Ednei Giovenazzi completa 90 anos

Ednei Giovenazzi nasceu em Pederneiras, interior de São Paulo, em 12 de agosto de 1930. Curiosamente, ele formou-se em odontologia, e exerceu a profissão por 14 anos, antes de se tornar ator. Paralelamente a carreira de dentista, começou a estudar teatro, estreando no teatro amador em 1962. Sua estréia profissional foi na peça O Sábio, em 1963.

Giovenazzi fez seu primeiro filme, Tédio, em 1965 e dois anos depois estreou na televisão na novela O Santo Mestiço (1966), na Rede Globo. Em seguida foi para a TV Tupi, onde estrelou a novela  Yoshico, Um Poema de Amor (1967), onde interpretava um japonês, e fazia par romântico com a cantora Rosa Miake.

No mesmo ano, atuou em outras duas novelas na Tupi, O Jardineiro Espanhol e O Pequeno Lord. De volta a Globo, atuou em A Cabana do Pai Thomáz (1969), e então não parou mais de atuar. Foram 40 novelas ao longo da carreira, atuando na Globo, Tupi, Bandeirantes, Manchete e SBT.

Nas telenovelas, destacou-se em A Próxima Atração (1970), Pigmalião 70 (1970), Selva de Pedra (1972), Os Ossos do Barão (1973), Ovelha Negra (1975), Salário Mínimo (1978-1979), Que Rei Sou Eu (1989), Tropicaliente (1994) e Brida (1998). Em Felicidade (1991), interpretou o personagem Chico Treva, que usava próteses dentárias em sua caracterização, feitas pelo próprio Giovenazzi.

Ednei Giovenazzi em Felicidade

Ainda trabalhando no teatro, sua última novela foi Cheia de Charmes, em 2012.

No cinema, ainda fez Êxtase de Sádicos (1973), O Marginal (1974), Um Homem Célebre (1974), Círculo de Fogo (1990), A República dos Anjos (1991), O Espiritismo - De Kardec aos Dias de Hoje (1995) e No Coração dos Deuses (1999).




2 comentários:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil