Por Onde Anda? O cantor Dudu França, do Hit Grilo na Cuca


Em 1978 o cantor Dudu França estourou nas paradas de sucesso com a música Grilo na Cuca, que fez parte da trilha sonora da novela Marrom Glacê (1979).


Era o auge do período da discoteca, e Dudu França era um dos maiores expoentes do ritmo aqui no Brasil. Ele imediatamente se tornou um astro, e virou frequentador frequente dos programas de televisão da época, como a Discoteca do Chacrinha, Programa J. Silvestre, Fantástico, Hebe Camargo ou Qual é a Música.


Hebe Camargo, Sadi Cabral, Dudu França e Caçulinha, no acordeão

Outro programa com a presença constante de Dudu França era o de Carlos Imperial. Imperial também era um grande produtor musical, e promoveu a carreira de Dudu como um dos artistas da "geração saúde", na Era do Disco. Imperial também é o compositor de Grilo na Cuca.

Carlos Imperial e Dudu França

Nascido em São Paulo, em 11 de abril de 1950, José Eduardo França Pontes, Dudu França despontou no cenário nacional no final da década de 1960, quando era integrante da banda Memphis, que cantava músicas em inglês. O público brasileiro estava descobrindo os cantores pop internacionais, e muitas bandas e artistas começaram a cantar em inglês, com pseudônimos. Pedro de Saint Germain virou Peter McGreen, Fábio Junior era o Mark Davis (ou Uncle Jack), e Maurício Alberto Kaiserman era o Morris Albert, cantor de Feelings, música que fez sucesso mundial.

Dudu França e a banda Memphis

Dudu França também gravou discos em inglês, primeiro com o nome  de Dave D. Robinson e depois Joe Bridges (uma vez que um de seus sobrenomes é Pontes).


Dudu França também emplacou outras canções em novelas. A Menina do Subúrbio esteve na trilha de Sem Lenço, Sem Documento (1977), Emaranhando tocava em Amor com Amor Se Paga e Devagar, Um Segredo embalou as cenas Pacto de Sangue (1989).


Em 1980 seu espetáculo Garra, Amor e Mulher fez muito sucesso, sempre com o Teatro Leopoldo Fróes lotado. E em 1981 Dudu tornou-se apresentador do programa Vamos Nessa, no SBT. Inicialmente, ele dividia o palco com a cantora Gretchen, que deixou a atração pouco tempo depois, devido a compromissos como cantora.

Gretchen e Dudu França no Vamos Nessa

Sozinho, Dudu França comandou a atração até 1985, sempre recebendo cantores convidados, e também cantando durante o programa.

Dudu França e Carlos Gonzaga

Dudu França e Barry White

Dudu França e Maria Alcina

Dudu França e Wilson Simonl


No auge da fama, também fez cinema, interpretando o mocinho de Os Paspalhões em Pinóquio 2000 (1982). O filme teve diversos problemas durante a produção, como a morte do diretor, que teve que ser substituído. Após muitos imprevistos, e devido a falta de dinheiro, o filme não chegou a ser distribuído nos cinemas. Dudu França também fez participações nas novelas Meus Filhos, Minha Vida (1984) e Jogo do Amor (1985).

Recentemente, pode ser visto dando depoimento nos documentários Eu Sou Carlos Imperial (2016) e História Secreta do Pop Brasileiro (2019).


Na década de 1990, entretanto, Dudu França não era mais tão presente na mídia. Ele constituiu família, e seguiu trabalhando, fazendo shows e gravando discos. Posteriormente, tornou-se cantor gospel, e voltou a cantar em inglês, cantando sucessos de Frank Sinatra.


Em janeiro de 2021, entretanto, Dudu França voltou a mídia ao participar do programa The Voice Brasil +, cujos candidatos são cantores com mais de 60 anos de idade. Zé Alexandre, outro veterano, também está no programa.

Dudu França no The Voice Brasil






0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil