Carlos Augusto, o cantor brasileiro que "negou fogo" com Ava Gardner



Em 1954 a estrela hollywoodiana Ava Gardner veio ao Brasil divulgar um filme, e sua passagem por aqui foi extremamente turbulenta e conturbada, rendendo diversas histórias exploradas pelos jornais da época.


Ava Gardner

A tempestiva ex-esposa de Frank Sinatra, e considera uma das mulheres mais belas da história do cinema, deu um show de antipatia no Rio de Janeiro, e entre quebrou o quarto do luxuoso Hotel Glória, dizendo que estava hospedada em uma espelunca (fato narrado por ela mesmo em sua autobiografia, lançada muitos anos depois).


Quarto do Hotel Glória após a passagem do furacão Ava Gardner


Ava então foi transferida para o famoso Copacabana Palace, onde protagonizou um dos assuntos mais conturbados de sua estada brasileira, o "romance" com o jovem cantor Carlos Augusto, que dominou o anedotário popular por anos.


Ava Gardner no Copacabana Palace




Carlos Augusto era nome artístico de Antônio Souza Moura, cantor nascido em Fortaleza, no Ceará, em 10 de julho de 1931. Ele tinha onze irmãos, e todos eles tinham inclinação artística, e suas irmãs Cleide e Adamir chegaram a fazer sucesso como o duo Irmãs Vocalistas.

Sua carreira profissional começou na Rádio Iracema, no Ceará, mas em 1950 ele se mudou para o Rio de Janeiro, onde começou a cantar como crooner em boates.


O cantor Carlos Augusto


Sua carreira deslanchou, entretanto, quando a estrela Emilinha Borba o contratou para fazer parte de seu show durante uma turnê pelo nordeste brasileiro, em 1952.

De volta ao Rio de Janeiro, ele foi contratado pela Rádio Nacional, e contou com grande ajuda do locutor César de Alencar, que também era cearense. No mesmo ano, lançou o seu primeiro disco.

Carlos Augusto era considerado "um cantor da juventude", e o jovem rapaz fez muito brotinho delirar com sua voz aveludada. Ele também fez parte da Rádio Mayrink Veiga, e gravou diversos álbuns, fazendo muito sucesso com a canção Negue, de Adelino Moreira. E apesar de ter popularizado a canção, ele foi o segundo interprete a gravá-la, sendo que Roberto Vidal havia gravado a mesma música dois meses antes.



Em 1954, quando Ava estava no Brasil, Carlos Augusto era o crooner da orquestra do Maestro Copinha, no Boate Meia Noite, do Copacabana Palace.

Certa noite, a atriz foi até a boate, onde tomou alguns drinks. O ator Anselmo Duarte, o maior galã brasileiro da época, tentou flertar sem sucesso com a artista. Ava então convidou Nelson Gonçalves para ir até seu quarto, mas o "boêmio" recusou.

Foi o jovem broto Carlos Augusto, de 23 anos de idade, que acabou conquistando a beldade no final da noite. Ava o convidou para ir até o seu quarto, onde lhe daria "uma caneta tinteiro".

Porém, poucos minutos depois, Ava botou o jovem cantor para fora de seu quarto aos gritos. Carlos Augusto, semi nu, corria atordoado pelos corredores, enquanto a atriz jogava suas roupas pela janela.

O jornalista Adolpho Cruz, que estava no quarto ao lado do da estrela de cinema, narrou com detalhes o que teria acontecido naquela noite. Carlos Augusto havia bebido, e estava tão nervoso, que não conseguiu "dar conta do recado".





Mexericos da Candinha, Revista do Rádio



O rapaz tinha fama de conquistador, e virou motivo de piadas na capital carioca. Ele depois veio a público dizer que nada havia acontecido, apesar das testemunhas hospedadas no hotel. Ava Gardner logo partiu, para nunca mais voltar.

Carlos Augusto seguiu com uma bem sucedida carreira de cantor, e chegou a ser contratado da TV Paulista em 1957. Ele gravou diverso discos ao longo de sua curta vida.







Carlos Augusto na TV Paulista


Infelizmente, Carlos Augusto morreu em um acidente de carro em 26 de outubro de 1968, com apenas 37 anos de idade.


Leia mais (e ouça) Carlos Augusto aqui.

Carlos Augusto






Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil