Por Onde Anda? Burt Young, o Paulie, de Rocky: Um Lutador


A ator, lutador, escritor e pintor norte-americano Burt Young ficou famoso ao interpretar personagens italo-americanos de origem humilde e meio brutos, e talvez seja mais lembrado como o Paulie Pennino, o cunhado de Rocky Balboa na série de filmes Rocky, na qual recebeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante pelo primeiro filme, em 1977.



Geraldo Tommaso DeLouise nasceu no bairro do Queens, em Nova York, no dia 30 de abril de 1940. Descendente de italianos, e de origem humilde, ele trabalhou como vendedor e limpador de carpetes, antes de começar a atuar.

Entre 1957 e 1959 ele serviu no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos, e durante o serviço militar, participou de diversas lutas de boxe. Mais tarde, usando 3 pseudônimos diferentes, chegou a lutar profissionalmente, sendo empresariado por Cus D'Amato.



Burt Young começou a estudar atuação por acaso. Ele queria impressionar uma garota que estudava no lendário Actors Studio, e procurou Lee Strasberg para se inscrever no curso. Apesar de ser muito difícil conseguir uma vaga na escola, Strasberg gostou de Young, e aceitou sua inscrição.

Em 1969 ele conseguiu seu primeiro papel na TV, fazendo um bartender em uma série de televisão. No ano seguinte estreou no cinema, atuando em Carnival of Blood (1970).


Burt Young em Carnival of Blood

Burt foi conseguindo diversos papéis, normalmente interpretando sujeitos ligados á máfia, em filmes como Quase, Quase Uma Máfia (The Gang That Couldn't Shoot Straight, 1971), A Máfia Nunca Perdoa (Across 110th Street, 1972), Licença para Amar Até a Meia-Noite (Cinderella Liberty, 1973), O Jogador (The Gambler, 1974), Chinatown (Idem, 1974), Elite de Assassinos (The Killer Elite , 1975) e Dois Vigaristas em Nova York (Harry and Walter Go to New York, 1976).


Jack Nicholson e Burt Young em Chinatown


James Caan e Burt Young em Elite de Assassinos


O ator também fez participações em series de TV, incluindo três episódios da série Barretta. Um deles, tinha roteiro escrito pelo próprio Burt Young.

Sylvester Stallone havia assistido Elite de Assassinos, e mandou chamar Burt para um teste de um filme que ele havia escrito o roteiro. Stallone gostou do ator, e lhe ofereceu o papel de Paulie em Rocky: Um Lutador (Rocky, 1976), que deu a Young uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante.


Sylvester Stallone e Burt Young


O ator atuou em seguida em O Último Clarão do Crepúsculo (Twillight's Last Gleaming, 1977), Garotos do Coro (The Choirboys, 1977) e Comboio (Convoy, 1978), antes de repetir o papel de Paulie Pennino em Rocky II: A Revanche (Rocky II, 1979).


Burt Young em Comboio


Rocky II: A Revanche 


Ao lado de Doug McKeon, estrelou Uncle Joe Shannon (1978), um dos raros papéis de protagonistas de sua carreira. O filme tinha roteiro seu, e deu a McKeon uma Indicação ao Globo de Ouro de ator revelação.






Ele repetiu o papel de Paulie três anos depois, em Rocky III: O Desafio Supremo (Rocky III, 1982). Neste meio tempo, atuou em alguns filmes, incluindo as produções de terror Areia Sangrenta (Blood Beach, 1980) e Amityville 2: A Possessão (Amityville 2: The Posession, 1982), onde fazia um papel brutal e sombrio.


Burt Young em Amityville 2: A Possessão


Depois vieram Uma Ponte Chamada Esperança (Over the Brooklyn Bridge, 1984), Era Uma Vez na América (Once Upon a Time in America, 1984), Nos Calcanhares da Máfia (The Pope of Greenwich Village, 1984) e uma participação especial em Miami Vice, em 1984.


Burt Young em Era Uma Vez na América



Burt Young voltou a franquia Rocky em Rocky IV (Idem, 1985) e Rocky V (Idem, 1990), e foi indicado ao Framboesa de Ouro pelos dois filmes. 


Burt Young e Sage Stallone em Rocky V


Entre estes trabalhos, atuou em De Volta às Aulas (Back to School, 1986), Noites Violentas no Brooklyn (Last Exit to Brooklyn, 1989), Um Sequestro Muito Louco (Beverly Hill Brats, 1989), Vivendo na América (Wait Until Spring, Bandini, 1989) e O Casamento de Betsy (Betsy's Wedding, 1990).

Além de atuar na série Roomies (1987), onde interpretou um ex fuzileiro que resolve voltar a faculdade. Na série, o veterano dividia o quarto com o jovem Corey Haim.


Corey Haim e Burt Young em Roomies


Na década de 1990, sem muitos convites em Hollywood, foi para à Itália, onde atuou em diversos filmes. Neste período fez também algumas comédias norte americanas, e apareceu em séries de TV como Lei & Ordem (Law & Order) e Chuck Norris: O Homem da Lei (Walker, Texas Ranger).



Burt Young em Lei & Ordem


O ator voltou a aparecer em um filme de destaque quando participou da comédia Mickey Olhos Azuis (Mickey Blue Eyes, 1999), onde reencontrou o colega James Caan.





Nos anos seguintes continuou atuando na Itália, e fez alguns filmes pouco expressivos nos Estados Unidos. Entretanto, alguns diretores relembraram do seu nome, e lhe deram papéis em filmes como Pluto Nash (The Adventures of Pulto Nash, 2002) e Transamérica (Transamerica, 2005). Em 2001 ele também fez uma participação especial na série A Família Soprano (The Sopranos), onde interpretou um gangster aposentado que volta a ativa para se vingar de um afilhado.



Burt Young e Fionnula Flanagan em Transamérica


Burt Young em A Família Soprano


Em 2006 ele voltou a viver Paulie Pennino em Rocky Balboa (Idem, 2006). Porém, seu personagem não apareceu nos outros filmes da franquia. Em Creed: Nascido Para Lutar (Creed, 2015), Paulie não é mencionado, mas Stallone visita o túmulo da esposa Adrian (Talia Shire) no cemitério, e ela está enterrada ao lado do irmão Paulie.

Na época, especulou-se porque Burt Young não foi convidado para Creed? Mas Stallone nunca respondeu a esta questão. Em entrevista a uma revista, Burt Young disse acreditar que o ator queria renovar a trama, com personagens mais jovens.



Burt Young em Rocky Balboa



O ator ainda tem trabalhado bastante, aparecendo em filmes e séries de televisão. Também continua trabalhando em produções italianas.

Seus maiores destaques são os filmes Nova York, Eu Te Amo (New York, I Love You, 2008) e Ganhar ou Ganhar: A Vida é Um Jogo (Win Win, 2011). Em 2018 ele voltou a atuar na franquia Amityville, quando fez Os Assassinatos de Amityville (The Amityville Murders, 2018). 

Em 2014 protagonizou outro filme, Tom in America (2014), onde interpretava um personagem gay, destoando dos tipos que ele estava acostumado a fazer em sua longa carreira.





Recentemente, em 2019, fez uma participação na série Boneca Russa (Russian Doll) da Netflix e fez a comédia Charlie Boy (2021). Atualmente também está no elenco de cinco filmes, ainda não finalizados.


Natasha Lyonne e Burt Young em Boneca Russa


Burt Young em Charlie Boy


Em 2017, Burt Young voltou aos palcos como um chefe da máfia idoso em The Last Vig, uma peça escrita por Dave VarrialeO show aconteceu de 14 de janeiro a 19 de fevereiro de 2017, no The Zephyr Theatre em Los Angeles. 

Young também é pintor; sua arte foi exibida em galerias em todo o mundo. Como artista, colabora com o escritor Gabriele Tinti, para quem desenha a capa da coleção de poesia All Over , além de contribuir com ilustrações para o livro de arte A Man . Algumas das pinturas reais de Young foram mostradas em uma cena em Rocky Balboa quando Paulie é demitido do frigorífico. 





Ele também publicou um romance histórico de 400 páginas chamado Endings  escreveu duas peças de teatro.

Burt Young atualmente




O triste fim da atriz Gia Scala


A bela Gia Scala talvez seja mais lembrada pelo seu memorável papel em Os Canhões de Navarone (The Guns of Navarone, 1961), onde interpretou uma integrante da resistência grega, que ficou muda após sofrer terríveis torturas do exército nazista.

Pouco tempo depois, Gia Scala seria encontra morta, com apenas 38 anos de idade.

Gia Scala em Os Canhões de Navarone

Filha de pai italiano, com mãe irlandesa, Josefina Grazia Scoglio nasceu em Liverpool, Inglaterra, em 03 de março de 1934. Aos 3 anos de idade ela se mudou com a família para a Sicília, e aos 14 anos migrou para Nova York.

Gia estudou intepretação com Stella Adler e frequentou o Actors Studio, e recebeu um contrato com a Universal Studio, após participar de um programa de televisão. Ela estreou no cinema em uma pequena ponta em Tudo que o Céu Permite (All That Heaven Allows, 1955).



Gia ainda fez outros pequenos papéis nas telas, até conseguir uma melhor oportunidade em O Preço do Medo (The Price of Fear, 1956), que fez com que o estúdio lhe desse um pouco mais de atenção.

Gia fez o principal papel feminino no noir Clima de Violência (The Garment Jungle, 1957), e teve destaque em filmes como Não Caia n'Água Marujo (Don't Go Near the Water, 1957), A Espiã de Duas Caras (The Two-Headed Spy, 1958), Na Rota dos Proscritos (Ride a Crooked Trail, 1958) e Na Rota das Estrelas (Wernher von Braun, 1960).


Gia Scala em Clima de Violência

Na Rota dos Proscritos


Em 1961 ela recebeu muitos elogios pelo seu papel em Os Canhões de Navarone (The Guns of Navarone, 1961), onde contracenava com Anthony Quinn e Gregory Peck. O filme também fez muito sucesso, mas não garantiu a atriz a continuidade na Universal.




Curiosamente, sua consagração cinematográfica foi também o último grande filme de sua carreira. Problemas pessoais fizeram a atriz perder o controle, e prejudicaram sua vida artística.

A mãe de Gia havia falecido no final de 1957, e a atriz entrou numa profunda depressão. Ela também passou a beber muito, e acabou tornando-se alcoólatra. Emocionalmente abalada, Gia cometeu sua primeira tentativa de suicídio em 1958.

A atriz começou a se atrasar para as filmagens, e foi presa algumas vezes ao dirigir embriagada, além e a Universal resolveu que não iria gastar recursos para tentar preservar a imagem de sua contratada.

Em 1959 Gia havia se casado com o ator Don Burnett, com quem havia contracenado em Não Caia n'Água Marujo. A carreira de Burnett (que depois tornou-se um bem sucedido corretor da bolsa de valores) nunca havia emplacado, e com Gia demitida, o casal aceitou ir para à Europa, fazer um filme de baixo orçamento, Il Trionfo di Robin Hood (1962), que tinha o casal como protagonistas.

Este foi o último filme de Don Burnett.


Don Burnett e Gia Scala em Il Trionfo di Robin Hood

As crises da atriz eram tão graves, que ela foi internada algumas vezes em clínicas psiquiátricas. Nos intervalos, durante a estabilidade, ela conseguiu alguns trabalhos na televisão, aparecendo em séries de TV como Viagem ao Fundo do Mar (Voyage to the Bottom of the Sea) e Tarzan, a série estrelada por Ron Ely.


Gia Scala em Viagem ao Fundo do Mar

Seu último trabalho no cinema foi no filme espanhol Operación Dalila (1967). Na televisão, ela aindafez participações nas séries O Rei dos Ladrões (It Takes a Thief) e Os Audaciosos (The Name of the Game), ambas em 1969.


Tina Scala em O Rei dos Ladrões

Em setembro de 1970 Don Burnett e Gia Scala se divorciaram, e o ator pediu uma ordem restritiva contra ela, alegando temer agressões. Um ano após o divórcio, ele voltou a se casar, com a também atriz Barbara Anderson.

Gia Scala, que estava se recuperando, voltou a beber. Ela chegou a se jogar da ponte de Londres, mas foi resgatada por um taxista que a socorreu. Ela voltou a ser presa após agredir um funcionário de um estacionamento, após se recusar a pagar 50 centavos a mais por ter ultrapassado o tempo contratado.

E em julho de 1971 ela sofreu um grave acidente de carro, após capotar seu veículo em um desfiladeiro. A atriz perdeu o dedo indicador no acidente. Sua amiga, a atriz Anna Kashfi (a falsa hindu que enganou Hollywood e casou-se com Marlon Brando), pediu a guarda legal de Gia, que estava mentalmente incapacitada judicialmente.

Tina então começou a pintar como terapia, e passou a conviver mais com a irmã mais nova, a atriz Tina Scala. E aparentava estar melhorando, tanto que saiu da casa de Kafshi.

Mas em 30 de abril de 1972 ela foi encontrada morta em um quarto de hotel, após misturar álcool e pílulas para dormir. Ela tinha apenas 38 anos de idade.

A autopsia atestou overdose acidental, mas Tina Scala nunca aceitou o fato de que a irmã teria cometido suicídio. Principalmente pelo fato da atriz ter sido encontrada nua na cama, com hematomas em seu corpo, e sangue no travesseiro.

Para muitos, a atriz na verdade foi assassinada, mas a polícia nunca deu muita importância para o caso, que foi encerrado rapidamente.




Leia também:  O drama de Susan Peters


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

O Tarzan Gordon Scott


Johnny Weismuller foi o primeiro ator a interpretar Tarzan na era do cinema sonoro, e talvez seja o mais famoso dos artistas a interpretar o Homem Macaco, criado por Edgar Rice Burroughs. Quando deixou o papel, Weismuller foi substituído por Lex Baker, e Gordon Scott assumiu o papel, a partir de 1955.



Gordon Merrill Werschkul nasceu em Portland, em 03 de agosto de 1926. Gordon Scott começou a fazer fisiculturismo na Universidade, com o intuito de conquistar garotas. Ele praticava luta (wrestling) e musculação, onde adquiriu seu físico avantajado.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ele tornou-se instrutor da infantaria do exército, além de ensinar lutas (como judô), para os soldados. Após dar baixa, trabalhou como bombeiro, vaqueiro, pescador e lutador profissional, antes de conseguir emprego como salva vidas da piscina de um hotel, em Las Vegas.




Foi trabalhando neste hotel que ele chamou a atenção de agentes de talento de Hollywood, que notaram o seu tórax definido e seus biceps que mediam 49 centímetros. Sol Lester, produtor dos filmes de Tarzan desde os tempos de Johnny Weissmuller, já havia testado mais de 200 atores para encontrar um novo Tarzan, e decidiu que Gordon Scott era a escolha certa, mesmo o rapaz não tendo nenhum tipo de experiência como ator.

Foi Lester também quem criou o nome artístico Gordon Scott, que assinou um contrato de sete anos de duração.

Scott estreou no cinema em Tarzan e os Selvagens (Tarzan's Hidden Jungle, 1955). No filme, ele contracenava com a atriz Vera Miles, com quem se casou, ainda em 1955.



Gordon Scott e Vera Milles

Com Sol Lester ele ainda fez Tarzan e a Expedição Perdida (Tarzan and the Lost Safari, 1957) e Tarzan e a Tribo Nagassu (Tarzan's Fight For Life, 1958), único filme dos quais Gordon Scott atuou que tinham a personagem Jane (interpretada por Eve Brent).


Eve Brent e Gordon Scott

Sol Lester estava perdendo os direitos de adaptações de Tarzan, e outro produtor Sy Weintraub adquiriu os direitos autorais. Ele queria mudar o aspecto selvagem de Tarzan mostrado nos filmes, fazendo o personagem mais articulado e inteligente, como nos livros originais de Burroughs.

Com Weintraub, Scott estrelou A Maior Aventura de Tarzan (Tarzan's Greatest Adventure, 1959), feito na Paramount. No filme, ele enfrentava um vilão interpretado por Sean Connery, antes de ser o James Bond.




Sean Connery em  A Maior Aventura de Tarzan 

Scott ainda fez Tarzan e os Caçadores (Tarzan and the Trappers, 1960), um piloto fracasso de uma série de televisão, que só foi lançado em 1966.

Seu último filme como Tarzan foi Tarzan, O Magnífico (Tarzan the Magnificent, 1960), onde o vilão era Jock Mahoney, um ex dublê e padrasto da futura atriz Sally Field. Sy Weintraub não gostava muito de Gordon Scott, e para o próximo filme do personagem, acabou escalando Jock Mahoney para ser seu novo interprete. 




Ator um tanto limitado, Gordon Scott ficou sem convites para trabalhar em Hollywood. E após se divorciar de Vera Miles, com quem teve um filho, ele se mudou para à Europa, onde passou a fazer filmes de aventuras no estilo de Steve Reeves. Os filmes italianos empregavam diversos fortões em epopeias estrelas por personagens como Hércules, Maciste, Golias ou gladiadores, e Gordon Scott viveu todos eles.

Scott chegou a contracenar com Reeves em Rômulo & Remo (Romulo e Remo, 1961), um dos muito sandálias e espada (peplum) que atuou na Europa.


Gordon Scott e Steve Reeves


Gordon Scott se tornou uma sensação destes filmes épicos de baixo orçamento vindo da Europa, e protagonizou diversos deles, como: Maciste Contra o Vampiro (Maciste Contro il Vampiro, 1961), Guerrilheiros do Gran Khan (Maciste alla corte del Gran Khan, 1961), O Filho do Sheik (Il Figlio dello Sceicco, 1962), O Gladiador de Roma (Il Gladiatore di Roma, 1962), Cleópatra, Rainha de César (Una Regina per Cesare, 1962), O Herói da Babilônia (L'eroe di Babilonia, 1963), Golias e a Escrava Rebelde (Goliath e la Schiava Ribelle, 1963), O Leão de San Marco (Il Leone di San Marco, 1963), Hércules Contra Moloch (Ercole contro Moloch, 1963), O Colosso de Roma (Il Colosso di Roma, 1964), Coriolano, o Herói Sem Pátria (Coriolano Eroe Senza Patria, 1964), Hércules e a Princesa de Tróia (Hercules and the Princess of Troy, 1965), entre outros.







Gordon Scott em Hércules e a Princesa de Tróia


Gordon Scott também viveu Zorro em Zorro e os 3 Mosqueteiros (Zorro e i tre Moschettieri, 1963), tornando-se o único ator a viver Zorro e Tarzan nos cinemas até o momento.





Ele também atuou em alguns western spaghetti, como O Herói do Oeste (Buffalo Bill, L'Eroe del Far West, 1964) e 5 Pistolas Com Sede de Sangue (Gli Uomini dal Passo Pesante, 1965). Ele também fez o filme de espionagem Secretíssimo (Segretissimo, 1967) e a ficção científica O Raio Infernal (Il Raggio Infernale, 1967).





Mas no final da década de 1960 seus filmes perderam popularidade, e os papéis voltaram a cessar. Ele ainda atuou, sem créditos, em Diario Segreto da un Carcere Femminile (1973), e depois abandonou a carreira.

Além de Vera Miles, o ator ainda teve outros dois casamentos, e foi pai de mais dois filhos. Ao longo dos anos, passou a participar de convenções promovidas por Danton Burroughs, neto de Edgar Rice Burroughs, que o considerava o artista que mais se aproximou do personagem criado por seu avô.


Gordon Scott autografando fotos ao lado de um fã, em 1995



Nos últimos cinco anos de vida, Scott viveu de favor na casa de um casal de fãs, (Roger e Betty Thomas), que o conheceram durante um evento em Hollywood. Scott havia perdido os laços familiares e "não tinha mais ninguém", como informaram os Thomas após a sua morte.

Gordon Scott morreu em 30 de abril de 2007, aos 80 anos de idade, devido a complicações pós-operatórias de uma cirurgia cardíaca. Nenhum parente seu compareceu ao seu funeral.







Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil