Coadjuvantes que Amamos: Roberto Guilherme, o eterno Sargento Pinçel


Roberto Guilherme, apesar da longa carreira, sempre será reconhecido como o Sargento Pincel, que contracenava como o Soldado 49 (Renato Aragão), no programa Os Trapalhões. A careca, que virou sua marca registrada, surgiu no programa, com o ator tendo os cabelos raspados em uma esquete humorística.


Roberto Guilherme na verdade se chama Edward Guilherme Nunes da Silva (o nome Roberto foi em homenagem a Roberto Carlos), e ele nasceu em Ladário, Corumbá, em 25 de agosto de 1938.

Antes de se mudar para o Rio de Janeiro, aos oito anos de idade, ele morou na cidade de Natal, e aos onze anos de idade, começou a trabalhar em uma tamancaria. Aos quatorze anos de idade, passou a jogar futebol profissionalmente, como ponta-esquerda, no Vasco da Gama.

Mas aos 18 anos precisou prestar serviço militar, tornando-se sargento paraquedista. Mas não abandonou o futebol, jogando pela Seleção Brasileira Militar de Futebol (ao lado de Pelé). Representando o Brasil, jogou nos Estados Unidos, Inglaterra, Panamá, e Colômbia, e foi campeão sul-americano na categoria.

Ainda no exército, escreveu uma peça de teatro amador encenada no Olaria Atlético Clube. Mas um dia um ator faltou, e Guilherme acabou o substituindo. Um produtor viu a peça, e convidou Roberto Guilherme para trabalhar na TV Rio.

Em 1963 o agora ator, foi para a TV Excelsior, onde conheceu Renato Aragão. Eles contracenaram pela primeira vez no humorístico Um Dois, Feijão Com Arroz (1965), que ainda tinha no elenco Dedé Santana, Dary Reis e Átila Iório. Depois, o ator passou a fazer parte do elenco fixo de Adoráveis Trapalhões, que tinha como astros principais Didi, Ted Boy Marino, Ivon Cury e Wanderley Cardoso. Com o mesmo elenco, também atuou em Os Legionários (1965), onde interpretava um militar, que não tinha nome, mas era o embrião do Sargento Pincel.

Na Excelsior, ainda atuou no programa de aventuras 002 Contra o Crime (1965) e na novela infanto-juvenil A Ilha do Tesouro (1966).



Em 1969 Roberto Guilherme estreou no cinema, atuando em Dois Na Lona (1969), que era estrelado por Renato Aragão e Ted Boy Marino. No filme, Guilherme interpretava o adversário de Ted Boy nos ringues.

Roberto Guilherme em Dois Na Lona

Da Excelsior, Roberto Guilherme foi para a TV Record, onde viveu o Sargento Pincel pela primeira vez, no programa Quartel do Barulho (1966). Depois, passou a fazer dupla com Renato Aragão no programa Praça da Alegria, ainda na Record.

Em 1969 o ator foi para a TV Tupi, trabalhar com Costinha no programa Do Que Se Trata (1969). E ao lado de José Santa Cruz formou a dupla Jojoca e Xexéu, que fez muito sucesso no programa Telecentral do Riso. Roberto Guilherme era Xexéu, um valentão que usava da ingenuidade de Jojoca para aplicar golpes e conquistar as garotas.


Osmar Frazão, Miguel Angelo, Renato Aragão e Roberto Guilherme, na TV Tupi

A convite de Wilton Franco, Roberto Guilherme retornou a Record, para trabalhar no programa Os Insociáveis (1971-1974), que reunia no elenco Didi, Dedé, Mussum e a cantora Vanusa.


Em 1975 a trupe foi para a Tupi, e Zacarias passou a ser o quarto integrante do quarteto. Surgia Os Trapalhões. Roberto Guilherme também fazia parte do programa, com personagens de apoio. O programa ficou no ar até 1976. Na Tupi, Roberto Guilherme também fez parte do programa jornalístico Abertura, idealizado por Fernando Barbosa Sobrinho.

Em 1980, o ator chegou a fazer teste para interpretar o palhaço Bozo, no SBT, mas perdeu a vaga para Wandeko Pipoca. Em 1981, o ator foi para a Rede Globo, onde participou de programas como Viva o Gordo e Balança Mais Não Cai, mas foi no retorno de Os Trapalhões, que ficou na memória do público. Entre 1982 a 2013, atuou em diversos projetos liderados por Renato Aragão, inclusive Os Trapalhões em Portugal (1995-1997), produzido pela SIC (televisão portuguesa).


Na emissora também atuou na novelinha Caça-Talentos e no programa Zorra Total.


No cinema, ainda atuou em Salário Mínimo (1970), Cômicos e Mais Cômicos (1971), Um Caipira em Bariloche (1973), Costinha e o King Mong (1977) e Os Três Palhaços e o Menino (1983), antes de fazer o primeiro filme com Os Trapalhões, Os Trapalhões e o Mágico de Oróz (1984).

Roberto Guilherme em Salário Mínimo

Com Renato Aragão, ainda faria A Filha dos Trapalhões (1984), O Mistério de Robin Hood (1990), O Noviço Rebelde (1997), Simão, o Fantasma Trapalhão (1998), O Trapalhão e a Luz Azul (1999) e Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood (2017).

Roberto Guilherme em Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood

Na televisão, até o momento, seus últimos trabalhos foram nos programas Treme Treme e Dra. Darci (no ano de 2018), ambos do canal a cabo Multishow. Casado com Sheila desde 1966, Roberto Guilherme tem dois filhos e três netos.

Roberto Guilherme e Tom Cavalcante em Dra. Darci

Leia também:  Ted Boy Marino, o rei do Telecatch
Veja Também: Shazan, Xerife & Cia

Curta nossa página no Facebook 
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil