Por Onde Anda? Caroline Munro, estrela da Hammer e de 007: O Espião Que Me Amava


A atriz inglesa Caroline Munro ficou famosa por estrelar vários filmes de terror ingleses feitos pela produtora Hammer, e também protagonizou A Nova Viagem de Sinbad (The Golden Voyage of Sinbad, 1973) e foi a Bond Girl Naomi em 007: O Espião que Me Amava (The Spy Who Loved Me, 1977).


Caroline Jane Munro nasceu em Windsor, Berkshire, na Inglaterra, em 16 de janeiro de 1949. Caroline iniciou sua carreira artística por acaso, em 1966, quando sua mãe mandou fotos da adolescente para um concurso de um jornal londrino. Ela venceu, e acabou iniciando uma bem sucedida carreira de modelo, tornando-se capa da famosa revista Vogue aos 17 anos de idade.

Instantaneamente, Caroline tornou-se uma celebridade inglesa, devido aos seus trabalhos na publicidade. e acabou sendo convidada por Alberto Sordi para atuar em O Gentleman (Fumo di Londra, 1966), um filme italiano. Era apenas uma aparição, uma moça bonita enfeitando a tela por alguns momentos.

Em 1967 Caroline chegou a gravar um disco, Tar and Cement (1967), que tinha o jovem Eric Clapton como baterista.


Em 1967 ela atuou em Cassino Royale (Idem, 1967), o primeiro filme sobre James Bond, embora não oficial (sem adquirir os direitos autorais). Em tom de comédia, Peter Sellers interpretava o agente inglês.

Caroline interpretava uma das garotas da guarda, ainda em um papel muito pequeno.

Caroline Munro entre as garotas da guarda

A atriz teve um papel maior em Ladrão e Galante (Where's Jack?, 1969) e no mesmo ano foi convidada pela Paramount para fazer uma personagem em Talento Por Amor (A Talent for Loving, 1969), filme estrelado por Richard Widmark, rodado na Europa.

Durante as filmagens ela conheceu o ator Judd Hamilton, com quem se casou em 1970.

Caroline Munro e Judd Hamilton em Talento Por Amor

Durante as filmagens ela conheceu o ator Judd Hamilton, com quem se casou em 1970. A união durou até 1982.

Em 1971 o presidente da Hammer Film Productions, famosa produtora de filmes de terror da Inglaterra, ofereceu um vantajoso contrato para a jovem atriz, que foi a única estrela do estúdio a ter um contrato de longa duração na história do estúdio. 

Ela a queria como a irmã Hyde em O Médico & Irmã Monstro (Dr. Jekull & Sister Hyde, 1971), mas ela recusou o papel, porque teria que aparecer nua. Martine Beswick, outra atriz que interpretaria uma Bond Girl, acabou sendo a estrela do filme.

Caroline Munro então fez O Abominável Dr. Phibes (The Abominable Dr. Phibes, 1971), seu primeiro filme no estúdio. Na Hammer ela atuou em Drácula no Mundo da Minissaia (Dracula A.D. 1972, 1972), A Volta do Dr. Phibes (Dr. Phibes Rises Again, 1972), Capitão Kronos, o Caçador de Vampiros (Captain Kronos: Vam´pire Hunter, 1974) e Bebê Infernal (I Don't Want to Be Born, 1975).

Christopher Lee e Caroline Munro, na Hammer

Além dos filmes de terror, Caroline esteve na aventura de capa espadas A Nova Viagem de Sinbad (The Golden Voyage of Sinbad, 1973), ao lado de John Phillip Law.  E em 1976 estrelou a ficção científica No Coração da Terra (At the Earth's Core, 1976).

Caroline Munro e John Phillip Law em A Nova Viagem de Sinbad

Caroline então foi convidada para viver Naomi em 007: O Espião que Me Amava (The Spy Who Loved Me, 1977), a primeira Bond Girl morta por James Bond. Naomi também foi a primeira Bond Girl má a não ir para cama como agente 007.


Caroline Munro, Roger Moore e Barbara Bach em 007: O Espião que Me Amava

O produtor do filme, Albert "Cubby" Broccoli,  aconselhou Caroline a ir para Hollywood, mas ela preferiu ficar na Europa perto dos pais e do marido, o ator Judd Hamilton. Ela inclusive recusou o papel da vilã Ursa em Superman: O Filme (Superman, 1978), que foi para Sarah Douglas.

Margot Kidder e Sarah Douglas em Superman: O Filme

Após rejeitar Hollywood, Caroline Munro viu sua carreira decair, atuando em filmes de terror e de ficção científica feitos na Europa. Com o marido, atuou em Starcrash (1978) e O Último Filme de Horror (The Last Horror Film, 1982). Ela ainda estrelou O Maníaco (Maniac, 1980) neste período.

Separada de Judd Hamilton em 1982, atuou em Slaughter High (1985), do diretor George Dugdale. Ela e o diretor se casariam em 1990, e tiveram dois filhos durante a união. Dugdale morreu em janeiro de 2020, dois dias antes do aniversário da esposa.

Caroline Munro em Starcrash

Após o segundo casamento ela passou a atuar menos, mas continuou aparecendo diante das câmeras, em filmes de terror de pouca repercussão. Nos anos seguintes, fez papéis de apoio em filmes como Drag Queen - Uma Paixão de Outro Mundo (To Die For, 1994), um dos seus poucos filmes mais recentes exibidos no Brasil, mas continuou na mídia, principalmente na Europa.

Caroline Munro no filme Frankula (2017)

Em 2016 atuou em Sinbad and the Princess (2016), retornando ao gênero de aventura capa e espadas. Ela ainda atua, normalmente em filmes de horror.


Caroline Munro atualmente




Leia também:  George Lazenby, o James Bond que não vingou

0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil