John Bowers, o ator que inspirou Nasce uma Estrela


Nasce Uma Estrela (A Star is Born, 2018), que deu um Oscar de Melhor Canção para a cantora Lady Gaga é a quarta versão da história levada as telas do cinema. O filme mostra um astro da música entrando em decadência, enquanto seu par romântico começa a se tornar mais famosa que ele.

A primeira versão de Nasce Uma Estrela (A Star is Born, 1937) tinha um enredo parecido, mas ao invés de cantores, o casal era composto por artistas de cinema. Judy Garland e James Mason também viveram atores na versão de 1954. Já a versão de 1976, com Barbra Streissand e Kriss Kristofersson, apresentava uma dupla de cantores, como no filme de Gaga e Bradley Cooper.

Embora não seja considerado uma versão da história, Nasce uma Estrela tem muitas semelhanças com o roteiro de Hollywood (What Price Hollywood?, 1932), que mostra um diretor de cinema que entra em decadência e se suicida, enquanto sua protegida ascende profissionalmente.

O diretor de Hollywood, era ninguém menos que George Cuckor, o mesmo que dirigiria a versão com Judy Garland anos mais tarde.


Os casais das quatro versões do filme

Apesar do filme não ser exatamente uma adaptação de uma história real, ele se inspirou em várias histórias da velha Hollywood. Janet Gaynor, a protagonista do primeiro filme, foi também a primeira atriz a ganhar um Oscar.

E em Nasce Uma Estrela, ela recebe o mesmo premio, como marca da consagração de sua carreira. A cena onde Norman Maine (personagem de Fredrich March) fica embriagado e interrompe a cerimônia do Oscar, constrangendo a estrela, foi inspirada na própria vida de Gaynor.

Sua irmã, Helen Gaynor, foi quem a acompanhou naquela noite, e após tomar uma bebedeira, fez Janet passar vergonha, subindo ao palco enquanto ela recebia o premio.

O Oscar usado por Gaynor no filme era a estatueta real, que havia ganho por Aurora (Sunrise, 1928). 

Janet Gaynor em Nasce Uma Estrela

A cena onde os fãs e jornalistas cercam a atriz no funeral de Norman Maine foi inspirada na morte do produtor Irving Thalberg, onde uma multidão de pessoas cercou sua viúva, a atriz Norma Shearer,. O mesmo aconteceu com Jean Harlow, no enterro do seu marido Paul Bern (que se matou), em 1932.

Budd Schulberg, o roteirista do filme, era filho de um famoso produtor cinematográfico B.P. Schulberg, e havia crescido em Hollywood, em meio a todas essas histórias. Muitas das cenas do alcoolismo de Norman Maine, foram baseadas em seu próprio pai, cuja carreira foi arruinada pelo vício.

Nos dois primeiros filmes, o protagonista masculino chama-se Norman Maine (posteriormente ele seria chamado de John e Jack). Maine, que se suicida afogando-se no mar (nas primeiras versões), foi inspirado em alguns antigos astros decadentes. Por muitos anos afirmou-se que o personagem era inspirado em Gilbert Roland, antigo ator do cinema mudo, cuja carreira não sobreviveu ao cinema falado. Mas os diretores e roteiristas sempre negaram isso.

O filme porém, teve muita inspiração em John Barrymore, antigo astro que tinha lapsos de memória devido ao alcoolismo, não conseguindo mais decorar suas falas. Barrymore chegou a ser escalado para protagonizar a primeira versão, mas se sentiu humilhado quando o diretor sugeriu colocar uma lousa no cenário com seus diálogos, e recusou o papel. Ele então se internou em uma clínica de recuperação, onde acabou sofrendo um colapso. Barrymore nunca mais voltou a atuar.

George Cuckor chegou a visitá-lo durante a internação, e usou essas lembranças para criar algumas cenas reproduzidas por James Mason em 1954. 

O filme ainda mostrava a conflituosa relação entre astros que viram suas carreiras decairem, enquanto suas esposas despontavam, como os atores Frank Fay e Barbara Stanwyck, o diretor Bernard J. Durning e a atriz Shirley Mason, o produtor John McCormick e a atriz Colleen Moore e o próprio Gilbert Roland e a atriz Virginia Bruce.

 Frank Fay e Barbara Stanwick

Outro casal que serviu de inspiração para o filme foi a atriz Helene Chadwick e o diretor William Wellman, que dirigiu a primeira versão de Nasce Uma Estrela. Helene estreou no cinema em 1916, e era uma grande estrela quando se casou com o desconhecido Wellman, em 1922. Sua carreira também entrou em franca decadência, enquanto seu marido tornava-se um dos diretores mais importantes da história do cinema. Eles se separaram em 1923.

O último filme de Helene Chadwick foi justamente Nasce Uma Estrela, onde ela faz figuração como uma mulher sentada na platéia do cinema. A atriz faleceu em 1940, com apenas 42 anos, após cair de uma cadeira que havia subido para pegar um objeto que estava muito alto na estante.

 Helene Chadwick

Vários antigos astros do cinema mudo fizeram figuração no filme, entre eles Jean Acker, Clara Blandick, Herbert Evans, Francis Ford, Arthur Hoyt e Marshall Neilan.


Mas a principal inspiração, sem dúvida, foi o ator John Bowers (1885-1936). 

 John Bowers

Bowers estreou no cinema em 1914, e logo se tornou um dos mais famosos atores da década de 1910. Ele atuou em quase 100 filmes até 1927, mas sua carreira foi destruída com a chegada do cinema falado. Em 1923 ele contracenou pela primeira vez com a atriz Margueritte De La Motte em Ricardo, Coração de Leão (Richard the Lion-Hearted, 1923).

Margueritte já trabalhava no cinema havia cinco anos, mas ainda era desconhecida do público. O casal se apaixonou durante as filmagens, e vieram a se casar no ano seguinte. Juntos, eles fizeram muitos filmes, e a carreira da atriz foi alavancada graças ao nome de Bowers.

Porém, aos poucos seu nome começou a aparecer nos créditos primeiro que o dele, e a medida que ela virava uma estrela, ele começava a ser esquecido pelo público.


John Bowers e Margeritte De La Motte


Com a chegada do cinema falado, ele não conseguiu fazer a transição, só sendo chamado para mais dois filmes, onde teve papéis irrelevantes.

Em 1936 John Bowers soube que seu velho amigo, o diretor Henry Hathaway, estava dirigindo Almas no Mar (Souls at Sa, 1937) em uma ilha na Costa de Santa Catalina, região onde ele morava. Bowers então alugou uma lancha e foi até lá, pedir um papel no filme. Hathaway disse que todos os papéis estavam preenchidos, e que o estúdio não o aceitaria a ser que ele o escalasse como figurante.

Na volta para casa, o ator jogou-se ao mar, suicidando-se em 17 de novembro de 1936, aos 50 anos de idade. Seu corpo foi encontrado alguns dias depois em uma praia.

A primeira versão de Nasce Uma Estrela foi feita poucos meses depois do falecimento do ator, que voltou a mídia graças a sua morte.

Com excessão de Barbra Streissand, todas as atrizes que protagonizaram Nasce Uma Estrela foram indicadas ao Oscar, mas nenhuma venceu. Mas assim como Lady Gaga, Barbra Streissand recebeu um Oscar de canção original, pela música Evergreen.

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil