Al Pacino completa 80 anos


Al Pacino é sem duvida um dos mais aclamados atores da história do cinema mundial. Aclamado pela crítica, e adorado pelos fãs, o ator acumula nove indicações ao Oscar, em mais de 50 anos de carreira, ainda em plena atividade.


Alfredo James Pacino nasceu em Nova York, em 25 de abril de 1940. Seus pais se separaram quando ele tinha apenas dois anos de idade, e sua mãe mudou-se para perto de seus avós maternos, que curiosamente eram imigrantes italianos de uma região da Scicíla, chamada Corleone. O pai de Pacino também era italiano.

Al Pacino cresceu no bairro do Bronx, e teve uma juventude conturbada. Ele começou a beber e fumar aos nove anos de idade, e dois de seus melhores amigos da época morreram de overdose, na juventude. Apelidado pelos amigos de Sonny, ele queria ser jogador de basebol, e se envolveu em muitos problemas na escola, até abandonar os estudos aos 17 anos de idade.

Sua mãe foi contra a decisão do rapaz, e ele fugiu de casa após discutir com ela. Pacino, para sobreviver, foi mensageiro, garçom, zelador e funcionário dos correios.

Em 1961, ele chegou a ser preso por roubar um carro.

Al Pacino, aos 21 anos, preso por roubo de carros

Ele começou a atuar em peças teatrais em pequenos teatros amadores, e foi rejeitado como aluno do famoso Actors Studio. Ele passou a ter aulas com Charlie Laughton, do Herbert Berghof Studio (não confundir com o ator britânico Charles Laughton). Nesta época, Pacino era um sem teto, dormindo na rua, cinemas ou quando possível, na casa de amigos.

Sua mãe morreu em 1962, com apenas 43 anos de idade. No ano seguinte, James Gerardi, seu avô, também faleceu. No final da década de 60, ele finalmente foi aceito como aluno de Lee Strasberg e começou a despontar no teatro, e em 1969 ganhou um Tony (principal prêmio da Broadway), por seu trabalho em Does the Tiger Wear a Necktie? (1969).

Ainda em 1969 estreou no cinema, em um pequeno papel no filme Uma Garota Avançada (Me, Natalie, 1969), estrelado por Patty Duke. Em Os Viciados (The Panic in Needle Park, 1971), atuou pela primeira vez como protagonista, e chamou a atenção de Francis Ford Coppola, que o convidou para interpretar Michael Corleone em O Poderoso Chefão (The Godfather, 1972).

Al Pacino em O Poderoso Chefão

O filme fez um enorme sucesso, e até hoje é considerado um dos maiores clássicos do cinema. Pelo seu papel, foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante e viu sua carreira ascender de forma meteórica.

Nos anos seguintes, atuou em Espantalho (Scarecrow, 1973) e em Serpico (Idem, 1973), outro grande clássico de sua carreira, que lhe valeu sua segunda indicação ao Oscar, desta vez na categoria de melhor ator.

Al Pacino em Serpico

Em 1974 ele voltou a encarnar Michael Corleone em O Poderoso Chefão II (The Godfather: Part II, 1974), que lhe valeu outra indicação ao Oscar, sendo um dos poucos atores a ser indicado ao prêmio pelo mesmo personagem.

No ano seguinte receberia outra indicação, pelo trabalho magistral em Um Dia de Cão (Dog Day Afternoon, 1975). Ele receberia mais uma indicação ao Oscar por Justiça Para Todos (...and justice for all., 1979).


 Após muitos sucessos em uma carreira curta, Pacino fez escolhas erradas, e atuou em filmes que não foram bem recebidos pela crítica. Sua redenção nas telas veio com o violento Scarface (Idem, 1982), onde interpretou o chefe das drogas Tony Montana. No filme, do diretor Brian de Palma, ele contracenou com a jovem Michelle Pffeifer, com quem atuaria novamente em Frankie & Johnny (Idem, 1991).

Al Pacino e Michelle Pfeiffer em Scarface

Na década de 80, embora ainda fizesse filmes, também deu bastante atenção para os palcos. Seu retorno aos grandes sucessos do cinema foi como o vilão Big Boy Caprice em Dick Tracy (Idem, 1990), que lhe valeu sua sexta indicação ao Oscar.

No mesmo ano interpretou Michael Corleno na terceira parte da trilogia O Poderoso Chefão.

Al Pacino em Dick Tracy

Em 1992 recebeu duas indicações ao Oscar. Uma como ator coadjuvante por O Sucesso a Qualquer Preço (Glengarry Glen Ross, 1992), e outra como ator principal por Perfume de Mulher (Scent of Woman, 1992), onde interpretava um personagem cego.

Por este segundo filme, finalmente recebeu o seu tão esperado Oscar.


Nos anos seguintes, atuou em grandes sucessos como O Pagamento Final (Carlito's Way, 1993), Fogo Contra Fogo (Heat, 1995), Donnie Brasco (Idem, 1997) e O Advogado do Diabo (The Devil's Advocate, 1997). Em 1996 também fez seu primeiro trabalho como diretor, com Ricardo III - Um Ensaio (Looking for Richard, 1996).


Com quase 60 filmes em sua carreira, recentemente o vimos em Era Uma Vez em... Hollywood (Once Upon a Time... In Hollywood, 2019), de Quentin Tarantino, e como Jimmy Hoffa em O Irlandês (The Irishman, 2019), de Martin Scorsese, que lhe valeu sua nona indicação ao Oscar.

Al Pacino em O Irlandês

Embora nunca tenha se casado, ele teve relacionamentos com as atrizes Diane Keaton, e viveu com a atriz Beverly D'Angelo entre 1996 e 2003. Entre 2008 e 2018, viveu com a atriz argentina Lucila Polak. O ator é pai de três filhos, e Camila Morrone, filha de Polak, considera o antigo padrasto como um pai.



0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil