O assassinato nunca resolvido da atriz Jenny Maxwell


Morta com apenas 39 anos de idade, a atriz Jenny Maxwell é mais lembrada como a mimada Ellie Cobert no filme Feitiço Havaiano (Blue Hawaii, 1961), estrelado por Elvis Presley. Ela é a garota que ganha umas palmadas do "Rei do Rock".



Descendente de noruegueses, e parente distante de Marilyn Monroe, Jennifer Helene Maxwell nasceu em Nova York, em 03 de setembro de 1941. 

Quando ela tinha 16 anos de idade o diretor Vincente Minnelli viu a bela adolescente saindo da escola, onde cursava o ensino médio, e a convidou para fazer um teste para o filme Deus Sabe Quanto Amei (Some Came Running, 1958), mas ela não conseguiu o papel.

Porém ela recebeu convites para aparecer em algumas séries de TV, como Papai Sabe Tudo (Father Know Best) e Bonanza (Idem).



Sua estréia no cinema foi no drama juvenil Blue Jeans - O Que os Pais Desconhecem (Blue Denim, 1959), onde ela fez um pequeno papel, não creditado.

Em 1961 ela teve sua grande chance no cinema, como um dos interesses amorosos de Elvis Presley em Feitiço Havaiano (Blue Hawaii, 1961), um dos mais bem sucedidos filmes da carreira do cantor.


Após aparecer em outras séries de TV, ela ainda atuou ao lado de Sandra Dee em Papai Não Sabe Nada (Take Her, She's Mine, 1963) e estrelou Shotgun Wedding (1963), uma produção de um estúdio menor, com roteiro de Ed Wood, considerado o pior cineasta de todos os tempos. Este foi seu último trabalho no cinema.


Aos 18 anos de idade, Jenny Maxwell havia se casado com o assistente de direção Paul W. Rapp, com quem teve um filho. Rapp não gostava que ela atuasse, e prejudicou sua carreira. Em 1961 ela pediu o divórcio, e a batalha pela custódia da criança foi amplamente noticiada pela imprensa. No tribunal, a atriz declarou que Rapp era "extremamente possessivo e excessivamente ciumento". Por causa do ex-marido, a atriz perdeu o papel principal para o clássico Lolita (Idem, 1962), de Stanley Kubrick.

Apesar de não ter recebido mais convites para o cinema, Maxwell ainda atuou até 1968, participando de séries como Hawaiian Eye, 77 Sunset Strip e James West, que marcou sua despedida definitiva das telas.

Em 1970 ela casou-se com o advogado Ervin M. Roeder, 21 anos mais velhos que ela. Roeder era conhecido em Hollywood, sendo advogado de muitos astros. Um de seus clientes era o ator Nick Adams, morto em 1968. Oficialmente Adams morreu de overdose, mas Roeder jurava que ele havia sido assassinado, e passou anos tentando provar isto.

Em 10 de junho de 1981 Maxwell e o marido foram mortos a tiros, quando entravam em seu apartamento em Beverly Hills. A polícia declarou que ambos morreram após uma tentativa frustrada de assalto, mas nunca encontraram os culpados.

Porém, em 1992 o escritor John Austin, no seu livro "More Hollywood's Unsolved Mysteries", sem citar fontes ou provas, afirmou que Ervin era o verdadeiro assassino de Nick Adams, e ele teria matado o ator após este descobrir que ele roubava seus rendimentos.





0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil