Heitor Villa-Lobos em Hollywood


Nascido no Rio de Janeiro, em 05 de março de 1887, o compositor, maestro, violoncelista, pianista e violonista Heitor Villa-Lobos escreveu mais de 2000 obras, e é um dos compositores brasileiros mais famosos internacionalmente.

No cinema, sua obra foi usada em diversas trilhas sonoras, inclusive internacionais, como no recente Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Grey, 2015), onde é possível ouvir sua Bachianas Brasileiras nº 5.

Mas Villa-Lobos também compôs especificamente para o cinema, sendo que a primeira vez foi para o filme O Descobrimento do Brasil (1937), de Humberto Mauro.


Em 1942 ele apareceu no documentário South of the Border with Disney (1942), produzido por Walt Disney, sobre a sua viagem ao Brasil e América Latina. E em 1946 o filme Sempre Te Amei (I'Ve Always Loved You, 1946), produzido pela Republic Pictures, tornou-se a primeira produção estrangeira a utilizar uma composição de Villa-Lobos.

Heitor Villa-Lobos e Walt Disney

Mas em 1959 o compositor foi contratado pela MGM para trabalhar no filme A Flor que Não Morreu (Green Mansions, 1959), dirigido por Mel Ferrer e estrelado por Audrey Hepburn e Anthony Perkins.






Porém, a chegada em Hollywood chegou tarde em sua carreira. O filme foi lançado em setembro de 1959, e em 17 de novembro do mesmo ano o compositor faleceu, aos 72 anos de idade.

Sua vida foi contada nas telas por Zelito Vianna no filme Villa-Lobos: Uma Vida de Paixão (2000), tendo Marcos Palmeira e Antônio Fagundes no papel do maestro, em fases diferentes da vida.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil