Erika Remberg, a atriz que a MGM não soube aproveitar


Hollywood sempre foi buscar as belas atrizes que se destacavam no cinema produzido fora do eixo norte-americano. E a austríaca Erika Remberg foi uma delas.

Erika Crobath, seu nome verdadeiro, nasceu em 15 de fevereiro de 1932, na cidade de Medan, em Sumatra (hoje Indonésia), filha de um produtor de tabaco que vivia no país. Com a chegada da Segunda Guerra Mundial seus país retornaram à Austria por questões de segurança, pois a região em que viviam era rota dos bombardeiros.


Aos dezoito anos estreou no cinema em seu país, levada as telas pelo seu marido o ator Walther Reyer, com quem ela se casara aos 17 anos.

Após separar-se de Reyer, Erika atuou em Sarajevo (Idem, 1955) ao lado do ator Klaus Kinski, com quem teve um breve romance. Após seis meses de namoro, o casal rompeu o relacionamento e Erika viajou para a Espanha para descansar. E lá, durante uma festa, conheceu o galã chileno Gustavo Rojo, por quem se apaixonou.

Erika e Gustavo começaram a namorar, mas ela precisou voltar ao seu país para cumprir o contrato de filmagem que já havia assinado. Então o casal se separou, e deram continuidade a suas carreiras.

Mas um dia, quando a atriz filmava um de seus maiores sucessos, Make Way for Lila (1958), foi surpreendida com a presença de Rojo nos estúdios, que viajara para a Suécia para visitá-la .

Eles voltaram a namorar e Rojo contou uma grande novidade, havia sido contratado por Hollywood e iria fazer um filme com Debbie Reynolds, rodado na Espanha. E ele queria levá-la consigo para os Estados Unidos.

Rojo havia sido contratado para atuar em Começou com um Beijo (A Started with a Kiss, 1959), onde interpretou um toureiro que disputava com Glenn Ford  o amor de Debbie Reynolds.

Gustavo Rojo e Debbie Reynols em um intervalo de filmagens 

Em janeiro de 1959 o casal desembarcou em Hollywood, e Rojo conseguiu um teste para a namorada na MGM, e ela foi aprovada. Eles se casaram logo ao chegar nos EUA.

Casamento de Gustavo Rojo e Erika Remberg

Erika foi escalada para estrelar Quando Explodem as Paixões (Never So Few, 1959), de John Sturges, mas logo perdeu o papel para outra européia recém chegada a Hollywood, a italiana Gina Lollobrigida. Para piorar a sua situação, a atriz descobriu que Rojo estava tendo casos extra-cojuguais com atrizes como Mammie Van Doren e Anna Kafshi, além de ter se envolvido com a colega Debbie Reynolds durante as filmagens na Espanha.

Erika chegou a ir confrontar a estrela de Cantando na Chuva (Singin' in the Rain, 1954). As brigas constantes do casal tornaram eles pessoas indesejadas nos estúdios, e a atriz teve seu contrato rescidido. Sua única incursão na telas norte-americanas foi em um episódio da série Playhouse 90 (1959).

Erika em Playhose 90
Gustavo também foi demitido da MGM, e foi para a Espanha filmar. Nos EUA ele ainda atuaria em O Milagre (The Miracle, 1959), estrelado por Carroll Baker e em algumas séries de televisão. 

Sem grandes oportunidades no cinema de sua terra natal, passou a trabalhar em diversos lugares do mundo. Inicialmente foi filmar no México, mas seus filmes mais famososo são o inglês O Circo dos Horrores (Circus of Horrous, 1960), de Sidney Hayers, e Le Bois des Amants (1960) de Claude Auntant-Lara. 

Com Anton Diffrig em  O Circo dos Horrores (Circus of Horrous, 1960).


Em 1961 ela viajou para a Espanha, onde enfim contracenou com o seu marido Gustavo Rojo, em El Amor Empieza en Sábado (1961). Eles ainda atuariam juntos em outros filmes, como o alemão Schelagerrevue (1962). 



Seu último filme juntos também foi uma produção alemã, mas rodada no Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro. Erika e Rojo estrelaram o filme Noites Quentes de Copacabana (Mord in Rio, 1963), que tinha no elenco os brasileiros Hélio Souto, Eva Wilma e Luis Gustavo.

Erika Remberg, Hélio Souto e Eva Wilma em Noites Quentes de Copacabana

No final da década de 60 a atriz começou a receber cada vez menos convites. Ela então afastou-se das telas. Erika e Rojo se separaram em 64, e ele continuou atuando, tornando-se, já maduro, um importante ator de telenovelas mexicanas, geralmente encarnando papéis de vilões. Sua filha Ana Patricia Rojo também é muito famosa nas novelas do país. Gustavo Rojo faleceu em 22 de abril de 2017, aos 93 anos de idade.


Gustavo e Ana Patricia Rojo em 2016


Erika Remberg trabalhou como tradutora de livros e montou uma botique em Munique, na Alemanha, mas esta faliu pouco tempo depois. Eventualmente fez participações esporádicas no cinema. Em 1985 casou-se com o diretor Sidney Hayers, com quem trabalhara 25 anos atrás em O Circo dos Horrores (1960). Ela faleceu na Espanha, em 10 de novembro de 2017.

Klaus Kinski e Erika Remberg em Target for Killing (1962)

Trailer de Noites Quentes de Copacabana


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil