Morre a atriz Nancy Gates, aos 93 anos


A atriz Nancy Gates, mais lembrada por seu papel ao lado de Frank Sinatra em Meu Ofício é Matar (Suddenly, 1954) faleceu no dia 24 de março, aos 93 anos de idade.


Nancy Jane Gates nasceu em Dallas, Texas, em 01 de fevereiro de 1926. Nancy iniciou-se na vida artística ainda criança, e em 1935 atuou na produção teatral de A Kiss for Cinderella, estrelada por Brenda Marshall e Ann Sheridan. Antes de terminar o ensino médio, a atriz já tinha seu próprio programa de rádio em Dallas, onde além de representar, também cantava.

Em 1941 ela ingressou na CBS, e passou a fazer parte do programa radiofônico de Orson Welles. Foi o diretor que a levou para Hollywoond, onde conseguiu para Nancy um teste na RKO. Aos 15 anos de idade, a menina assinou seu contrato com o estúdio.

Nancy Gates estreou em um pequeno papel em Soberba (The Magnificent Ambersons, 1942), dirigido pelo próprio Wells. Seu primeiro papel importante no estúdio foi em Os Filhos de Hitler (Hitler's Children, 1943). Ela seguiu atuando na RKO em filmes como O Homenzinho Está de Azar (Gildersleeve's Bad Day, 1943), Nevada (Idem, 1944) e O Pirata dos Sete Mares (The Spanish Main, 1945).

 Nancy Gates, Robert Mitchum e Anne Jeffreys em Nevada



Dispensada da RKO em 1949, ela só retonaria ao cinema em 1952, como figurante no filme O Maior Espetáculo da Terra (The Greatest Show on Earth, 1952), de Cecil B. DeMille. De volta a RKO, teve um papel de apoio em Os Filhos dos Mosqueteiros (At Sword's Point, 1952), mas era um contrato por obra.

A atriz seguiu trabalhando como freelancer em filmes como Cruel Desengano (The Member of the Wedding, 1952), que marcou a estreia do ator mirim Brandon de Wilde, de Os Brutos Também Amam (Shane, 1953). Na Warner, marcou sua presença em Se Eu Soubesse Amar (Torch Song, 1953), estrelado por Joan Crawford.

 Joan Crawford, Nancy Gates e Marjorie Rambeau em Se Eu Soubesse Amar

Seu papel mais importante no cinema foi como Ellen Benson em Meu Ofício é Matar (Suddenly, 1954), onde interpretava a esposa de Frank Sinatra, um pretenso assassino dos presidente dos Estados Unidos. Com Sinatra, ela ainda atuou em Deus Sabe Quanto Amei (Some Came Running, 1958).

Nancy Gates e Frank Sinatra, no cartaz de Meu Ofício é Matar

 Arthur Kennedy e Nancy Gates em Deus Sabe Quanto Amei


Nancy deixou o cinema após protagonizar o western Cavalgada Trágica (Comanche Station, 1960), ao lado de Randolph Scott. Ela ainda atuaria na televisão até 1969, tendo participado de séries como Bonanza, Perry Mason, Maverick, Caravana (Wagon Train) e O Homem de Virgínia (The Virginian).

 Nancy Gates e Randolph Scott em Cavalgada Trágica

Após 1969 ela preferiu se aposentar, para passar mais tempo com sua família. Em 1948 ela havia se casado como com um advogado de Hollywood chamado J. William Hayes. O casal teve quatro filhos, duas meninas gêmeas e os meninos Jeffrey e Chip Hayes, que se tornaram produtores em Hollywood.
 
Nancy Gates faleceu em 24 de março de 2019, mas sua morte só foi divulgada no dia 12 de abril do mesmo ano. Ela tinha 93 anos de idade.



Curta nossa página no Facebook


Se inscreva no nosso canal do Youtube 

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil