A Viagem dos Condenados (1976), o filme que retratou uma tragédia real


Dirigido por Stuart Rosenberg, e com um elenco repleto de astros do cinema, o filme A Viagem dos Condenados (Voyage of the Damned, 1976), retrata a história de uma tragédia real, ocorrida em 1939.

Três meses antes do começo da Segunda Guerra Mundial, O MS St. Louis, um transatlântico alemão, levou 937 refugiados judeus rumo à América. Os passageiros temiam os horrores que estavam por vir, e procuraram asilo em Cuba, Estados Unidos e Canadá, mas foram rejeitados pelos países, e obrigados a retornarem à Europa, após 37 dias de viagem sem rumo.

Muitos deles acabaram sendo exterminados em campos de concentração durante o horror do holocausto.


Os passageiros do MS St. Louis


O MS St. Louis zarpou de Hamburgo rumo a Cuba em 13 de maio de 1939, sob o comando do capitão Gustav Schröder. Após 14 dias o navio chegou no porto de Havana, mas o presidente Federico Laredo Brú recusou-se a aceitar os refugiados estrangeiros, embora eles possuíssem vistos legais.

Apenas 28 pessoas puderam desembarcar, por terem visto de entrada nos Estados Unidos. Os demais passageiros ficaram sem rumo. A viagem, na verdade era uma fraude planejada pelo departamento de propaganda nazista, que havia feito um acordo com o governo cubano (antes da revolução), para recusar os passageiros. Eles seriam considerado párias, para dar exemplo ao mundo. E enquanto o mundo recusasse os judeus, nenhum país poderia culpar o governo alemão pelo destino deles.

O capitão levou o navio até Nova York, mas Franklin Roosvelt recusou-se a receber os refugiados. Um grupo de clérigos e acadêmicos canadenses fez um apelo ao governo do país para receber os passageiros, mas o país também negou a sua entrada.

Sem ter outra possibilidade, o capitão se viu obrigado a retornar à Alemanha, após 37 dias de viagem. Sabendo do risco que as pessoas corriam, ele ameaçou encalhar a embarcação propositalmente nas águas inglesas, obrigando o governo local a resgatar os refugiados. 

Após muita negociação, Schröder conseguiu que o governo inglês recebesse 288 passageiros, 224 foram recebidos pela França, 214 foram para à Bélgica, e 181 desembarcaram na Holanda. O navio voltou para Hamburgo sem passageiros, e dois meses depois estourou a Segunda Guerra Mundial.

A maioria dos passageiros que não desembarcou na Inglaterra, foi capturada e enviada para campos de concentração. Não se sabe ao certo o número de pessoas que morreram, mas acredita-se que pelo 254 deles foram assassinados pelos nazistas. Além disto, um dos passageiros, desesperado, havia cometido suicídio de jogando ao mar durante o retorno à Alemanha.


Alguns dos passageiros do MS St. Louis


Entre os sobreviventes estava Arno Motulsky, na época com 16 anos de idade. Arno, que foi enviado para um campo de concentração quando estava na França, mais tarde se tornou um dos mais importantes cientistas a mapear o genoma humano.

O filme A Viagem dos Condenados (Voyage of the Damned, 1976), retratou esta história. A obra foi baseada no livro de mesmo nome, escrito em 1974 por Gordon Thomas e Max Morgan-Witts.






O filme contava com um grande elenco de astros, que incluía Faye Dunaway, Oskar Werner, Lee Grant, Sam Wanamaker, Lynne Fredrick, Wendy Hiller, Julie Harries, Nehemiah Persoff, Maria Schell, Jonathan Pryce (em seu primeiro filme), Max von Sydow, Malcolm McDowell, Helmut Griem, Orson Welles, James Mason, Katharine Ross, José Ferrer, Janrt Suzman, Fernando Rey, Denholm Elliott e Ben Gazzara.

Jack Warden também gravou algumas cenas, mas seu personagem foi totalmente cortado na sala de edição.


Faye Dunaway em A Viagem dos Condenados


Katharine Ross em A Viagem dos Condenados


Orson Welles em A Viagem dos Condenados


Muitos acreditavam que a atriz Lynne Fredrick seria indicada ao Oscar, mas foi sua colega de elenco, Lee Grant, que foi nomeada, na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante. Frederick então fez uma longa campanha para Grant ser premiada, mas ela não levou o Ocar naquele ano.

O filme ainda foi indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Música, mas não levou nenhum prêmio.

A atriz Katharine Ross ganhou um Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante, e A Viagem dos Condenados ainda concorreu em outras cinco categorias, incluindo a de Melhor Filme. Oskar Werner também foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante, e este foi seu último trabalho no cinema.


Lynne Fredrick em A Viagem dos Condenados


Lee Grant em A Viagem dos Condenados


Lynne Fredrick era uma atriz inglesa que estava em franca ascensão na época, mas ficou queimada na indústria do entretenimento após a morte de seu marido, o ator Peter Sellers. Quando morreu, em 1980, Sellers deixou toda a sua herança para a atriz, sem destinar nada para seus filhos.

Fredrick recusou-se a dividir o patrimônio com os filhos do ator, e casou-se novamente seis meses após a sua morte. Isto repercutiu muito mal, e a atriz nunca mais teve convites para atuar. Ela tornou-se alcoólatra, e morreu em consequência do uso abusivo do álcool em 1994, com apenas 39 anos de idade.

Após a polêmica envolvendo o testamento, todo material publicitário de A Viagem dos Condenados excluiu o nome ou a imagem da atriz, que era uma das protagonistas.





Assista A Viagem dos Condenados (Voyage of the Damned, 1976), completo e com legendas em português aqui.
(é preciso configurar as legendas para português no botão detalhes)






Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil