Muito antes de Walt Disney, a pioneira Lotte Reiniger revolucionou a história da animação no cinema


Muito antes de Walt Disney, desde 1917 (há mais de 100 anos) a diretora e animadora Lotte Reiniger já fazia verdadeiros tesouros na arte da animação cinematográfica. Erroneamente, muitos acreditam (inclusive com o devido aval de historiadores) que Branca de Neve e os Sete Anos (Snow White and the Seven Dwarfs, 1937), seja o primeiro longa metragem de animação da história do cinema, mas esta informação está incorreta.

Onze anos antes, Lotte Reiniger havia feito As Aventuras do Príncipe Achmed (Die Abenteuer des Prizen Achmed, 1926), que era baseado no clássico da literatura As Mil e Uma Noites. E o filme de Reiniger nem é o primeiro da história, cujo pioneirismo cabe ao diretor argentino Quirino Christiani, que em 1917 dirigiu El Apostol. Infelizmente, todas as cópias conhecidas da obra de Quirino se perderam com o tempo, e o filme de Reiniger hoje conta com o título de longa de animação mais antigo ainda preservado.

A marca registrada das animações da artista são o stop motion utilizando silhuetas de sombras. Entre seus feitos pioneiro, também está a criação da primeira câmera cinematográfica capaz de registrar planos múltiplos.


Veja um trecho de As Aventuras do Príncipe Achmed


Charlotte (Lotte) Reiniger nasceu em Berlim, Alemanha, em 02 de junho de 1889. Na escola, ela foi apresentada a técnica do "Scherenschinitte" (corte de tesoura, na tradução do alemão), inspirada na antiga arte chinesa dos fantoches de silhueta.

Ela ficou tão encantada com está técnica milenar de teatro de sombras, que brincava com o seu próprio teatrinho de figuras recortadas. Ela cresceu desejando ser atriz, mas ao mesmo tempo, foi desenvolvendo a sua técnica que lhe permitia reproduzir suas fábulas e contos de fadas favoritos.

Mas ainda criança, ela foi apresentada ao cinema dos Irmãos Lumièré, e mais tarde foi influenciada pelos efeitos especiais de Georges Méliès, e depois do ator e diretor Paul Wegener, pioneiro do Expressionismo Alemão.



Em 1915, quando ela tinha 16 anos de idade, ela conheceu o seu ídolo Wegener em uma palestra, e conversou com ele a respeito das inúmeras possibilidades da animação no cinema, que ainda engatinhava. 

O astro alemão conseguiu para ela um estágio no grupo teatral de Max Reinhardt, onde ele era contratado, e ainda adolescente Lotte Reiniger começou a fazer cenários, adereços e figurinos para as peças da companhia. Em seus intervalos, ela fazia silhuetas de seus colega de elenco, que ela sempre mostrava para Wegener.

Intrigado com o seu trabalho, ele logo começou a usar as animações de Reiniger em seus filmes, na maioria das vezes, nos créditos iniciais. Em 1917 ela realizou sua primeira animação, iniciando uma carreira de mais de seis décadas.

Em 1918 ela havia feito Der Ratternfänger von Hameln, baseado no conto do Flautista de Hamelin. O filme fez muito sucesso, e ela foi convidada a ingressar em um estúdio alemão de animação experimental. Lá, ela conheceu diversos artistas de vanguarda, como Bertolt Brecht e Carl Koch, com quem ela se casou, e desenvolveu uma longa parceria artística e criativa. Era Koch o responsável por fotografar a maioria de suas animações.




Lotte Reiniger, Carl Koch, Walter Türck e Alexander Karadan, diante da câmera multiplano criada pela artista


Em 1919 ela dirigiu Das Ornament des Verliebten Herzens, cuja tradução é O Ornamento do Coração Apaixonado. Novamente fez muito sucesso, e fez dela uma diretora respeitada e conhecida internacionalmente, abrindo-lhe as portas para uma bem sucedida carreira também na animação publicitária.

 Das Ornament des Verliebten Herzens (1919)


Nos anos seguintes, ela dirigiu seis curta-metragens, incluindo uma adaptação de Cinderela. Também fez muitos trabalhos para a publicidade, encomendada por agências dos Estados Unidos, e animou efeitos especiais para vários longa-metragens de outros diretores, incluindo o falcão em silhueta que aparece em um sonho em Os Nibelungos - A Morte de Siegfired (Die Nibelungen: Siegfried, 1924), de Frtiz Lang.


Cinderela (1922)


Neste período também, ela desenvolveu um sistema de fotografar a animação em diversos planos. Em uma estrutura de madeira, com diversas placas de vidro, onde eram colocados as muitas camadas usadas para fotografar as animações quadro a quadro. O invento foi criado pelo menos uma década antes de Ub Iwerks e Walt Disney popularizarem a técnica (e gozarem os louros da criação). Lotte Reiniger inclusive escreveu um livro onde detalhava tecnicamente como construir tal equipamento.

E em 1926 ela fez sua obra mais famosa, As Aventuras do Príncipe Achmed (Die Abenteuer des Prizen Achmed, 1926), o segundo longa de animação da história do cinema. Graças ao ator Jean Renoir, que não mediu esforços para levar a obra ser distribuída nos cinemas franceses, o filme foi outro grande sucesso na carreira da diretora.

Ela faria outro longa metragem, Doktor Dolittle und Seine Tiere (1928), que era baseado no livro Doutor Dolittle, de Hugh Lofting, e que tinha trilha sonora composta por Kurt Weill, entre outros. No ano seguinte, fez seu primeiro filme que mesclava atores e animação, Die Jagd nach dem Glück (1929), outro feito pioneiro da cineasta. O filme tinha os atores Jean Renoir e Berthold Bartosch como astros. Produzido ainda como uma obra muda, em meio ao auge da novidade do som no cinema, o filme foi um grande fracasso de bilheteria.

Reiniger ainda tentou fazer uma terceira animação de longa metragem, baseada em uma ópera de Ravel, mas diversos problemas devido a direitos autorais. Lotte havia desenvolvido o projeto por muitos anos, mas teve que abandoná-lo devido as diversas complicações legais.

Com a ascensão do Partido Nazista, Reiniger e Koch sofreram severas perseguições do governo de Adolf Hitler. Entre 1933 e 1944 eles mudavam-se constantemente para outros países, permanecendo o tempo que lhes era permitido ficar como turista, pois o visto de permanência ao casal era sempre negado.

A partir de 1944 não conseguiram mais deixar a Alemanha, e foram obrigados a trabalhar para o regime, em filmes de propaganda nazista. Nessas peregrinações pelo continente, eles trabalharam com cineastas como Jean Renoir, na França, e Luchino Visconti, na Itália. Eles inclusive moraram um período com Visconti.

Enquanto obrigados a trabalhar para o Terceiro Reich, é visível a falta de esmero de Lotte Reiniger com o acabamento de sua produção, apesar do filme de propaganda Die Goldene Gans (1944), ter sido muito elogiado pela crítica.

Com o final da guerra, Lotte e o marido se mudaram para a Inglaterra, onde ela fez alguns curtas-metragens publicitários. E em 1953 ela fundou sua própria produtora, fazendo animações para a rede de televisão BBC. Ela continuou trabalhando até 1979, quando fez uma animação baseada na história de Chapeuzinho Vermelho, embora sua produção tenha sido drasticamente reduzida após a morte de seu marido, em 1963.

Com o passar dos anos, suas animações receberam cores, ao contrário do preto e branco inicial.



Seu filme Silhuetten, de 1936, foi premiado no Festival de Cinema de Veneza.


Comercial de Aspirina feito por Lotte Reiniger, em 1935



Lotte Reiniger faleceu na Alemanha em 19 de junho de 1981, aos 82 anos de idade.


Em 2016, pela celebração do seu aniversário de 117 anos, ela foi homenageada com o Doodle da Google.








0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil