Bruce Willis anuncia sua aposentadoria devido a doença



O ator Bruce Willis, que completou 67 anos de idade no dia 19 de março, vai parar de atuar devido a sua condição de saúde. A família do ator anunciou nas redes sociais no dia 30 que Willis sofre de afasia, um distúrbio de linguagem ocorrido por lesão cerebral que afeta a comunicação. O texto divulgado foi assinado pelas filhas do artista, sua esposa Emma Heming e sua ex mulher, a atriz Demi Moore.


"Para os incríveis apoiadores de Bruce, como família, queríamos compartilhar que nosso amado Bruce está passando por alguns problemas de saúde e recentemente foi diagnosticado com afasia, o que está afetando suas habilidades cognitivas. Como resultado disso e com muita consideração, Bruce está se afastando da carreira que significou tanto para ele", diz o texto, que foi acompanhado de uma foto do ator ao lado delas.




A afasia é um transtorno de linguagem que ocorre após uma lesão cerebral, e sua causa mais comum é o AVC. O transtorno também pode ser causado por tumores cerebrais, encefalites e traumatismo cranioencefálicos.


Leia também:  Atriz Lisa Banes morre dez dias depois de ser atropelada em Nova York

Leia também: Morreu Henry J. Deutschendorf II, que interpretou o bebê Oscar em Os Caça Fantasmas II, aos 29 anos

Richard Chamberlian completa 88 anos de idade


Richard Chamberlain tornou-se astro na década de 60 quando protagonizou a série de televisão Dr. Kildare, num tempo em que as séries médicas ainda não faziam sucesso na televisão. Embora tenha grandes trabalhos no cinema, seu nome é mais associado à televisão, como o sucesso Os Pássaros Feridos (The Thorn Birds 1983), onde interpretou o ambicioso padre Ralph de Bricassard.


Nascido George Richard Chamberlain em Beverly Hills, Los Angeles, em 31 de março de 1934. Ele desenvolveu um forte interesse em atuar enquanto frequentava o ensino médio. Na segunda metade da década de 50 ele conseguiu um contrato com a Paramont, mas não teve tempo de atuar, pois foi convocado para lutar na Guerra da Corréia, e acabou dispensado do estúdio.

Após servir por 16 meses, ele retornou a Hollywood, em busca de novos contratos. Em 1959 ele conseguiu seu primeiro papel em um episódio da série de televisão Alfred Hichtcock Apresenta (Alfred Hitchcock Presents). Chamberlian então fez participações em séries como Gunsmoke e Mr. Lucky.

Seu primeiro papel no cinema foi no filme O Segredo dos Arrecifes (The Secret of the Purple Reef, 1960), estrelado por Peter Falk. Ele ainda faria um papel pequeno em Estrondo de Tambores (A Thunder of Drums, 1961), antes de receber sua primeira grande chance nas telas.

Em 1961 William Shatner foi convidado para estrelar a série Dr. Kildare (1961-1966), mas recusou o papel, que foi então oferecido a James Franciscus, que não pode aceitar por já ter outros compromissos. Foi então que a sorte surgiu para o novato e ainda desconhecido Richard Chamberlain, que ficou com o papel do médico James Kildare.

 Richard Chamberlian em Dr. Kildare

A série fez um enorme sucesso, e logo o ator tornou-se um astro idolatrado pelas mulheres. Em seu primeiro ano na série, ele ganhou um Globo de Ouro de ator revelação pela série. Ele também lançou uma carreira como cantor, lançando alguns discos. A canção tema da série, Three Stars Will Shine Tonight, cantada por ele, alcançou as paradas de sucesso.

Mas a fama começou a incomodá-lo, Chamberlain queria ser um artista respeitado, e não o astro para adolescentes que estava se tornando. Ele não queria ser mais um menino bonito de Hollywood.


Enquanto gravava a série o ator fez dois filmes, O Crime É Homicídio (Twilight of Honor, 1963), com Nick Adams e Joey Heatherton e O Amor Faz Milagres (Joy in the Morning, 1965), com Yvette Mimieux. Apesar de sua imensa popularidade, e de ser protagonista das obras, ambos os filmes não fizeram sucesso. Naquela época era muito difícil um ator de televisão ser respeitado no cinema, e raramente a transição dava certo.

 Yvette Mimieux e Richard Chamberlain em O Amor Faz Milagres

Quando a série foi cancelada, e buscando ser respeitado como ator, ele tomou uma decisão ousada e muito arriscada. Virou as costas para Hollywood e foi em busca de trabalhos no teatro. Apenas no ano de 1966 ele atuou em peças importantes na Broadway, como The Philadelphia Story e Private Lives, e também mostrou seu talento vocal interpretando Tony em West Side Story. Em dezembro do mesmo ano, ele protagonizou nos palcos Breakfast at Tiffany's, ao lado de Mary Tyler Moore, mas a peça foi cancelada após quatro apresentações, sendo considerada um dos maiores fracassos da história da Broadway.

Richard Chamberlian e Mary Tyler Moore em Breakfast at Tiffany's

Foi somente em 1968 que ele retornou ao cinema, quando aceitou o convite do diretor Richard Lester para filmar Petúlia, um Demônio de Mulher (Petulia, 1968), filmado na Inglaterra. O ator acabou permanecendo no país, interpretando clássicos nos palcos londrinos, para provar seu talento como interprete.

Morando na Europa, atuou em A Louca de Chaillot (The Madwoman of Chaillot, 1969), estrelado por Katharine Hepburn, e rodado na França. 

 Katharine Hepburn e Richard Chamberlain em A Louca de Chaillot

Na Inglaterra ele conquistou a satisfação pessoal ao interpretar papéis sérios em filmes como Júlio César (Julius Caesar, 1970) e principalmente ao interpretar o atormentado compositor Tchaikovsky em Delírio de Amor (The Music Lovers, 1971) e o poeta Lord Byron em Os Amantes de Lady Caroline (Lady Caroline Lamb, 1972).

Cartaz de Os Amantes de Lady Caroline

Embora nenhum de seus filmes ingleses tenha feito sucesso com a crítica e o público, foi o suficiente para provar que ele era um ator que merecia respeito, e tinha capacidade de fazer papéis mais desafiadores.

De volta aos Estados Unidos, ele interpretou Aramis em Os Três Mosqueteiros (The Three Musketeers, 1973), que fez muito sucesso. Ele retomou o papel no ano seguinte em A Vingança de Milady (The Four Musketeers, 1974), uma continuação que desta vez dava mais destaque ao papel de Rachel Welch, que agora interpretava uma "quarta mosqueteira".

Ainda em 1974 ele interpretou o vilão no mega sucesso Inferno na Torre (The Towering Inferno, 1974), em um filme repleto de astros como Steve McQueen, Paul Newman, William Holden, Faye Dunaway, Fred Astaire e Jennifer Jones.

Richard Chamberlain em Inferno na Torre

Em 1975 Chamberlian protagonizou O Conde de Monte Cristo (The Count of Monte-Cristo, 1975), um filme feito para a televisão. A partir de então, ele faria muitos trabalhos para a TV, que lhe valeu o título de "o rei da televisão" nos anos seguintes. Seu próximo telefilme foi O Homem da Máscara de Ferro (The Man in the Iron Mask, 1977).

No cinema, atuou no cult A Última Onda (The Last Wave, 1977) de Peter Weir e no filme catástrofe O Enxame (The Swarm, 1978), um dos poucos do gênero que não foram muito bem sucedidos.

Mas seu maior sucesso no período foi mesmo na televisão. Em 1980 ele protagonizou a série Shogun (Idem, 1980), onde vivia um navegador inglês no Japão feudal. Por seu trabalho ganhou um Globo de Ouro e uma indicação ao Emmy.

 Richard Chamberlain em Shogun

Seu trabalho seguinte foi na mini-série Os Pássaros Feridos (The Thorn Birds 1983), que fez um enorme sucesso mundial. O papel do padre dividido entre a carreira e o amor, lhe valeu outro Globo de Ouro e outra indicação ao Emmy.

 Richard Chamberlain e Rachel Ward em Os Pássaros Feridos

Na televisão, ele ainda faria o telefilme Casanova, O Maior Amante de Todos os Tempos (Casanova, 1987) e foi o primeiro Jason Bourne na série The Bourne Identity (1988). No cinema, na década de 1980, seu maior sucesso foi em As Minas do Rei Salomão (King Solomon's Mines, 1985), ao lado de Sharon Stone.

 Richard Chamberlian e Sharon Stone em As Minas do Rei Salomão

A dupla se reuniria novamente em Allan Quatermain e a Cidade do Ouro Perdido (Allan Quatermain and the Lost City of Gold, 1986). E em 1989 ele voltaria a encarnar Aramis em A Volta dos Mosqueteiros (The Return of the Musketeers, 1989).

Na década de 90 o ator passou a atuar esporádicamente, geralmente em telefilmes. Em 1996 ele participou de Pássaros Feridos - Os Anos Perdidos (The Thorn Birds: The Missing Years, 1996), retomando o papel do padre Ralph de Bricassard.

Charberlian preferiu retornar ao teatro, dedicando grande parte de seu tempo a turnês musicais como Henry Higgins em My Fair Lady, Capitão Von Trapp em The Sound of Music e Ebenezer Scrooge em Scrooge: The Musical

Sempre muito discreto, ele mudou-se para o Havaí (onde vive até hoje), para fugir dos olhares de Hollywood. Em 2003 ele lançou sua biografia, onde finalmente assumiu sua homossexualidade. No livro ele dizia se libertar da angústia de ter que esconder sua vida afetiva para proteger sua imagem de ídolo das matinês.

Chamberlain também tornou público seu relacionamento com o produtor Martin Rabbett, com quem vive desde 1986. Eles se conheceram durante as filmagens de Allan Quatermain e a Cidade do Ouro Perdido, filme no qual Rabett trabalhou como ator.

Martin Rabett (de branco), Richard Chamberlain e Sharon Stone
em Allan Quatermain e a Cidade do Ouro Perdido

Desde então Chamberlain passou a levar sua sexualidade na esportiva, interpretando papéis de gay no filme Eu os Declaro Marido e... Larry (I Now Pronounce You Chuck & Larry, 2007) e em séries de tv como Will & Grace, Donas de Casas Desesperadas (Desperate Housewifes) e Brothers & Sisters.

 Richard Chamberlain em Will & Grace

Richard Chamberlain nunca deixou de atuar. Recentemente, ele participou da série Twin Peaks: O Retorno (Twin Peaks, 2017) e trabalhou nos filme Nightmare Cinema (2018), Finding Julia (2019) e está no elenco de Echoes of the Past, ainda sem data de lançamento.









Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram


John Astin, o Gomez Addams, Completa 92 Anos de Idade


John Astin ficou eternizado por seu trabalho como o exótico e apaixonado Gomez Addams na série de televisão A Família Addams (The Addams Family, 1964-1966), que fez muito sucesso na televisão mundial.


John Allen Astin nasceu em Baltimore, em 30 de março de 1930. Ele é filho do renomado físico Dr. Allen Varley Astin, e seu irmão Alexander W. Astin também é um importante cientista e acadêmico.

John Astin também quase seguiu os passos do pai, e se formou em matemática na Universidade. Mas depois de formado, começou a estudar teatro, abandonando as ciências exatas.

Ele começou a trabalhar na Broadway, como ator substituto, e também fez alguns comerciais. Sua estreia na televisão foi na série de televisão Studio One, em 1957. Seu primeiro filme foi o independente The Pusher (1960), onde interpretou um detetive.

No ano seguinte participou do vencedor do Oscar de Melhor Filme Amor Sublime Amor (West Side Story, 1961), em um pequeno papel. Raramente os fãs do filme lembram que Astin esteve no elenco deste clássico do cinema.

John Astin em Amor, Sublime Amor

Astin começou a fazer muitas participações na televisão, em séries como O Pimentinha (Dennis The Menace) e 77 Sunset Strip. O comediante Tony Randall viu seu trabalho, e indicou Astin para atuar em Carícias de Luxo (That Touch of Mink, 1962), estrelado por sua amiga Doris Day.


Doris Day e John Astin Carícias de Luxo

Astin ainda faria outro filme de Doris Day, A Mais Querida do Mundo (Billy Rose's Jumbo, 1962), e teria pequenos papéis em comédias românticas como Contramarcha Nupcial (Period of Adjustment, 1962), Simpático, Rico e Feliz (The Wheeler Dealers, 1963) e Eu, Ela e a Outra (Move Over, Darling, 1963).

E entre 1962 e 1963 estrelou a série de televisão I'm Dickens, He's Fenster junto com o ator Marty Ingels.

Mas foi em 1964 que ele ficou conhecido do grande público, ao ser escalado para o papel de Gomez Addams, o patriarca de  A Família Addams (The Addams Family, 1964-1966), séria baseada nos quadrinhos de Charles Addams.

A família exótica e mórbida agradou muito ao público, e quando a CBS soube que a rede ABC estava produzindo A Família Addams, correu para estrear uma série similar antes, Os Monstros (The Munsters), porém, A Família Addams estrelou seis dias antes.





A Família Addams estreou no Brasil em agosto de 1965, na programação da TV Rio. Em 1969 os direitos de transmissão foram para a TV Globo, e na década de 70 a série também foi exibida pela TV Record.

Na primeira dublagem brasileira, Gomez chamava-se Covas.


Com o fim da série John Astin continuou na televisão, tanto como convidado ou como personagem regular em várias séries. Ele interpretou o Charada em dois episódios de Batman e Robin (Batman), em 1967, mas depois foi substituído por Frank Gorshin.


John Astin como Charada em Batman

Em 1967 ele interpretou o cunhado de Phyllis Diller na série The Pruitts of Southampton, aparecendo em seis episódios do programa. Também interpretou um padre em A Noviça Voadora (The Flyng Nun, 1967) e atuou no filme Está Sobrando Um Fantasma (The Spirit Is Willing, 1967).

No ano seguinte Astin estreou na direção, com o curta metragem Prelude (1968), que lhe deu uma indicação ao Oscar. Nos anos seguintes ele faria muitos trabalhos na direção, geralmente dirigindo séries de TV, tendo inclusive dirigido alguns episódios de CHiPS.

Em 1968 ele também atuou na comédia Candy (Idem, 1968), que ainda tinha no elenco a brasileira Florinda Bolkan.


Ewa Aulin e John Astin em Candy

Nas telas do cinema apareceu em Viva Max! (Viva Max, 1969), Bunny O'Hare (1971), O Perverso Roy Slade (Evil Roy Slade, 1972), O Homem de Duas Vidas (Get to Know Your Rabbit, 1972), Confusões Por Todos os Lados (Every Little Crook and Nanny, 1972) e Brothers O'Toole (1973).



E em 1972 dublou o seu famoso personagem Gomez Addams em alguns desenhos do Scobby Doo. Ele retornou ao papel em Halloween With the New Addams Family (1977), um filme feito para a televisão.



Halloween With the New Addams Family

Em 1976 John Astin interpretou o pai de Jodie Foster na comédia da Disney Se Eu Fosse Minha Mãe (Freaky Friday, 1976). No filme Jodie trocava de corpo com sua mãe, interpretada por Barbara Harris.




Entre 1977 e 1978 ele foi um dos astros da comédia O Caso das Anáguas (Operation Petticoat), série que ele também dirigiu alguns episódios.


John Astin em O Caso das Anáguas


A partir da década de 1980 John Astin fez muitos trabalhos como dublador, e apareceu como convidado em diversas séries de TV. Ele atuou também no filme O Garoto do Futuro 2 (Teen Wolf Too, 1987) e Gremlins 2: A Nova Geração (Gremlins 2: The New Batch, 1990), mas talvez seja mais lembrado como o Professor Mortimer Gangreen no trash A Volta dos Tomates Assassinos (Return of the Killer Tomatoes!, 1988). Ele interpretou o personagem em outros dois filmes e ainda participou de uma série de televisão derivada de os Tomates Assassinos.


John Astin em A Volta dos Tomates Assassinos

Apesar de ser uma participação pequena, ele esteve impagável na comédia Férias Frustradas II (National Lampoon's European Vacation, 1985). Austin interpretava o apresentador do programa de televisão Pin in a Poke.

Entrte 1985 e 1986 também fez a série Mary, estrelada por Mary Tyler Moore.

John Astin Férias Frustradas II

Entre 1992 e 1993 ele voltou ao papel de Gomez Addams, desta vez dublando uma animação, que lhe valeu uma indicação ao prêmio Emmy por seu trabalho. Austin também dublou o jacaré Bull Gator no desenho Taz-Mania.




Sob direção de Peter Jackson, atuou no filme Os Espíritos (The Frighteners, 1996). Anos mais tarde Jackson dirigiria seu filho, Sean Astin (de Os Goonies) na saga Senhor dos Anéis. A neta de John, Ali Astin, também atuou no mesmo filme.

Ainda trabalhando, John Astin tem feito mais trabalhos como dublador nos últimos anos. 

John Astin em Os Espíritos

Sean Astin e sua filha Ali Astin


Entre 1998 e 1999 ele interpretou o Vovô Addams na série The New Addams Family.




John Astin foi casado com a atriz Suzanne Hahn (entre 1956 e 1972), com quem teve três filhos. Em 1972 ele se casou com a atriz Patty Duke, com quem teve dois filhos, incluindo o ator Sean Astin.

John criou Astin acreditando ser o pai biológico do menino, mas em 1990 Patty Duke revelou que Sean era filho do ator Desi Arnaz Jr. Mais tarde, um exame de DNA provou que Sean Astin na verdade era filho de Michael Tell, um homem que dividiu apartamento com Duke na época.

E embora Sean Astin hoje tenha contato com os seus "três pais", ele considera John Astin como o verdadeiro, pois foi quem o criou. John Astin sempre afirma que Sean é seu filho, e não existe exame que diga o contrário.


Sean Astin e John Astin

Patty Duke e John Astin se divorciaram em 1985, e desde 1989 o ator é casado com Valerie Ann Sandobal. 

Atualmente ele também é professor de teatro na Columbia Center for Theatrical Arts, em Columbia, e na John Astin Fundation, que ensina alunos da Universidade Johns Hopkins.

Com a morte de Ken Weatherwax (que interpretou seu filho Feioso) em 2014, apenas Astin e Lisa Loring (a Wandinha) estão vivos dentre os atores originais de A Família Addams.


John Astin com uma turma de alunos


Relembrando a atriz Djenane Machado



Na década de 70, Djenane Machado era uma das atrizes mais requisitadas e queridas pelo público. A bela jovem de olhos verdes era uma das maiores estrelas da teledramaturgia brasileira, marcando presença no teatro, cinema e televisão.


Djenane Vasconcelos Machado nasceu no Rio de Janeiro, em 10 de junho de 1951. Filha do famoso produtor de teatro de revistas Carlos Machado e de sua esposa, a figurinista Gisela Machado, Djenane cresceu entre a produção de shows e espetáculos de revista.

 Carlos e Djenane Machado

Djenane estreou como atriz na novela Passo dos Ventos (1968), na Rede Globo. No ano seguinte, fez Rosa Rebelde (1969) e A Ponte dos Suspiros (1969). No mesmo ano, estreou no cinema em A Penúltima Donzela (1969), dirigido por Fernando Amaral e com Paulo Porto, Adriana Prieto, Carlo Mossy e ela nos principais papéis. 

 João Paulo Adaour e Djenane Machado em A Ponte dos Suspiros

Carlos Mossy e Djenane Machado em A Penúltima Donzela

Sua telenovela seguinte foi Assim na Terra Como no Céu (1970), onde ela conquistou o público, mas sua consagração veio com a Lucinha Esparadrapo em O Cafona (1971), onde ela interpretava uma hippie que vivia em uma comunidade. Na mesma época, era uma requistada vedete dos espetáculos do pai.

Djenane Machado e Carlos Vereza em O Cafona

Em 1972 Djenane interpretou a personagem Bebel na primeira versão de A Grande Família (1972), mas ela abandonou o programa sem grandes explicações em 1974, precisando ser substituída pela atriz Maria Cristina Nunes.

Na época, a atriz abusava de álcool e drogas e constantemente chegava atrasada nas gravações. Djenane também deixou o programa porque seu pai havia falido, as revistas já não eram mais tão populares, e ele precisava de um nome famoso pra estrelar o espetáculo Hip Hip Rio (1974), para tentar saldar suas dívidas.


Por deixar o programa, Djenane Machado foi colocada na lista negra do produtor Boni, e ficou na geladeira da emissora por alguns anos. Neste período, ela voltou para o cinema, atuando em As Alegres Vigaristas (1974) e Já Não Se Faz Amor Como Antigamente (1976).


Carlos Machado então pediu a Boni, que na época era casado com a vedete Laís Simões, que desse mais uma chance para sua filha, e ele atendeu. Djenane então foi escalada para viver Glorinha na novela Estúpido Cúpido (1976), integrante da turma de jovens rebeldes da pequena cidade de Albuquerque, filha do delegado local, mas muito namoradeira e cheia de arrumar confusões com a turma e o namorado Caniço, interpretado por João Carlos Barroso

 Djenane Machado e João Carlos Barroso em Estúpido Cupido

Mas a atriz ainda tinha problemas com vícios, o que afetou sua carreira. Ela permaneceu na Globo até 1981, quando foi demitida depois de atuar nas novelas Espelho Mágico (1978) e Ciranda de Pedra (1981).

Com problemas para se afastar das drogas, Djenane perdeu espaço na TV Globo e teve que procurar trabalho em outras emissoras. Entre uma novela e outra, ela ainda fez o filme Sábado Alucinante (1979), de Cláudio Cunha, ao lado Sandra Bréa, outra atriz que começava a enfrentar problemas com a direção da TV Globo.

Ao sair da Globo, fez alguns trabalhos na TV Cultura, mas tinha dificuldades de conseguir papéis maiores na televisão. Neste período, a atriz fez mais dois filmes ela faz dois filmes, mas em papéis menores. O primeiro foi Águia na Cabeça (1984), contracenando com Christiane Torloni e Nuno Leal Maia, e, dois anos depois, Ópera do Malandro (1986), do diretor Ruy Guerra, com Edson Celulari e Cláudia Ohana. No filme, Djenane vive Shirley Paquete, uma das meninas do bordel de Otto Struedel, personagem vivida por Fábio Sabag.

Seu último trabalho como atriz foi na novela Tudo ou Nada (1986), na TV Manchete. Desempregada e em depressão com a morte do segundo marido, que morreu de AIDS, Djenane pediu ajuda a amiga Odete Lara para largar as drogas. Nos oito anos seguintes ela lutou para deixar o vício, mas nunca mais conseguiu recuperar sua carreira.

A atriz Djenane Machado morreu no dia 23 de março de 2022, aos 70 anos de idade. Sua morte porém, só foi divulgada no dia 29. Ela estava afastada da mídia há muitos anos.


Djenane Machado, com sua cuidadora

Carlos Vereza, Renata Sorrah, Dina Sfat e Djenane Machado no intervalo
da novela Assim Na Terra Como no Céu (1970)




Veja também: A História de Bibi Ferreira



Veja Também: Shazan, Xerife & Cia

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil