Por onde anda? Jennifer Grey, de Dirty Dancing


Ao lado de Patrick Swayze, Jennifer Grey protagonizou o clássico da década de 80 Dirty Dancing, Ritmo Quente (Dirty Dancing, 1987), onde interpretou a jovem Baby Houseman. Mas apesar do sucesso do filme, e de ter trabalhado em outros filmes de peso, a atriz não conseguiu manter-se no estrelato.


Jennifer Grey nasceu em Nova York, em 26 de março de 1960. Ela é filha do ator Joel Grey, o vencedor do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Cabaret (Idem, 1972), e da cantora Jo Wilder.

Jennifer e Joel Grey

Aos 19 anos de idade Jennifer estreou como modelo, em um anúncio de um refrigerante. Em 1984 ela estreou no cinema, atuando em três filmes de peso, Cotton Club (The Cotton Club, 1984), Jovens Sem Rumo (Reckless, 1984) e Amanhecer Violento (Red Dawn, 1984). Neste último, ela contracenou com Patrick Swayze pela primeira vez.

Jennifer Grey e Lea Thompson em Amanhecer Violento

Em 1986, após alguns trabalhos como atriz, ela chamou atenção como a irmã implicante de Ferris Bueler em Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Bueller's Day Off, 1986). Na época, Jennifer era noiva do ator Matthew Broderick, que interpretava seu irmão no filme.

Jennifer Grey e Charlie Sheen em Curtindo a Vida Adoidado

No ano seguinte ela foi escalada para protagonizar Dirty Dancing, Ritmo Quente (Dirty Dancing, 1987), ao lado de Patrick Swayze. O filme fez de Jennifer mundialmente conhecida. Pelo papel, foi indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz em Comédia ou Musical.



Em 1989 ela atuou em Doce Inocência (Bloodhounds of Broadway, 1989). No ano seguinte, estrelou alguns telefilmes, incluindo Vivendo Um Conto de Fadas (If the Show Fits, 1990), ao lado do galã da época Rob Lowe.


Criticada pela sua aparência física, Jennifer Grey se submeteu a uma rinoplastia estética, que foi mal sucedida. A atriz precisou se submeter a uma segunda cirurgia, reparadora. Seu rosto ficou completamente diferente, e os papéis cessaram. Anos mais tarde, ela declarou em uma entrevista "eu entrei na sala de cirurgias como uma celebridade, e saí de lá completamente anônima." Ela chegou a trocar de nome por um tempo, para tentar recomeçar a carreira, mas pouco tempo depois abandonou a ideia.

Em 1992 Francis Ford Coppola a convidou para atuar em Wind (1992), filme do qual ele era produtor. Mas os trabalhos ainda eram escassos. Em 1995 ela fez uma participação em Friends, interpretando Mindy, uma das amigas de Rachel Green (Jennifer Aniston).

Jennifer Aniston e Jennifer Grey em Friends

Grey acreditou que a aparição em um dos sitcoms mais bem sucedidos da história a projetaria de novo no show-business, mas isto também não aconteceu. Poucos reconheceram a atriz na série.

A atriz seguiu participando de séries e filmes pouco conhecidos (alguns feito diretamente para o vídeo), como Um Cupido Entre Nós (Lover's Knot, 1995). Ao lado das veteranas Shirley MacLaine, Liza Minelli e Katy Bates, atuou no telefilme Valsa da Vida (The West Side Waltz, 1995).


Em 2000 fez um papel de apoio em Mais Que o Acaso (Bounge, 2000), estrelado por Ben Affleck e Gwyneth Paltrow.

Jennifer Grey e Ben Affleck

Entre 1999 e 2000, ela estrelou a série It's Like, You Know..., onde interpretava a si mesma, Jennifer Grey, uma atriz que foi famosa, mas ninguém mais reconhecia.


Após alguns trabalhos inexpressivos, dublou a animação Phineas and Ferb (2007-2015) e fez um pequeno papel em Sem Rumo (Untofether, 2018). E em 2010 foi vencedora da edição do reality show Dancing With Stars.


Até o momento, seus últimos trabalhos incluem uma participação em alguns episódios de Greys Anatomy (em 2019), e na série The Conners (em 2020).

Desde 2001 ela é casada com o ator Clark Gregg, o agente Phil Coulson da saga Os Vingadores, e tem uma filha, Stella.

Stella, Clark Gregg e Jennifer Grey

Jennifer Grey em Grey's Anatomy


Jennifer Grey atualmente


Leia também:  Dez Anos Sem Patrick Swayze

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil