Aposentado, e vivendo em Santa Fé, Gene Hackman completa 92 anos de idade



Dono de uma longa e respeitada carreira, que inclui mais de 100 créditos e 2 Oscar na estante, Gene Hackman é um dos mais respeitados atores da história do cinema. Discretamente, ele se aposentou sem alarde em 2004, após quase 50 anos de carreira.

O ator deixou de atuar sem fazer um anúncio ou uma declaração a uma coletiva de imprensa, apenas retirando-se dos holofotes. "Fui treinando para ser ator, não uma estrela. Fui treinado para desempenhar papéis, não para lidar com a fama, agentes advogados e imprensa", declarou o ator.




Eugene Allen Hackman nasceu em San Bernadino, Califórnia, em 30 de janeiro de 1930. Quando Gene Hackmans tinha 13 anos de idade, ele estava brincando no quintal de sua casa, quando viu seu pai acenando para ele. Só mais tarde ele percebeu que era uma despedida e que seu pai estava abandonando a família. "Eu não tinha percebido o quanto um pequeno gesto pode significar. Talvez por isso me tornei ator." disse Hackman, anos mais tarde, para a revista GQ.

Tal sutileza também foi sentida quando o ator abandonou Hollywood silenciosamente.

Hackman foi criado pela mãe, que se tornou alcóolatra. A relação conturbada entre os dois fez com que ele saísse de casa muito jovem, aos 16 anos de idade, quando ingressou no Corpo dos Fuzileiros Navais. 

Das forças armadas ele foi para a Universidade, onde cursou jornalismo, mas abandonou a faculdade para tentar a carreira de ator. Gene ingressou na Passadena Playhose, e foi colega de quarto de Dustin Hoffman e Robert Duvall, seus colegas de classe.

Mas a carreira de ator demorou a acontecer, tanto que Hoffman e Hackman foram eleitos pelos colegas como "os menos propensos a fazerem sucesso". Após se formar, Gene Hackman ficou 8 anos sem conseguir trabalho como ator, e nesta época trabalhou como vendedor de sapatos, estofador de sofás e motorista de caminhão.

Sua mãe não chegou a vê-lo atuando. Pois morreu queimada em um incêndio provocada por ela mesmo, quando dormiu embriagada, esquecendo um cigarro acesso sobre o sofá.

Gene Hackman estreou no cinema em um pequeno papel em o Terror de Uma Cidade (Mad Dog Coll, 1961). Mas por muito tempo só encontrou trabalho, eventualmente, na televisão.


Gene Hackman e Telly Savallas em Terror de Uma Cidade

Ele só retornaria ao cinema 3 anos depois, quando atuou em Lilith (1964), estrelado por Warren Beatty e Jean Seberg, e outros 3 anos depois, ganharia sua primeira indicação ao Oscar por Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas (Bonnie and Clyde, 1967).


Gene Hackman e Warren Beatty em Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas

Hackman ainda precisaria trabalhar mais um tempo em papéis menores, até se consagrar como um dos maiores atores de sua geração. Uma segunda indicação ao Oscar veio com o filme Meu Pai, Um Estranho (I Never Sang for My Father, 1970), onde ele pode canalizar toda a sua trajetória de família disfuncional ao lado do veterano ator Melvyn Douglas.

No ano seguinte, o ator seria agraciado com um Oscar pelo seu desempenho magistral como o detetive Jimmy "Popeye" Doyle em  Operação França (The French Connection, 1971).


Gene Hackman em Operação França

Aos 41 anos de idade Gene Hackman se tornou um astro requisitado em Hollywood, atuando em diversos filmes a partir de então. Versátil, ia da comédia como o ancião cego em O Jovem Frankenstein (Young Frankenstein, 1974) ao vilão Lex Luthor nos filmes de Superman estrelados por Christopher Reeve.


Gene Hackman em O Jovem Frankesntein

Gene Hackman como Lex Luthor

E embora considere que seus melhores desempenhos tenham sido nos filmes Espantalho (Scarecrow, 1973) e em A Conversação (The Conversation, 1974), de Francis Ford Copolla, o ator deixou sua marca nos diversos trabalhos que fez no cinema nas décadas seguintes, atuando quase que initerruptamente.

Uma nova indicação ao Oscar veio com o drama Mississipi em Chamas (Mississippi Burning, 1988) e seu segundo Oscar (de ator coadjuvante, como em todas as vezes em que foi indicado) veio com o western Os Imperdoáveis (Unforgiven, 1992).

Originalmente ele havia recusado o papel, mas o diretor Clint Eastwood insistiu diversas vezes até convencer Hackman a aceita-lo.


Clint Eastwood e Gene Hackman

Gene Hackman em Os Imperdoáveis

Na década de 1990 o ator descobriu alguns problemas cardíacos graves, mas mesmo assim atuou intensamente, fazendo cerca de 2 filmes por ano. Foi quando o ator percebeu que havia se tornando um pai ausente, assim como haviam sido seus pais.

Sempre em locações de filmagens, algumas fora do país, ele havia se distanciado dos seus 3 filhos, fruto do seu casamento com Filipa "Faye" Maltese (com quem foi casado entre 1956 e 1986), e já não falava com seu filho Christopher (que é cinegrafista em Hollywood) há alguns anos.


Gene Hackman e os filhos

Em 2001 ele se casou novamente, com a pianista clássica Betsy Arakawa, com quem permanece junto até os dias de hoje.


Betsy Arakawa e Gene Hackman

Em 2004, após atuar na comédia Uma Eleição Muito Atrapalhada (Welcome to Mooseport, 2004), ele resolveu que era hora de se afastar. Sem alarde, ele parou de atuar, e foi cuidar de sua saúde e recriar os laços familiares perdidos com o tempo.


Ray Romano e Gene Hackamn em Uma Eleição Muito Atrapalhada

Hackman mudou-se com Betsty para um rancho em Santa Fé, onde vive uma vida tranquila e discreta. Gozando de boa saúde, ele pedala diariamente, cuida do quintal, faz pequenos consertos em sua residência e recebe amigos e familiares.




Gene Hackman atualmente






Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil