Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

O ator Bing Russell, o pai de Kurt Russell

Bing Russell e Kurt Russell

Hollywood tem muitos casos de parentes no cinema. Michael Douglas, por exemplo, é filho do grande astro Kirk Douglas. 

Mas nem todos os pais e filhos da história do cinema se tornaram astros, sendo que alguns filhos se tornaram muito mais famosos que seus pais, e este é o caso de Kurt Russell e seu pai Bing Russell.




Neil Oliver Russell nasceu em Vermont, Estados Unidos, em 05 de maio de 1926. Apelidado de Bing, nome que ele usou na vida artística, Russell atuou em mais de 180 trabalhos, entre o cinema e televisão.

E embora nunca tenha sido um nome muito conhecido do público, seu rosto era bastante familiar, principalmente por suas participações em séries de televisão e por pequenos papéis em filmes de faroeste, alguns deles muitos famosos.

Na TV, ele é mais lembrado por viver o xerife Clem Foster na série Bonanza (1961-1972).


Bing Russell em Bonanza

Russell foi criado em Nova York, e sua família morava muito próximo do estádio dos New York Yankees, um famoso time de beisebol americano. Ele era fã do esporte, e frequentava o estádio com tanta frequência, que acabou tornando-se um mascote (não oficial) do time, fazendo amizade com jogadores lendários como Joe DiMaggio e Lou Gehring.



Mas apesar da forte ligação com o esporte (com o qual ele teve relação a vida inteira), Bing Russel sempre quis ser ator.

Ele estreou na televisão interpretado Lázaro em um programa bíblico, em 1951. O programa chamado The Living Christ Series, produzida pela NBC, foi a primeira minisérie produzida para a televisão norte-americana.

Dois anos depois, Bing fez seu primeiro filme, The Big Leader (1953), fazendo figuração. Ainda na década de 1950 o ator fez diversos papéis em séries de televisão, como Caravana e Ben Casey, e teve pequenos papéis em muitos filmes.

Bing esteve no elenco da ficção cientifica Tarântula! (1955), e apareceu em filmes como A Morte Num Beijo (1955), Atrás da Grade de Ferro (1956) e Morte Sem Glória (1956). Mas seu primeiro papel significativo foi no western Drango (1957), estrelado por Jeff Chandler. 

Russell apareceria em diversos westerns ao longo de sua carreira, alguns deles cultuados até os dias de hoje, como Quem Foi Jesse James (1957), Sem Lei e Sem Alma (1957), Homens Sem Lei (1958), A Dois Passos da Forca (1959), Onde Começa o Inferno (1959), Marcha de Heróis (1959) e Duelo de Titãs (1959).


Bing Russell, o cowboy assassinado no saloon, e Dean Martin, em Onde Começa o Inferno

Em 1960 ele teve seu primeiro papel de destaque, também em um western famoso, Sete Homens e Um Destino (1960).


Bing Russell e Val Avery em Sete Homens e Um Destino

 

Ele também esteve no elenco de filmes como A Conquista do Oeste (1962), Crepusculo de Uma Raça (1964) e Seis Não Regressaram (1968). Também fez muitas séries, como Hazel, Jeannie é Um Gênio, Os Intocáveis e Os Monstros, entre outras.

Na TV, Bing Russell atuava normalmente como ator convidado, mas teve um papel fixo, como o xerife Clem Foster na série Bonanza (1961-1972).

Bing também participou do piloto do programa os Monkees, fazendo o papel do dono de uma loja de discos, que seria fixo no programa. Porém, após a aprovação do episódio, o personagem foi cortado da história, aparecendo apenas no programa piloto.


Bing Russell em Bonanza


Bing Russell em os Monkees


Mas não era só em westerns que o ator trabalhava, ele também participou de outros gêneros, como Vênus à Venda (1963) e Stakeaout! (1968), um das raras produções na qual ele foi protagonista.




Na Disney, atuou em O Fantasma do Barba Negra (1968) e Se Meu Fusca Falasse (1968). Nesta época, seu filho Kurt Russell (nascido em 1951), era um proeminente ator mirim, e caiu nas graças de Walt Disney, que fez do jovem ator sua última grande aposta cinematográfica antes de falecer.

Em 1969, Kurt estrelou a comédia da Disney O Computador de Tênis (1969), onde contracenou pela primeira vez com seu pai no cinema. Ao lado do filho, ele atuaria em outro filme do estúdio, Invencíveis e Invisíveis (1972).

Sem Kurt, Bing ainda fez para a Disney A Pata de Um Milhão de Dólares (1971) e A Gangue da Tortinha de Maçã (1975).


Kurt Russell e Bing Russell em O Computador de Tênis

Pai e filho voltariam a atuar juntos no filme Elvis Não Morreu (1979). Na obra, Kurt interpretava o cantor Elvis Presley, e Bing interpretava Vernon Presley, o pai do cantor. Curiosamente, Kurt Russell, quando era ator mirim, contracenou com o "rei do rock" no filme Loiras, Morenas e Ruivas (1963).


Kurt e Bing Russell em Elvis Não Morreu 


Kurt Russell e Elvis Presley


Bing havia reduzido seus trabalhos como ator na década de 1970, porque era dono do time de beisebol Portland Mavericks, do qual também era o administrador. Em 2014 um documentário chamado The Battered Bastards of Baseball, com muitas imagens de arquivo do ator junto ao seu time.




Afastado da carreira de ator desde 1979, Bing Russell retornou ao cinema no filme Um Salto Para a Felicidade (1987), estrelado por Kurt Russell e a nora Goldie Hawn.

Com o filho, ainda faria Tango e Cash: Os Vingadores (1989).


Bing Russell (com o binóculos no rosto) em Um Salto Para a Felicidade

Bing Russel também atuaria em Assassinato em Hollywood (1988) e Dick Tracy (1990). O ator morreu, vitima de câncer, em 08 de abril de 2003, aos 76 anos de idade.

Bing é avô do também ator Wyatt Russell (filho de Kurt com Goldie Hawn) e do jogador de beisebol Matt Franco, filho de um de suas filhas, que não seguiu carreira artística.



Veja também Mães e Filhas Atrizes


Leia também: Kurt Russell, a última aposta de Walt Disney

Leia também: A Tragédia de Scott Newman, o filho que Paul Newman Perdeu Para as Drogas

Postar um comentário

0 Comentários