Daliah Lavi, uma estrela israelense em Hollywood


Muito antes de Natalie Portman e Gal Godot, outras atrizes nascidas em Israel trabalharam sob os holofotes de Hollywood, como Chana EdenHaya Harareet (a estrela de Ben Hur), e atriz Daliah Lavi, que brilhou na terra do cinema na década de 1960.


Daliah Lavi

Daliah Lewinbuk nasceu em em Shavei Tzion, Mandato Britânico da Palestina (atualmente pertencente a Israel), em 12 de outubro de 1942.

Em 1953 o ator Kirk Douglas estava em Israel filmando O Malabarista (The Juggler, 1953), e Daliah, com dez anos de idade, foi assistir as filmagens. Ela disse ao ator que gostaria de ser dançarina, e ele ajudou a persuadir seus pais a deixar a menina estudar dança.

Ela então foi mandada para estudar balé em Estocolmo, na Suécia. Anos mais tarde, Daliah atuaria ao lado de Kirk Douglas, em Hollywood.

Foi na Suécia onde ela fez sua estreia no cinema, atuando em Hemsöborna (1955). Delilah voltou a Israel, onde se tornou uma estrela nacional. Em seu país, ela estrelou Brennender Sand (1960). Depois, abandonou brevemente a carreira de dançarina e atriz, para servir ao exército israelense.


Daliah Lavi em Brennender Sand


Daliah Lavi dominava com perfeição vários idiomas: francês, inglês, espanhol, italiano, sueco, alemão e hebraico. Isto facilitou para ela atuar em diversas produções europeias, atuando em filmes na Itália, Espanha, França e Alemanha. Nesta época, ela apareceu em filmes como Aquela Noite na Praia (Um Soir Sur Plage, 1961), No Paredão (La Fête Espagnole, 1961), O Poço das 3 Verdades (Le Puits Aux Trois Vérités, 1961) e Nas Garras do Dr. Mabuse (Im Stahlnetz des Dr. Mabuse, 1961).


Daliah Lavi e Lex Baker em  Nas Garras do Dr. Mabuse 

Daliah chamou a atenção de Hollywood, e Vincente Minelli a convidou para atuar em A Cidade dos Desiludidos (Two Weeks in Another Town, 1962), ao lado de Kirk Douglas e Cyd Charisse.


Daliah Lavi e Kirk Douglas em  A Cidade dos Desiludidos

Por este trabalho, ela foi indicada ao Globo de Ouro de Atriz Revelação do Ano. Mas logo ela deixou os Estados Unidos, e retornou à Europa, onde estrelou o italiano O Demônio (Il Demonio, 1963). Depois fez O Chicote e o Corpo (La frusta e il corpo, 1963), de Mario Bava, além de atuar em outras produções europeias.


Daliah Lavi-Whip & the Body
Daliah Lavi em O Chicote e o Corpo


Mas Hollywood ainda queria Daliah Lavi, e ela foi escalada para ser o interesse amoroso de Peter O'Toole em Lord Jim (Idem, 1965). Mas a recepção morna do público ao filme levou Lavi a aceitar uma nova carreira, frequentemente interpretando uma femme fatale sensual, em produções menores.


Daliah Lavi e Peter O'Toole em Lord Jim


Na Áustria, atuou ao lado de Terence Hill em Caçada de Espiões em Viena (Schüsse im 3/4 Takt, 1965) e na Inglaterra atuou em E Não Sobrou Nenhum (Ten Little Indians, 1965), iniciando uma bem sucedida carreira também no cinema inglês.

De volta aos Estados Unidos, foi uma das beldades a coadjuvar Dean Martin em O Agente Secreto Matt Helm (The Silencers , 1966), filme que parodiava os filmes de James Bond.
The Silencers
Daliah Lavi e Dean Martin em O Agente Secreto Matt Helm
Ela ainda faria outro filme de espionagem, O Espião do Nariz Frio (The Spy a Cold Nose, 1966) e depois foi uma bond girl em Casino Royale (Idem, 1967), filme não autorizado sobre o agente secreto 007, estrelado por David Niven e Woody Allen (no papel de vilão).


Daliah Lavi e Woody Allen em Casino Royale


Ela ainda atuaria em filmes como Aqueles Fantásticos Loucos Voadores (Jules Verne's Rocket to the Moon, 1967) e Atentando ao Alto Comissário (Nobody Runs Forever, 1968). Ao todo participou de 26 filmes, sendo o que o último foi Catlow (1971), com Yul Brynner e Leonard Nimoy. Na década de 1990 ainda fez participações em séries da televisão alemã.


Yul Brynner e Daliah Lavi em Catlow


Na década de 1970 o produtor musical Jimmy Bowien lançou Lavi na carreira de cantora. Ela fez sucesso na Alemanha, emplacando alguns dos Hits mais tocados no país naquela década. Daliah cantava em alemão e hebraico, e em 1971 seu disco Jerusalem também ficou no Top 100 das paradas de sucesso australianas.





Daliah Lavi morreu em 03 de maio de 2017, aos 74 anos de idade. A causa de sua morte nunca foi revelada, e ela deixou seu quarto marido, o  o empresário Charles Gans e quatro filhos. A atriz e cantora morava na Califórnia, mas foi sepultada em Israel.

daliad

1015088630.jpg
Daliah Lavi aos 70 anos

Leia também:  Haya Harareet, a estrela de Ben Hur, morre aos 89 anos de idade
Leia também: Chana Eden, a atriz que disse não a Hollywood
Leia também: O inesquecível Peter O'Toole
Leia também: Terence Hill, o eterno Trinity, completa 80 anos

Leia também: Leia também:  O enigmático Yul Brynner

Leia também: O astro Charlton Heston

Veja Também: Lia Torá, a Primeira Brasileira em Hollywood


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil