Myrtle Gonzalez, a primeira estrela latina em Hollywood morreu na pandemia da Gripe Espanhola


Tendo atuado em 80 filmes em apenas 04 anos de carreira, Myrtle Gonzalez é considerada a primeira estrela latina a conquistar Hollywood, ainda nos tempos do cinema mudo. Infelizmente, sua breve trajetória foi interrompida bruscamente em 1918, aos 27 anos de idade, pois a atriz foi uma das milhares de vítimas da pandemia da Gripe Espanhola, que dizimou aproximadamente 5% da população mundial.


Embora fosse norte-americana, nascida na Califórnia em 28 de setembro de 1891, Myrtle Gonzalez era filha de um nativo da região mexicana da Califórnia. Já sua mãe, Lillian Cook, era uma ex-cantora de ópera irlandesa.

Incentivada pela mãe Myrtle começou a cantar como soprano em igrejas e eventos locais beneficentes, tendo dividido o palco com as artistas Fanny Davenport e Florence Stone. Em 1911 ela se casou com o ator J. Parks Jones, com quem teve um filho. Ele era um homem de teatro, mas migraria para o cinema em 1915, tendo atuado até 1929.

Em 1913 Myrtle foi contratada pelo estúdio Vitagraph, um dos mais importantes da época, no filme The Yellow Streak (1913). Ela fazia um papel coadjuvante em seu filme inicial, mas logo foi promovida a estrela do estúdio.

Myrtle estrelou cinco filmes ao lado de William Desmond Taylor (que seria assassinado em 1922), Her Husband's Friend (1913), Tainted Money (1914), Millions for Defense (1914), The Kiss (1914), e Capitain Alvarez (1914), mas ficou mais conhecida pelo papel de Enid Maitland no drama The Chalice of Courage (1915), contracenando com William Duncan Os críticos apelidaram a atriz de de "O lírio branco virgem das telas".

Myrtle Gonzalez em The Girl of Los Lake (1916) 

Em muitos de seus filmes, interpretou heroínas em filmes na selva ou na neve.


Quando ingressou no cinema, ela ainda era oficialmente casada, mas havia sido abandonada pelo primeiro marido, com um filho para criar, por volta de 1912. O divórcio finalmente saiu, em 1917, e Myrtle se casou novamente, com o diretor e ator Allen Watt, que era assistente de direção da Universal, estúdio com o qual ela assinou contrato em 1916.


Myrtle mudou-se como Watt para Washington, e parou temporariamente de atuar. Ela pretendia voltar após aproveitar um pouco a vida de casada, mas seus planos não se realizaram. Ele foi convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, e ela ficou na residência do casal.

Em 22 de outubro de 1918 a atriz morreu vítima da  Gripe Espanhola, com apenas 27 anos de idade. Infelizmente, a maior parte do seu trabalho esta perdida, assim como quase todas as produções da Vitagraph.


Myrtle Gonzalez não foi a única artista a perder a vida na pandemia. Conheça as outras vítimas na matéria abaixo:

Os artistas que morreram durante a pandemia da gripe espanhola


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube


1 comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil