Brad Renfro, mais um garoto perdido de Hollywood, morto aos 25 anos de idade


Na década de 1990 o jovem ator mirim Brad Renfro despontou pelo seu talento e maturidade precoce diante de papéis complexos e fortes. Infelizmente, ele foi um dos muitos jovens atores que se perdeu dentro da indústria cinematográfica de Hollywood.





Bradley Barron Renfro nasceu em Knoxville, Tenesse, em 25 de julho de 1982. Sua infância não foi fácil, e seu pai abandonou a família quando ele ainda era bebê. Sem condições de criar o filho, sua mãe entregou sua guarda para a avó materna.

Renfro foi criado pela avó em um trailer na beira do rio, em uma comunidade muito pobre de Knoxville. Ele não tinha nenhuma experiência com atuação quando foi descoberto por um agente de talentos, que procurava um menino com aspecto "durão" e sofrido para atuar em O Cliente (The Client, 1994), do diretor Joel Schummacher.

A produção do filme demorou alguns anos, e Brad Renfro precisou fazer uma série de testes, derrotando outro 5 mil garotos, até ficar com o papel, que marcou sua estreia no cinema. Ao lado dos veteranos Susan Sarandon e Tommy Lee Jones, ele interpretou o jovem Mark Twain, um menino que testemunhou um crime da máfia, e usa seu cofrinho para pagar uma advogada para defende-lo enquanto testemunha no tribunal.

Ele tinha 11 anos quando começou a rodar a produção, e chamou a atenção pelo seu desempenho forte e maduro.


Susan Sarandon e Brad Renfro em O Cliente


Por sua estreia no cinema, ele foi indicado ao prêmio de ator mais promissor no festival de cinema dos críticos de Chicago e recebeu o Young Artist Awards, oferecido pela revista The Hollywood Reporter, como o melhor ator juvenil do ano, derrotando inclusive Elijah Wood, outro astro mirim promissor da época. Renfro também foi considerado pela revista People uma das "30 pessoas mais famosas antes dos 30" daquele ano.

Mesmo sem muita experiência, o garoto recebeu muitos convites para continuar no cinema. Seu papel seguinte foi no tocante A Cura (The Cure, 1995), onde ele interpretou um menino deslocada, que faz amizade com outra criança, um menino portador do vírus HIV. Ao lado de Joseph Mazzello, que interpretava seu amigo, ele foi novamente indicado ao Young Artist Awards.


Brad Renfro e Joseph Mazello em A Cura


No mesmo ano, ele interpretou Huckleberry Finn em Tom e Huck, em Busca do Grande Tesouro (Tom and Huck, 1995), baseado nas aventuras clássicas de Huckblerry Finn e Tom Sawyer, de Mark Twain.


Jonathan Taylor Thomas e Brad Renfro em Tom e Huck, em Busca do Grande Tesouro


Em 1996 o jovem ator fez outro papel marcante, em Sleepers, a Vingança Adormecida (Slepeers, 1996), de Barry Levinson. Renfro fazia um papel forte, de um adolescente enviado a um reformatório após provocar acidentalmente a morte de um homem, durante uma brincadeira que deu errado. Após ser condenado, ele passava a ser torturado e abusado sexualmente. O ator Brad Pitt interpretava seu personagem na fase adulta do filme.

Ao lado de Kevin Bacon, com quem já havia atuado em Sleepers, ele ainda fez No Embalo da América (Telling Lies in America, 1997).



Brad Renfro em  Sleepers, a Vingança Adormecida


Renfro estava no auge da fama, e aos 14 anos de idade, aparentava ser muito mais velho, até pelo seu comportamento, que era diferente de um adolescente tradicional. Seus personagens, apesar da pouca idade, foram bastante sensualizados, fazendo o menino atuar constantemente sem camisa, e mesmo tomando banho nu. Desde os 12 anos de idade, ele era bastante assediado por mulheres mais velhas, e se envolveu com muitas delas. Renfro também passou a frequentar festas para adultos, e começou a beber aos 13 anos de idade.


Após seu sucesso inicial, ele desapareceu das telas por um período aproximado de dezesseis meses, só retornando ao cinema em O Aprendiz (Apt Pupil, 1998), onde interpretava uma garoto que chantageava seu vizinho (papel de Sir Ian McKellen), após desconfiar que ele era um agente nazista fugitivo.


Ian McKellen e Brad Renfro



Renfro foi novamente indicado a alguns prêmios pelo papel, e foi eleito o melhor ator no festival de cinema de Tóquio. Nesta época, ele foi para o Japão, onde fez alguns trabalhos, inclusive um comercial para o videogame Resident Evil 2, que foi dirigido pelo lendário diretor de zumbis George Romero.



Brad Renfro no comercial de Resident Evil 2


Ainda em 1998 ele apareceu em video clipe da banda Rolling Stones, mas sua carreira começou a decair. Aos 15 anos de idade, Renfro foi preso pela primeira vez, por porte de cocaína. Nos anos seguintes, ele foi preso diversas vezes, por furtos ou envolvimentos com as drogas. E em 2001 ele foi condenado há dois anos de liberdade condicional. 

Por violar a condicional, ele voltou para  a cadeia algumas vezes, até 2007.





Apesar da vida conturbada, ele seguiu atuando, mas sem tanta projeção como antigamente. Ele apareceu em alguns curta-metragens e fez filmes independentes, que tiveram pouca projeção.

Brad Renfro ainda fez filmes como Bully - Juventude Violenta (Bully, 2001), Acampamento Muito Louco (Happy Campers, 2001), Inocência Pedida (Tart, 2001), Ghost World: Aprendendo a Viver (Ghost World, 2001), Ruas Selvagens (Deuces Wild, 2002), Confissões de Uma Garota Americana (American Girl, 2002), Assassina Por Natureza (The Job, 2003), Camisa de Força (The Jacket, 2005), Hollywood Pervertida (Hollywood Flies, 2005), Esquina da Morte (10th & Wolf, 2006) e Informers - Geração Perdida (The Informers, 2008). Em 2006, ele também fez uma participação na série Lei & Ordem: Crimes Premeditados (Law & Order: Criminal Intent).


Brad Renfro em Ghost World: Aprendendo a Viver


Brad Renfro em Informers - Geração Perdida


Com a carreira em baixa, diversos problemas com a lei, e muito acima do peso, Brad Renfro já não era mais o garoto prodígio de Hollywood.

Em 15 de janeiro de 2008, ele foi encontrado morto em sua casa em Los Angeles, vítima de uma overdose de heroína. Na época, ele estava fazendo Informers - Geração Perdida, que precisou ser concluído sem a presença do ator.

Brad Renfro morreu com apenas 25 anos de idade.


Brad Renfro em 2008




Quando sua mãe faleceu, em 2012, foi divulgado que Renfro havia deixado um filho no Japão, fruto de um relacionamento com uma garota japonesa, durante sua estada no país.

A música Downton, da banda Foster the People foi escrita para o ator. Mark Foster, o vocalista, era seu amigo e foi seu colega de quarto.


Yamoto Renfro, o filho de Brad Renfro



Brad Renfro




Um comentário:

  1. Esse blog é ótimo!!! Descobri por um grupo de cinéfilos só face. Obrigado pelas postagens!

    ResponderExcluir

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil