror The Ice House (1969), no qual ela foi protagonista. Sabrina estava substituindo a atriz Jayne Mansfield, a estrela orginalmente escalada para o obra, que havia morrido em um trágico acidente de carro.


Sabrina em The Ice House


No México, ela atuou no faroeste The Phantom Gunslinger (1970), onde contracenou com Troy Donahue, um antigo astro de Hollywood em decadência. Depois, de volta aos Estados Unidos, Sabrina ainda atuou no terror House of Black Death (1971).


Sabrina em The Phantom Gunslinger

Depois, a artista abandonou a carreira artística. Sabrina havia se casado com um médico bem sucedido, o obstetra das estrelas de Hollywood. Eles ficaram casados por 10 anos.

Ao longo dos anos, Sabrina desapareceu da mídia, e por muitos anos o público não soube notícias da loira platinada. Ela reapareceu em 2007, quando um jornal a encontrou em uma situação precária, morando em uma casa perto do aeroporto de Los Angeles.

A residência estava degradada, devido a anos de falta de manutenção. Sabrina vivia reclusa e esta viciada em remédios para a dor. Em 1988 ela havia feito uma cirurgia na coluna, prejudicada pelo peso de seis seios fartos. Porém, a cirurgia deu errado, e ela ficou em uma cadeira de rodas, sentindo fortes dores nas costas.

Sem dinheiro, ela vivia quase na miséria, e morava com um antigo morador de rua, que dizia ser seu cuidador.

Em faleceu em 24 de novembro de 2016, aos 80 anos de idade. Esquecida, sua morte só foi divulgada quase um ano depois, em novembro de 2017.


Sabrina, um dia antes de falecer


Veja também: Tributo a Cary Grant



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

Ajude o site a se manter no ar, contribua com qualquer valor no PIX contatomemoriacine@gmail.com


Postar um comentário

0 Comentários