Nastassja Kinski completa 60 anos


Filha do ator Klaus Kinski, a atriz e modelo Nastassja Kinski estrelou clássicos do cinema, como Tess - Uma Lição de Vida (Tess, 1979), dirigido por Roman Polanski e Paris, Texas (Idem, 1984), dirigido por Wim Wenders, e tornou-se musa dos filmes alternativos da década de 1980.


Nastassja Aglaia Nakszynski nasceu em Berlim, na Alemanha, em 24 de janeiro de 1961. Ela é filha do renomado ator alemão Klaus Kinski com sua esposa, a atriz Ruth Brigitte Tocki. Por parte de pai, ela é irmã dos também atores Pola e Nikolai Kinski.

Klaus Kinski e Ruth Brigitte Tocki

Klaus e Pola Kinski


Os pais de Nastassja se divorciaram quando ela tinha 10 anos de idade, e a menina raramente via o pai. Em dificuldades financeiras, Ruth mudou-se com a filha para uma comunidade alternativa em Munique.

Adolescente, Nastassja começou a trabalhar como modelo, e a atriz Lisa Kreuzer a ajudou a conseguir seu primeiro papel no cinema, no filme Movimento em Falso (Falsche Bewegung, 1975), de Wim Wenders.

Nastassja Kinski e Hanna Schygulla em Movimento em Falso

No ano seguinte atuou em Uma Filha Para o Diabo (To the Devil a Daughter, 1976), uma produção de terror da Hammer, estrelada por Christopher Lee. Ela aparecia completamente nua no filme, e na época, tinha apenas 14 anos de idade. Em seu filme anterior também havia feito cenas de topless. Anos mais tarde, em entrevista a revista W, declarou que se sentiu explorada pela indústria cinematográfica em seu começo e que desejava que existissem leis para proteger menores na época. Nastassja era muito nova, e não sabia se impor diante dos produtores, mas por dentro, como falou na entrevista, "se sentia destruída".

Nastassja Kinski e Christopher Lee em Uma Filha Para o Diabo

Sob direção de Alberto Lattuada, Kinski estrelou Tentação Proibida (Così Come Sei, 1978), ao lado do veterano Marcello Mastroianni. O filme recebeu críticas muito positivas, e foi muito bem aceito nos Estados Unidos, projetando o nome da Nastassja internacionalmente. A revista Time escreveu que a jovem atriz era "simplesmente arrebatadora, genuinamente sexy e espirituosa".

Marcello Mastroianni e Nastassja Kinski em Tentação Proibida

Nastassja tinha conhecido o diretor Roman Polanski em uma festa, em 1976, e ela a incentivou a estudar o método de interpretação de Lee Strasberg, em Nova York. Após ela estudar com Strasberg, Polanski lhe deu o papel principal no filme Tess - Uma Lição de Vida (Tess, 1979). Nastassja ficou mais de um ano se preparando para o papel, fazendo leituras de textos com o cineasta, ao mesmo tempo que recebia treinamento de Kate Flemming, do National Theatre de Londres. O filme foi indicado a seis Oscars, incluindo a categoria de Melhor Filme, e venceu três estatuetas.

Nastassja não foi indicada ao Oscar, mas foi indicada ao Globo de Ouro de Melhor Atriz, e levou o prêmio como atriz revelação do ano.

Nastassja Kinski em Tess - Uma Lição de Vida

A atriz tornou-se a nova sensação de Hollywood, ainda mais depois de um ensaio sensual feito pelo lendário fotógrafo Richard Avedon. Kinski, com o corpo nu, enrolada em uma cobra píton, estampou a capa da revista Vogue, em 1981. A imagem também virou um pôster que bateu recordes de venda, e a transformou em um símbolo sexual do começo da década.


Morando nos Estados Unidos, Nastassja dividiu apartamento com outra jovem atriz em começo de carreira, a futura estrela Demi Moore. Mas o primeiro filme norte-americano, O Fundo do Coração (One from the Heart, 1981), que era dirigido por Francis Ford Coppola, foi um fracasso de bilheteria. Depois a atriz esteve no terror A Marca da Pantera (Cat People, 1982) e contracenou com Rudolf Nureyev em atuou em Entre a Vida e a Morte (Exposed, 1983).

Fluente em alemão, francês, inglês e italiano, conciliou sua carreira nos Estados Unidos com a europeia. Na França, ao lado de Gerard Depardieu, atuou em A Lua na Sarjeta (La Lune Dans le Caniveau, 1983). Nos Estados Unidos, fez as comédias Um Hotel Muito Louco (The Hotel New Hampshire, 1984) e Infielmente Tua (Unfatithfullhy Yours, 1984), está última ao lado de Dudley Moore.

Nastassja Kinski e Dudley Moore

Em 1984 ela voltou a trabalhar com Wim Wenders em Paris, Texas (Idem, 1984), um dos filmes mais aclamados de sua carreira. O filme ganhou o prêmio máximo no Festival de Cannes, e é uma obra cultuada entre os cinéfilos.



Apesar de atuar muito na década de 1980, seus filmes não eram exatamente campeões de bilheteria, apesar de serem produções respeitadas pela crítica. Atuando tanto nos EUA quanto na Europa, Nastassja fez Os Amantes de Maria (Maria's Lovers, 1984), A Revolução (Revolution, 1985), Harem (1985) e Em Noite de Lua Cheia (In Una Notte di Chiaro di Luna, 1989).

Em 1991 seu pai faleceu, e Nastassja se recusou a ir no seu funeral. Perguntada o porque, ela revelou que além de ausente, ele era um pai abusivo, e que se pudesse faria de tudo para botá-lo atrás das grades. Antes de morrer, Kinski escreveu um livro onde contava que manteve relações sexuais com Nastassja, mas a atriz disse que apesar dele tentar abusa-la sexualmente, nunca de fato conseguiu. No livro, entretanto, ele insinuava que teve um relacionamento com a filha. Em 1999 Pola Kinski, sua irmã mais velha, revelou que foi abusada sexualmente por Klaus Kinski.

Pola e Nastssja Kinski

A década de 1990 não foi muito boa para a atriz, que não sustentou o estrelato dos anos anteriores. Ela atuou em muitas produções europeias, e fez algumas produções norte-americanas, algumas delas filmes de ação. Nos EUA, atuou em filmes como Velocidade Terminal (Termnial Velocity, 1994), Resgate Suicida (Crackjack, 1994), 1 Dia 2 Pais (Fathers' Day, 1997), Seus Amigos, Seus Vizinhos (Your Friends and Neighbors, 1998), Plano de Risco (Susan's Plan, 1998) e O Enigma do Tempo (The Intruder, 1999).

Charlie Sheen e Nastassja Kinski em Velocidade Terminal

Mas seu filme mais importante da década foi Tão Longe, Tão Perto (In Weiter Ferne, So Nah!, 1993), novamente dirigido por Wim Wenders. Ela também participou do clipe de Stay (Faraway, So Close!), da Banda U2, que fez parte da trilha sonora do filme.

Nastassja Kinski em Tão Longe, Tão Perto

Em 2001 Nastassja Kinski revelou que sofre de narcolepsia, doença que faz com que ela pegue no sono repentinamente. Devido a sua condição de saúde, atuou menos no cinema, aparecendo em filmes como Cartas Marcadas (Red Letters, 2000), Atração Sem Limite (Cold Heart, 2001), Ricos, Bonitos e Infiéis (Town & Country, 2001), O Clone (À ton Image, 2004) e Império dos Sonhos (Inland Empire, 2006), este último dirigido por David Lynch. Seu último trabalho no cinema foi em Sugar (2013).

Nastassja Kinsi em Ricos, Bonitos e Infiéis 

Nastassja Kinski em Sugar

Seu último trabalho como atriz foi no espetáculo alemão Let's Dance (2016). Nastassja Kinski tem três filhos, de relacionamentos diferentes. Seu primeiro filho Alkosha Nakszynski (1984) é fruto do relacionamento com o ator Vincent Spano, com quem ela atuou em Os Amantes de Maria. Sonja Kinski (1986), que também é atriz, é filha de se casamento com o cineasta egípcio Moussa Ibrahim. Entre 1992 e 1995 Nastassja morou com o músico e produtor musical Quincy Jones, com quem teve uma filha Kenya Kinski-Jones (1993), que é modelo.

Nastassja Kinski e os filhos

Sonja Kinski e Kenya Kinski-Jones



Nastassja Kinski, atualmente


Veja também: As Mais Belas Atrizes dos Anos 80, Antes e Depois


0 comentários:

Postar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil