Mario Lanza e Pavarotti juntos no cinema?


Há anos circula na internet um trecho do filme O Grande Caruso (The Great Caruso, 1951), onde o tenor Mario Lanza canta Ave Maria com um coral de meninos. Na cena um jovem solista divide o número com o Lanza. Até aí, não há problema, é uma bela canção em uma cena de um filme clássico.

Ave Maria - O Grande Caruso


O problema é que o vídeo é compartilhado, afirmando que o menino que acompanha Lanza seria ninguém menos que Luciano Pavarotti, um tesouro precioso que regista o encontro de duas gerações do canto lírico, não é mesmo? Só que isto nunca aconteceu!

Pavarotti nunca conheceu Mario Lanza, e tampouco contracenou como ele. Esta é mais uma das "pegadinhas" da internet, feitas por pessoas mal intencionadas cujo único intuito é angariar alguns cliques na internet. Infelizmente, essas coisas se difundem, e acabam perpetuando mentiras. Mais ou menos como as postagens que usam fotos de Sarita Montiel e Maria Felix para dizer que são a jovem Angeline Fernandez (A Bruxa do 71, de Chaves). Leia sobre isso aqui.

Mario Lanza nasceu em 1921, e Pavarotti em 1935, uma diferença de idade de apenas 14 anos. Além do mais, sendo o filme de 1951, Pavarotti teria 16 anos na época, e claramente o menino é bem mais novo.

Luciano Pavarotti, ao centro, em 1951

Mas então quem é o menino prodígio do filme? Ele se chama Michael Collins, e era membro do coral de meninos dirigido por Phillip Hayes, que acompanham Lanza na cena. Na verdade, nem é ele quem está cantando, ele foi dublado pela soprano Jaqueline (Jackie) Allen.

Pouco se sabe sobre o menino Collins, mas definitivamente ele não e Pavarotti. O tenor italiano, embora tenha estrelado o filme Uma Voz para Milhões (Yes, Giorgio, 1982), só iria trabalhar nos Estados Unidos pela primeira vez em 1965.

Michael Collins nem chegou a ser creditado no filme.

Quem foi Jackie Allen?

Jackie Allen

Jackie Allen (1925-2009), chegou a ser cantora da orquestra de Ray Conniff, e fez algumas gravações com Mario Lanza, como corista. Ela também canta Magnificat, no começo de O Grande Caruso. Allen ainda apareceu brevemente cantando em A Última Vez que Vi Paris (The Last Time I Saw Paris, 1954).

Há ainda uma outra cantora chamada Jackie Allen, que fez alguns filmes na década de 1930. Erroneamente, a filmografia de ambas também se confunde. 


A outra Jackie Allen

O Grande Caruso, cinebiografia do tenor Enrico Caruso, ainda tem Ann Blyth no elenco, e foi um dos últimos sucessos cinematográficos de Mario Lanza.  Em 1954 Lanza foi demitido após gravar as canções de O Príncipe Estudante (The Student Prince, 1954), sendo substituído por Edmund Purdon. Leia mais sobre isto, aqui.

Purdon, que dublou Lanza no filme, foi o único ator removido da calçada da fama. 

Leia também: A estrela Ann Blyth
Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil