Pier Angeli morreu por amor a James Dean


A atriz italiana Pier Angeli encantou Hollywood na década de 50, ao lado de sua irmã gêmea, a também atriz Marisa Pavan. Recém chegada a Hollywood, a atriz se apaixonou por James Dean, que a correspondeu. Porém, a atriz foi proibida de casar com seu amado.


Anna Maria Pierangeli nasceu em Cagliari, Itália, em 19 de junho de 1932. Estudando artes em Roma, Pier Angeli chamou a atenção dos diretores Vittorio de Sica e Leonid Moguy, que a convidaram para estrelar Amanhã Será Tarde Demais (Domani è troppo tardi, 1950), filme que retratava a adolescência italiana no pós-guerra.

Pier Angeli e Gino Leurini em Amanhã Será Tarde Demais

Em seguida ela estrelou Teresa (Idem, 1951), uma produção da MGM rodada na Itália, dirigida por Fred Zinneman. Foi o roteirista Stewart Stern quem escolheu Pier Angeli para o papel, após ver a sua audição. Para agradar o público norte-americano, seu sobrenome foi separado. A MGM gostou da garota, e lhe ofereceu um contrato de longo prazo.

Ainda em 1951 ela mudou-se para Hollywood com a mãe e as irmãs, já que seu pai havia falecido enquanto ela filmava Teresa. Sua irmã gêmea, Marisa Pavan, acabou sendo contratada pela Fox, e fez sua estréia no cinema em Sangue Por Glória (What Price Glory, 1952).

Marisa Pavan e Pier Angeli

Em 1952 Angeli ganhou o Globo de Ouro de Atriz Mais Promissora do ano, e em 1953 foi eleita uma das 10 "estrelas do amanhã" pelo estúdio. Ao lado de Debbie Reynolds e Carleton Carpenter (outras das "estrelas do amanhã", veio ao Brasil ainda em 1953, promover os filmes da MGM por aqui. Durante esta viagem, chegou a conhecer o comediante Mazzaropi e outras estrelas do cinema brasileiro (já contamos esta história, que pode ser lida aqui).

Após protagonizar alguns filmes menores do estúdio, ela foi escalada para estrelar a super produção O Cálice Sagrado (The Silver Chalice, 1954), um filme épico que consumiu uma fortuna em orçamento. Para coadjuvar com Pier, foi escolhido o também novado Paul Newman. Mas o filme foi um grande fracasso, tanto de crítica, quando nas bilheterias, dando um enorme prejuízo ao estúdio.

Paul Newman e Pier Angeli em O Cálice Sagrado

O fracasso do filme quase arruinou a carreira de ambos os atores, que ficaram alguns anos longe das telas para recuperarem a imagem. Porém, apesar da experiência devastadora para sua carreira, foi durante as filmagens de O Cálice Sagrado que ela conheceu outro jovem astro do cinema, o eterno rebelde James Dean.

O papel principal de O Cálice Sagrado havia sido oferecido para Dean, mas seu agente não gostou do roteiro. Apesar disto, o jovem Dean foi visitar os bastidores da produção de época, pois era amigo de Paul Newman. Eles quase trabalharam juntos em Vidas Amargas (East of Eden, 1955), mas Newman perdeu o papel para Richard Davalos.

Pier Angeli e James Dean se apaixonaram, e já faziam planos para a vida toda. Porém, o romance arrebatador entre os jovens, ela com 21 e ele com 22 anos, incomodou a mãe da atriz.





A mãe da atriz era contra o namoro, devido ao fato de Dean não ser católico, como elas. Junto com a MGM, ela pressionou a filha a abandonar o rapaz, após três meses de um namoro intenso. 

Em 24 de novembro de 1954, Pier cedeu a pressão, e casou-se com o cantor (e ator eventual) Vic Damone, italiano e católico, para a felicidade de sua mãe. Ela havia conhecido Vic durante as filmagens de O Diabo, A Mulher e a Carne (The Devil Makes Three, 1952).

James Dean, em cima de uma moto, ficou na porta da igreja vendo Pier se casar, talvez esperando que ela dissesse não e fugisse com ele dali.

Pier Angeli e Vic Damone

Pouco tempo depois, o ator morreria em um acidente de carro. Alguns biógrafos acreditam que Dean possa ter batido com seu Porcshe em alta velocidade em uma árvore de propósito, deprimido, por não ter superado a perda de sua amada.

Pier teve um filho com Vic, e divorciou-se dele em 1958. Nesta época também, pediu demissão da MGM, e retornou a Itália. Ela continuou trabalhando no cinema, mas com menos destaque, embora tenha atuado magistralmente no inglês Momentos de Angústia (The Angry Silence, 1960), que lhe valeu uma indicação ao Bafta de Melhor Atriz.

Em 1962 ela casou-se novamente, com o compositor Armando Trovaioli, com quem teve outro filho, mas este matrimônio também não durou muito. Com a carreira cada vez mais em baixa, foi aconselhada pela amiga Debbie Reynolds a retornar a Hollywood, em busca de trabalho.

Mas agora ela já não era mais a estrela do passado. Pier foi contratada para atuar no filme Octaman (1971), uma ficção científica de baixo orçamento, ao lado de Kervin Matthews (de Simbad e a Princesa, 1958). Uma bobagem desnecessária em sua carreira, que ela nem chegou a ver o filme estrear nos cinemas.

Pier Angeli em Octaman

A atriz também havia assinado contrato para entrar no elenco de Bonanza, mas em 10 de setembro de 1971 ela foi encontrada morta em seu apartamento. Pier Angeli tomou uma dose letal de remédios para dormir.

Rumores na época diziam que a atriz deixou um bilhete acusando a mãe de ter promovido uma infelicidade que ela nunca superou, embora a carta suicída nunca tenha aparecido publicamente. Porém, dias antes de morrer Pier Angeli enviou uma carta para uma amiga (que chegou após a sua morte) onde escreveu:

"... meu amor morreu no volante de um Porsche. Faz 17 anos que estou sozinha, desesperadamente sozinha. Quero encontrar paz e ser livre, e finalmente estar com meu pai e Jimmy novamente."

Aos 39 anos de idade, Pier Angeli não aguentou mais a saudade.

Em Fairmouth, a antiga casa de James Dean tornou-se um museu. Nele, é possível ver um medalhão com fotos da atriz e algumas das cartas que ela escreveu ao amado.


Em 1974 a atriz Judith Rawlins, a segunda esposa de Vic Damone (com quem ele ficou casado de 1963 a 1971) também cometeu suicídio, aos 37 anos de idade.

Pier Angeli e James Dean

Em 1972, após a morte da irmã, Patrizia Pierangeli também passou a trabalhar como atriz, mas teve uma carreira bem menos sucedida que a das irmãs mais velhas.

Patrizia Pierangeli

Pier e a irmã Patrizia

Vic Damone faleceu em 2018, aos 89 anos de idade. Marisa Pavan ainda vive, estando com 87 anos. Ela aposentou-se em 1992.

Marisa Pavan atualmente




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentário:

  1. James Dean não se acidentou contra uma árvore, mas bateu em um Ford 1946 que cruzou,imprudentemente, a frente do Porsche do ator que estava em alta velocidade.

    ResponderEliminar

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil