Relembrando o breve e talentoso Gérson de Abreu


Talentoso e carismático, o ator Gérson de Abreu é mais lembrado por seus trabalhos como apresentador infantil, tendo feito parte do elenco de programas clássicos da TV Cultura.



Gérson Ribeiro de Abreu Júnior nasceu em Iguape, interior de São Paulo, em 11 de agosto de 1964. Sua carreira na televisão começou por acaso, quando Gérson participou com sua escola do programa É Proibido Colar, apresentando por Antônio Fagundes e Clarice Abujamra, que na época eram casados.

O programa apresentava escolas competindo em provas, e Gérson foi escalado para participar de uma prova, interpretando um cozinheiro, e foi tão bem na brincadeira, que foi convidado pela TV Cultura para fazer um teste de elenco. Ele acabou contratado, trabalhando inicialmente como repórter, mas depois foi escalado para integrar o elenco do infantil Bambalalão (1984-1990).


Gigi Anhelli e Gérson de Abreu em Bambalalão

Ele também trabalhou em programas como Caleidoscópio, Sábado Vivo e Som Pop, e em 1990 estreou no cinema no filme Beijo 2348/72, que também tinha no elenco o ator Chiquinho Brandão, seu colega de Bambalalão.

Entre 1992 e 1994 Gérson apresentou o programa infantil X-Tudo, que ainda tinha no elenco a jovem atriz Fernanda Souza. Em 1994 ele deixou o programa, que foi assumido pelo comediante Márcio Ribeiro.

Ainda na Cultura, emprestou a sua voz para à bota Flap, que dividia a cena com seu irmão gêmeo Tao (dublado por Theo Werneck) no programa Castelo Rá-Tim-Bum (1994-1995).


Gerson de Abreu no X-Tudo



As botas Tap e Flap


Em abril de 1995 o ator foi contratado pela TV Record, onde inicialmente apresentava a reprise da série Os Três Patetas (Three Stoges), onde fazia esquetes contracenando com bonecos caracterizados como os Patetas.

O sucesso do ator no canal fez ele ganhar o próprio programa, Agente G (1995-1997), que fez muito sucesso, gerando até um disco de canções infantis.


Gerson de Abreu em Agente G

O disco de Agente G


Em 1998 o ator fez sua primeira novela, atuando em Estrela de Fogo (1998), também na Record. Depois, voltou para os programas dedicados as crianças, interpretando o Tiu Du em Vila Esperança (1998-1999).


Gérson de Abreu em Vila Esperança


No cinema, o ator ainda atuou em PR Kadeia (1992), Super-Colosso (1995) e O Barato é Ser Careta (2000). Gérson de Abreu também escreveu diversos livros, a maioria deles de crônicas.




Em 2000 o ator interpretou Pipo, um apresentador de televisão dos primeiros dias da TV no Brasil, na minissérie Aquarela do Brasil (2000), na Rede Globo. Foi seu último trabalho em frente às câmeras.


Gérson de Abreu em Aquarela do Brasil

Em 2002 ele estava atuando em uma peça de teatro, chamado Gato Preto, ao lado de sua amiga Rosi Campos, e negociava a volta a televisão em um novo infantil na TV Record. Porém, em 18 de julho de 2002, o ator sofreu um infarto fulminante, falecendo com apenas 37 anos de idade.

Gérson de Abreu era casado com Patrícia, e era pai de três filhos.

A prefeitura de Iguape, sua cidade natal, criou um projeto cultural em sua homenagem, chamado Oficina Gérson de Abreu.






Veja Também: Shazan, Xerife & Cia



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

Ajude o site a se manter no ar, contribua com qualquer valor no PIX contatomemoriacine@gmail.com



0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil