Ator Gilberto Marmorosch morre aos 74 anos


Morreu ontem, dia 29 de janeiro, o ator carioca Gilberto Marmorosh, que atuou recentemente como o porteiro Gilmar na novela Pega Pega (2017), na Rede Globo.

De origem judaíca, Gilberto Marmorosch estreou como ator no espetáculo musical Um Violinista no Telhado (1971), ao lado das atrizes Etty Frazer e Salomé Parísio. Ele fez muitos muitos espetáculos teatrais antes de ingressar na televisão ou cinema, normalmente atuando em comédias e interpretando o papel de judeu.

Gilberto Marmorosch na peça Sorte Grande (1972)

Também radialista, teve programas nas emissoras Rádio Bandeirantes, Rádio Imprensa e Rádio Relógio. Ele estreou como ator na televisão participando do seriado infantil Caça Talentos (1996), protagonizado por Angélica.

Também participou de novelas como Ciranda de Pedra (2007), Insensato Coração (2011), Êta Mundo Bom! (2016), Haja Coração (2016) e Pega Pega (2017).

 No cinema, atuou em Oswaldo Cruz – O Médico do Brasil (2003), Viver Outra Vez (2010), Bovarius Flavus (2013), Operação X (2014) e Made in China (2014).

O ator lutava contra um câncer desde o ano passado, e estava internado desde dezembro de 2018. Ele faleceu no dia 29 de janeiro de 2018, seis dias antes de completar 75 anos, no dia 04 de fevereiro.

Gilberto Marmorosch e a atriz Berta Loran


Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

Morreu Marge Callaghan, a jogadora que inspirou o filme Uma Equipe Muito Especial


Morreu no dia 11 de janeiro, aos 97 anos de idade, a jogadora de beiseball Marge Callaghan, que inspirou o filme Uma Equipe Muito Especial (A League of Their Own, 1992).

Margaret Callaghan Maxwell nasceu em 23 de dezembro de 1921, e foi uma rebatedora canadense, que ao lado da irmã Hellen Callaghan, tornou-se uma atleta profissional do esporte em 1943. Com a entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, muitos jovens norte-americanos se alistaram no exército, indo lutar nos campos de batalha.



Em 1943 a temporada de beiseball foi suspensa pela falta de jogadores, e foi fundada a All-American Girls Professional Baseball League (AAGPBL), uma liga de jogadas femininas, para preencher a lacuna esportiva deixada com a guerra. Helen Callagham também fazia parte da liga, mas as irmãs brigaram ao longo da primeira temporada, passando a competir em times opostos.

Marge Callaghan jogou profissionalmente até 1951. Em 1988 foi criada uma exposição permanente da AAGPBL no Hall da Fama e Museu do Beisebol em Cooperstown, Nova York, com a presença de várias das jogadoras da época. Um ano antes, elas haviam participado do documentário A League of Their Own (1988).

 Lori Petty, Tom Hanks e Geena Davis em Uma Equipe Muito Especial

Em 1992 a diretora Penny Marshall lançou o filme Uma Equipe Muito Especial (A League of Their Own, 1992). Embora não tenha usado os nomes reais de Marge e Helen, o filme conta a história das irmãs, interpretadas por Geena Davis (Marge) e Lori Petty (Helen). No elenco ainda o ator Tom Hanks, a cantora Madonna e a atriz Rosie O'Donnell.

Helen faleceu em 1992, e não apareceu no filme. Marge Callaghan também não participou, mas muitas das jogadoras originais interpretaram a sim mesmo, na cena final onde as jogadoras se encontram.


Marge Callaghan recentemente

Marge Callaghan morreu em 11 de janeiro de 2019, aos 97 anos. 


morre aos 75 anos


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Troy Donahue, de galã a mendigo


Nas décadas de 50 e 60 o galã Troy Donahue fez muitas mulheres suspirarem. Mas ao mesmo tempo que ele se tornou um astro rápido, sua carreira decaiu bruscamente no final dos anos 60. A briga com a Warner, e algumas de suas atitudes, foram as principais responsáveis pelo seu declínio.


Merle Johnson Jr. nasceu em 27 de janeiro de 1936, em Nova York. Filho e um gerente do departamento de cinema da General Motors e da atriz teatral Edith Frederickson, Donahue cresceu em meio a atores da Broadway, como Gertrude Lawrence, mas seus pais não queriam que ele fosse ator. Em uma entrevista certa vez declarou: "Minha mãe me ajudaria, mas meus pais não queriam que eu me tornasse um ator. Eles preferiam algo mais estável - médico, advogado, chefe índio, qualquer coisa."

Aos 14 anos seu pai faleceu, e sua mãe o colocou na acadêmia militar de Nova York, onde ele foi colega de classe de Francis Ford Coppola. Ele quis ingressar no exército, mas foi dispensado devido a uma lesão no joelho.

Aos 18 anos ele mudou-se para Nova York, e fez aulas de atuação com Ezra Stone, e depois mudou-se para Hollywood, onde arrumou emprego em um restaurante. Um dia ele serviu a mesa do produtor William Asher e do diretor James Sheldon, que se impressionaram com a beleza do rapaz e o convidaram para um teste na Columbia, mas ele não teve sucesso. 

A atriz Fran Bennett o apresentou para o agente Henry Wilson, o mesmo responsável por promover os atores Rock Hudson, Tab Hunter e Guy Williams. Foi ele quem criou seu nome artístico. Williams conseguiu um teste para Donahue na Universal,  que lhe ofereceu um contrato. Ele estreou em uma pequena ponta em Alucinado pela Vingança (Man Afraid, 1957). O ator seguiu fazendo pequenos papéis no estúdio, até que lhe deram uma melhor oportunidade em Estação do Amor (Summer Love, 1958). Donahue seguiu atuando em papéis ainda pequenos, mas melhores em filmes como Tudo Pelo Teu Amor (This Happy Feeling, 1958) e O Poço da Perdição (Live Fast, Die Young, 1958).
Seu primeiro papel de destaque, embora ainda pequno, foi em Imitação da Vida (Imitation Of Life, 1959), como o rapaz que espanca a namorada ao descobrir que ela é parte negra.

Susan Kohner e Troy Donahue em Imitação da Vida

Troy Donahue então foi para a Warner Brothers, onde o diretor Delmer Daves o escalou para protagonizar Amores Clandestinos (A Summer Place, 1959), ao lado de Sandra Dee. O filme fez um grande sucesso, e transformou Troy Donahue em um ídolo, principalmente entre as adolescentes. Por seu trabalho, ele ganhou um Globo de Ouro de Ator Mais Promissor do ano.

A Warner então o colocou como protagonista de Surfiside 6 (1960-1962), uma série derivada de 77 Sunset Street. Donahue atuava ao lado de Van Williams (o futuro Besouro Verde) e Lee Peterson.

 Troy Donahue e Sandra Dee em Amores Clandestinos

Em seguida ele fez parte do elenco do filme catástrofe Céu de Agonia (The Crowded Sky, 1960), estrelado por Dana Andrews e Rhonda Fleming. Ele chegou a ser escalado para Clamor do Sexo (Splendor in the Grass, 1961), mas acabou perdendo o papel para Warren Beatty.

Delmer Daves o escalou novamente para atuar em No Vale das Grandes Batalhas (Parrish, 1961), onde fez par romântico com Connie Stevens. A dupla voltaria a atuar em O Erro de Susan Slade (Susan Slade, 1961), também dirigido por Daves.

Daves ainda escalou o ator para outro grande sucesso, O Candelabro Italiano (Rome Adventure, 1962), co-estrelado por Suzanne Pleschette. Depois Donahue  atuou em Weekend em Palm Springs (Palm Springs Weekend, 1963), novamente ao lado de Connie Stevens. O filme ainda tinha no elenco Ty Hardin e Jerry Van Dyke, e foi um dos primeiros trabalhos no cinema do futuro Tarzan Mike Henry.


Suzanne Pleschette e Troy Donahue em O Candelabro Italiano


Donahue recebia cerca de 7.500 cartas de fãs por semana, e também foi eleito o a 20ª estrela mais popular dos EUA. Ele também se aventurou como cantor, lançando alguns singles pela gravadora da Warner, mas nenhuma de suas gravações entrou na lista do top 100 da Billboard. Após Surfside 6 ser cancelada, ingressou no elenco de outra série, Hawaiian Eye (1959-1963).

Em 1964 ele voltou a trabalhar com Suzanne Pleschette em Um Clarim ao Longe (A Distant Trumpet, 1964). Ele e a atriz se casaram em 04 de janeiro do mesmo ano, se separando meses depois, em 08 de setembro de 1964. Haviam rumores que o ator era gay, e que o casamento foi armado para disfarçar. Mas Donahue sempre negou a homossexualidade. Em 1981, em uma entrevista a revista People ele disse que os boatos surgiram devido a confusão com outro galã loiro da época, que realmente era gay (provavelmente se referindo a Tab Hunter). Troy Donahue se casaria outras três vezes, inclusive com a atriz Valerie Allen, e viveu muitos anos com a soprano Zheng Cao.

Em 1965 ele foi escalado para viver um psicopata assassino em Meu Sangue Ficou Gelado (My Blood Runs Cold, 1965). Troy Donahue ficou feliz por fugir do estereótipo de galã, mas seu público não gostou da mudança, e o filme foi um fracasso.

Troy Donahue e Joey Heatherton em Meu Sangue Ficou Gelado

Descontente com os rumos de sua carreira na Warner, ele pediu a rescisão de seu contrato, que venceria só em 1968. Jack Warner aceitou, mas como vingança, usou sua influência para impedir que Donahue trabalhasse em outro estúdio. Ele ainda conseguiu fazer mais dois filmes em 1967, em estúdios menores, sendo que um deles, Aqueles Fantásticos Loucos Voadores (Jules Verne's Rocket to the Moon, 1967), foi feito na Europa. Depois, o ator desapareceu.

Para piorar sua situação, em 1967 ele deixou o elenco de uma peça, e foi processando, tendo que pagar uma indenização de 200 mil dólares aos produtores. Em 1968 ele declarou falência e perdeu a sua casa, mudando-se para Nova York em 1969. O ator havia se tornado um alcoólatra (ele começou a beber aos 14 anos, após a morte do pai) e estava abusando das drogas. O declínio de sua carreira agravou seu vício. Sem dinheiro, o antigo astro que tinha uma mansão e sete cadillacs de luxo, tornou-se um sem teto, indo morar nas ruas e dormindo em um banco no Central Park. Troy Donahue chegou a se prostituir para comprar drogas.

Quando Donahue conseguiu quebrar o embargo de Jack Warner, ele já estava esquecido e suas fãs tinham novos ídolos. No começo da década de 70 o ator alguns filmes irrelevantes, além de fazer inaugurações e julgar concursos de belezas para ganhar algum dinheiro. Sua posição política, tendo sido uma das primeiras celebridades a se opor a Guerra do Vietnã, e seu visual descuidado, também não ajudavam sua carreira. Em 1971 ele protagonizou o filme de terror trash Sweet Savior (1971), onde vivia um líder de uma seita assassina, cujo o roteiro era inspirado no assassinato da atriz Sharon Tate. A imprensa parecia não acreditar que aquele era Troy Donahue, o antigo bom moço da casa ao lado agora parecia com um dos hippies da época.


Troy Donahue em Sweet Savior





Ao saber de sua situação, o diretor Francis Ford Coppola, seu antigo colega de escola militar, mandou chamá-lo. Coppola lhe deu um pequeno papel em O Poderoso Chefão II (The Goodfather: Part II, 1974), como o noivo de Connie Corleone. No filme, seu personagem se chama Merle Johnson, seu nome de batismo. Com o salário de 10 mil dólares recebido pelo filme, o ator conseguiu sair das ruas. Ainda em 1974 ele trabalhou em Seizure (Idem, 1974), o primeiro filme do diretor Oliver Stone e Galo de Briga (Cockfighter, 1974).

Troy Donahue e Morgana King em O Poderoso Chefão II


O trabalho com Copolla não foi suficiente para lhe devolver a fama do passado, mas garantiu novos trabalhos. Ele apareceu em séries de TV como CHIPs, A Ilha da Fantasia (Fantasy Island) e O Barco do Amor (Love Boat). Também fez um filme nas Filipinas e viajou para o Japão, onde gozava de grande popularidade, para fazer uma série de comerciais de wisky para a televisão.

Com as finanças em dia, e mais um casamento arruinado, Donahue entrou para os alcoólicos anónimos em 1982, e parou de beber. Nessa época, ele descobriu que era pai. Seu filho, Sean, é fruto de um casamento com uma mulher com quem ele teve um breve relacionamento em 1969, mas ele só soube da existência do menino em 1983. Donahue assumiu a criança, e passou a visitá-lo todas as semanas, tendo um bom relacionamento com ele até o fim de sua vida. Ele dizia que Sean foi um presente ganho após a sobriedade.

Nas décadas seguintes ele continuou atuando, mas nunca recuperou o prestígio de antes, trabalhando em produções menores, que nada fizeram pela sua carreira, com algumas exceções. Em 1984 Troy Donahue atuou no filme A Volta Por Cima (
Grandview, U.S.A., 1984), estrelado por C. Thomas Howell, Jammie Lee Curtis e Patrick Swayze. O diretor, Randal Kleiser, lembrou em uma entrevista que durante as filmagens, muitas adolescentes se aglomeravam para ver Howell, e muita gente prestigiava Jammie Lee Curtis, mas a maior multidão eram de mulheres adultas, que queriam rever o galã de sua adolescência e o seguiam por toda parte.


Troy Donahue e Jennifer Jason Leigh em A Volta Por Cima

Em 1990 ele fez uma participação especial em Cry-Baby (Idem, 1990), do controverso diretor John Waters. O filme tem o ator Johnny Depp em um de seus primeiros papéis de destaque, e contava com a participação especial de vários artistas, como as veteranas Polly Bergen e Joey Heatherton, o roqueiro Iggy Pop, o ator David Nelson (irmão de Ricky Nelson), a socialite Patsy Hearst (famosa por ter sido sequestrada na década de 70), o muso de Andy Warhol, Joe Dallessandro, a ex estrela pornô Traci Lords, e claro, o ex galã Troy Donahue, que está irreconhecível no filme.


Joe Dallessando, Joey Heatherton, Mink Stole, Troy Donahue, Patsy Hearst e David Nelson


Seu último trabalho no cinema foi em The Boys Behind the Desk (2000), dirigido por Sally Kirkland. Em 30 de agosto de 2001 Troy Donahue sofreu um ataque cardíaco e foi internado no hospital. Ele morreu três dias depois, em 02 de setembro de 2001, com 65 anos de idade.


Sandra Dee e Troy Donahue, em 1999

O belo Troy Donahue




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube




Morre o apresentador Wagner Montes, aos 64 anos de idade



Morreu no dia 26 de janeiro o apresentador, cantor, jurado e político Wagner Montes.

Wagner Montes dos Santos nasceu em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, em 18 de julho de 1954. Ele se formou em direito, e em 1974 estreou na televisão como repórter na TV Tupi. Em 1981 ele foi para o SBT, onde apresentou diversos programas como O Povo na TV, Jornal Policial, Clube dos Artistas, Musicamp e Musidisc e fez parte do juri do programa Show de Calouros. Ainda em 1981, ele sofreu um acidente de moto, e precisou amputar a perna direita.

Também cantor, Wagner lançou quatro discos.


Em 1978 ele estreou como ator, atuando nos filmes Morte Transparente (1978) e A Pantera Nua (1979).

Wagner Montes e Bíbi Vogel em A Morte Transparente (1978)

Em 1987 ele se casou com sua colega de Juri, a atriz Sônia Lima, com quem estava casado até hoje. O filho do casal, Diego Montes, também é ator.

 Wagner Montes, Silvio Santos, Sônia Lima e o pequeno Diego Montes

Em 1990 ele entrou para a política, e atualmente exercia o cargo de deputado estadual. Também apresentava o programa Balanço Geral, na TV Record do Rio de Janeiro.

Em novembro de 2018 Wagner Montes havia sofrido um infarto, e há dois dias estava internado para tratar uma infecção urinária. Wagner Montes tinha 64 anos de idade.






Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

Paul Newman, o "substítuto" de James Dean


Durante a década de 50, as comparações entre James Dean e Marlon Brando, dois jovens, bonitos e talentosos atores vindos do Actor's Studio eram inevitáveis. Muitos acusam Dean de imitar Brando, o que particularmente acho algo injusto.

Correndo por fora também surgiu em 1954 outro jovem galã, também treinado na famosa escola de atuação de Lee Strasberg, chamado Paul Newman. Newman já tinha 29 anos quando estreou no cinema em 1954, e ao contrário dos personagens de Brando e Dean, que geralmente vivivam conflitos internos com uma rebeldia explosiva, Newman geralmente interpretava papéis mais introspectivos, irônicos e auto-confiantes.

Paul Newman assistindo a uma aula no Actors Studio

Indicado dez vezes ao Oscar, e vencedor do prêmio de Melhor Ator Coadjuvante por A Cor do Dinheiro (The Color of Money, 1986), Paul Newman teve uma longa e bem sucedida carreira. Mas seu início no cinema está diretamente ligada a figura do trágico James Dean, morto aos 24 anos de idade.

Newman tornou-se ator por acaso, ele trabalhava como vendedor de enciclopédias de porta em porta. Um dia uma amiga que desejava tornar-se atriz pediu para ele acompanhá-la em um teste para ingressar no Actor's Studio, uma das mais renomadas escolas de interpretação. As vagas eram disputadas, e os aspirantes a alunos deviam ser aprovados em um teste. O ator que faria a audição com sua amiga não compareceu, e Lee Strasberg pediu para Newman passar os textos com ela. Uma semana depois, sua amiga recebeu um telegrama dizendo que não havia sido aceita, mas Newman sim (ele não havia se inscrito, e tão pouco deixado seu endereço, por isso enviaram a comunicação para a casa dela).

Newman já havia feito alguns trabalhos como ator na televisão e em 1954 estreou no cinema em O Cálice Sagrado (The Silver Chalice, 1954). O filme era uma superprodução da Warner Brothers, e o papel de Newman havia sido inicialmente oferecido a James Dean, mas seu agente achou que o roteiro era ruim, e fez o ator recusá-lo.

Oficialmente, o primeiro filme de Dean é Juventude Transviada (Rebeld Without a Cause, 1955), mas o ator fez muitos outros filmes no começo da carreira, em papéis praticamente inexpressivos. (leia sobre isso aqui).

As duas novas apostas do filme eram os jovens Newman e a atriz Pier Angeli. Mas o filme foi um grande fracasso, e ambos receberam péssimas críticas, o que quase arruinou a carreira dos dois.



James Dean e Paul Newman eram amigos. Newman havia feito teste para viver o irmão de Dean em Vidas Amargas (East of Eden, 1955), mas foi considerado muito velho para o papel (ele tinha 30 anos na época), perdendo para o jovem Richard Davalos, de 19 anos de idade. Originalmente, o diretor Elia Kazan queria Marlon Brando e Montgomery Cliff nos papéis dos irmãos, mas ambos também foram considerados muito velhos para o filme.

Embora nunca tenham atuado juntos, o teste de elenco com os dois contracenando sobreviveu, podendo ser conferido abaixo.

Paul Newman e James Dean, em teste de elenco



Também contratado da Warner, James Dean foi visitar o amigo nos sets de filmagens, e foi lá que ele acabou conhecendo Pier Angeli, o grande amor de sua vida. Católica, a mãe de Pier não aprovava o relacionamento com o ator, e obrigou a filha a terminar o namoro com Dena, fazendo-a casar com o cantor e ator de origem italiana (a mesma de Pier Angeli) Vic Damone, com quem ela se casou em novembro de 1954. James Dean faleceria no ano seguinte, em 30 de setembro de 1955. 

Anos mais tarde, deprimida, Pier Angeli cometeria suícidio em 1971, aos 39 anos de idade. Vic Damone faleceu em 2018, aos 89 anos de idade. (leia aqui a nossa homenagem aos artistas que faleceram em 2018).

Com a morte de James Dean, um astro em franca ascensão, muitos projetos para o qual o ator estava escalado ficaram sem protagonista. Após o fracasso de O Cálice Sagrado, Paul Newman já estava há um ano sem convites para o cinema, só conseguindo emprego na televisão. E foi na televisão que ele fez o primeiro papel que originalmente seria de Dean, atuando em um episódio da série Playwrights' 56 (1955).

Newman retornou ao cinema em Marcado pela Sarjeta (Somebody Up There Likes Me, 1956), cinebiografia do lutador Rocky Marciano. O filme também foi a segunda chance de Pier Angeli, e fez muito sucesso, tornandoo jovem ator em um astro.

Mas o papel inicialmente também seria de James Dean, que já estava escalado para o elenco. Sal Mineo, o Plato de Juventude Transviada, também está no elenco.

 Paul Newman e Sal Mineo em Marcado pela Sarjeta

Newman ainda atuaria em Um de Nós Morrerá (The Left Handed Gun, 1958) e Gata em Teto de Zinco Quente (Cat on a Hot Tin Roo, 1958), ambos filmes orinalmente destinados a James Dean. Por Gata em Teto de Zinco Quente  o ator recebeu a sua primeira, de muitas, indicações ao Oscar.

James Dean ainda era cotado para dois outros projetos quando morreu prematuramente. O belo Jeffrey Hunter ficou com o papel que seria dele em Armas para um Covarde (Gun for a Coward, 1957) e Anthony Perkins acabou o substituindo em Terra Cruel (This Angry Age, 1957).

É claro que o talento de Paul Newman é inegável, e sua carreira posterior foi muito bem sucedida. Mas não podemos legar que q Warner Brothers viu nele o substítuto natural de James Dean, um astro com a carreira interrompida de forma tão brusca.





Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Compositor francês Michel Legrand, três vezes vencedor do Oscar, morre aos 86 anos


Morreu no dia 26 de janeiro o compositor francês Michel Legrand, indicado 7 vezes ao Oscar, e vencendor de 3 prêmios da Acadêmia. Legrand é o compositor de trilhas sonoras de mais de 200 filmes, incluindo o tema de Houve Uma Vez um Verão (Summer of´42, 1971), que se tornou uma das músicas mais famosas da história do cinema.


Nascido em Paris, em 24 de fevereiro de 1932, Michel Jean Legrand era filho do compositor e ator francês Raymond Legrand. Ele comeou a estudar música em 1942, e em 1954 ganhou destaque ao lançar o álbum I Love Paris vendeu mais de 8 milhões de cópias. 

Mas foi o cinema que o tornou famoso. Ele estreou como compositor de trilhas sonoras em Le Triporteur (1957), e na década de 60 começou a ser chamado pelos cineasta das da Nouvelle Vague francesa. Fez a trilha de sete filmes para Jean-Luc Godard e dez para Jacques Demy. Durante sua carreira, também trabalhou com Dizzy Gillespie, Miles Davis, Orson Welles, Jean Cocteau, Frank Sinatra e Edith Piaf. Seu último trabalho para o cinema foi em Butterfly Love, que ainda esta em fase de finalização.

Em 1966, junto com Jacques Demy foi indicado ao primeiro Oscar, por seu trabalho em O Guarda-Chuvas do Amor (Les Parapluies de Cherbourg, 1964). Em 1969 ele foi indicado novamente, pelo trabalho em dois filmes, Duas Garotas Românticas (Les demoiselles de Rochefort, 1967) e Crown, o Magnífico (The Thomas Crown Affair, 1968), vencendo o prêmio pelo último deles.

Legrand foi indicado ainda por Tempo para Amar, Tempo para Esquecer (The Happy Ending, 1969) e  Mosáico de Sonhos (Pieces of Dreams, 1970), e venceu novamente o prêmio por Houve Uma Vez um Verão (Summer of´42, 1971). Em 1983 ele voltou a ser indicado por Amigos Muito Íntimos (Best Friends, 1982) e foi indicado a dois prêmios pelo seu trabalho em Yentl (Idem, 1983), vencendo com a canção Papa, Can You Hear Me?. 

Neils Diamond, Marilyn Bergman, Michel Legrand e Alan Bergman, no Oscar de 1983

Ele também compôs as músicas de filmes como Uma Mulher é Uma Mulher (Une Femme est un Femme, 1961), A Piscina (La Piscine, 1969), As 24 Horas de Le Mans (Le Mans, 1971), 007 - Nunca Mais Outra Vez (Never Say Never Again, 1983).

Michel Legrand chegou a atuar em 8 filmes, incluindo Son dernier Noël (1957), Cléo das 5 às 7 (Cléo de 5 à 7, 1962), O Guarda-Chuvas do Amor (Les Parapluies de Cherbourg, 1964) e Aquele Apartamento (A Time for Loving, 1972). Em 1989 ele dirigiu o filme Cinq jours en juin (1989), estrelado por Annie Girardout.

 Michel Legrand e Corrine Marchand, em Cléo das 5 às 7 (Cléo de 5 à 7, 1962)

 O compositor era casado com a atriz Macha Méril, e tinha shows marcados para Paris em abril, morreu durante a noite. A causa da morte não foi revelada. 

 Michel Legrand, Kerry Bishé e Jerry Lewis, no Festival de Cannes, em 2013


Curta nossa página no Facebook 
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Jonathan Brandis, o fim de uma triste história


Na década de 90, muitas meninas suspiraram pelo ator Jonathan Brandis e seus belos olhos azuis. Protagonista de A História Sem Fim 2 (The NeverEnding Story II: The Next Charpenter, 1990) e da série SeaQuest DSV: Viagem ao Fundo do Mar (Seaquest DSV, 1993-1996), Brandis faleceu em 2003, com apenas 27 anos de idade.


Jonathan Gregory Brandis nasceu em Danbury, em 13 de abril de 1976. Aos seis anos de idade, o belo menino começou a trabalhar como modelo, e fez mais de 85 comerciais para a televisão. Seus pais então se mudaram para Los Angeles, em busca de uma carreira de ator para o filho. Ainda aos seis anos, ele estreou na televisão, participando de um capítulo da novela One Life to Live, em 1982.

O menino seguiu aparecendo em algumas séries de televisão, até estrear no cinema em um pequeno papel no filme Chutando o Pau da Barraca (The Wrong Guys, 1988). Em seu trabalho seguinte, o ator já teve um papel importante, no thriller de terror A Volta do Padrasto (Stepfather II, 1989).

Meg Foster e Jonathan Brandis em A Volta do Padrasto

Em 1990 Brandis teve sua primeira grande chance na carreira ao estrelar A História Sem Fim 2 (The NeverEnding Story II: The Next Charpenter, 1990), no papel de Bastian. No primeiro filme, Bastian, o menino trasportado para o mundo mágico havia sido vivido pelo ator Barret Oliver, mas este havia abandonado a carreira em 1989, além disto, já estava com 18 anos na época, e era muito velho para o papel.

Jonathan Brandis em A História Sem Fim 2

No mesmo ano atuou na minissérie It: Uma Obra Prima do Medo (It, 1990), baseada em um clássico do terror de Stephen King. Brandis vivia o jovem Bill Denbrough, o irmão do pequeno Georgie, sequestrado pelo palhaço assassino de Tim Cury.

Jonathan Brandis em It: Uma Obra Prima do Medo

Logo o jovem pré adolescente tornou-se um astro teen, tornando-se o novo queridinho das adolescentes, e estampando diversas capas de revistas juvenis. Ele chegou a ser cotado para viver Andy Barclay em Brinquedo Assassino 3 (Child's Play 3, 1991), mas perdeu o papel. Também fez teste para protagonizar a série Galera do Barulho (Saved By The Bell), mas foi considerado muito novo para o personagem.

Em 1992 Brandis estrelou a comédia Um Time Bom de Bola (Ladybugs, 1992), onde se vestia de mulher para jogar futebol em uma liga femina. Por seu desempenho, recebeu sua quarta indicação ao prêmio Young Artist Award, dado a atores juvenis. Ele foi um dos atores mais vezes indicado a esta premiação.

 Jonathan Brandis em Um Time Bom de Bola

No mesmo ano atuou em Unidos para Vencer (Sidekicks, 1992), ao lado de Chuck Norris. Também fez muitas participações especiais em séries de tv, onde normalmente interpretava adolescentes bonitos e populares.

 Jonathan Brandis e Chuck Norris em Unidos para Vencer


Mas apesar da popularidade, grandes filmes nunca vinham. Brandis então dublou o personagem Monzenrath na série de desenhos animada Aladdin (Idem, 1994-1995). Em 1993 ele voltou para a televisão, estrelando a série SeaQuest DSV: Viagem ao Fundo do Mar (Seaquest DSV, 1993-1996), produzida por Steven Spielberg. Brandis vivia o jovem gênio Lucas Wolencza, e contracenava com o veterano Roy Scheider, de Tubarão (Jaws, 1975). Brandis tinha profunda admiração por Scheider, que considerava seu mentor de atuação e modelo que gostaria seguir.

Jonathan Brandis chegou a dirigir e produzir alguns episódios da série, e dizia que sonhava em ser um grande ator e diretor no futuro. Por seu trabalho em SeaQuest, finalmente ganhou um Young Artist Award, após te sido indicado seis vezes.

 Roy Scheider e Jonathan Brandis em SeaQuest DSV: Viagem ao Fundo do Mar

Durante o segundo grau, Brandis, um dos adolescentes mais cobiçados da América, namorou sua colega de escola e rainha do baile do colégio Brittany Murphy, que também se tornaria atriz, e como Brandis morreu precocemente, aos 32 anos de idade.

Em 1995 o ator começou um namoro sério com a atriz Tatyana M. Ali, a Ashley Banks de Um Maluco no Pedaço (Fresh Prince of Bell Air). O namoro durou três anos, e causou polêmica por ser um relacionamento interacial.

 Jonathan Brandis e Tatyana M. Ali

Com o fim de Seaquest, Brandis não conseguiu repetir o sucesso. Os bons papéis não chegavam. Ele atuou em produções menores como Deixa Rolar (Outside Providence, 1999) e Cavalgada com o Diabo (Ride with the Devil, 1999).

Brandis tentou o papel de Annakyn Skywalker em Star Wars: Episódio II - Ataque dos Clones (Star Wars: Episode II - Attack of the Clones, 2002), mas perdeu o papel para Hayden Christensen. Em 2002 ele finalmente foi escalado para um filme importante, A Guerra de Hart (Hart's War, 2002), estrelado por Bruce Willis e Colin Farrell. Porém, todas as suas cenas foram deletadas na edição final. Brandis entrou em depressão por ter perdido uma grande oportunidade de retornar ao sucesso.

Em 11 de novembro de 2003, após jantar com amigos, Jonathan Brandis foi para casa abatido. Um amigo que havia jantando com ele foi até a sua casa ver como o ator estava, e o encontrou enforcado por uma corda. Brandis foi removido e levado para o hospital ainda com vida, mas faleceu no dia seguinte, dia 12 de novembro, com apenas 27 anos de idade. Ele não deixou nenhum tipo de bilhete explicando.

Jonathan Brandis não usava drogas, e nem costumava beber álcool com frequência, consumindo bebidas apenas socialmente com amigos. 


Jonathan Brandis, em 2002


Tatyana M. Ali, sua antiga namorada e ainda amiga, deu uma entrevista a um programa de televisão. Após declarar que sabia que Brandis estava em depressão, ela disse "Você aparece em capas de revistas durante anos! Quando isso para de acontecer...qual é a sua identidade?". Em seguida a atriz desabou a chorar, e pediu para deixar o palco.

Seus últimos filmes foram lançados postumamente, inclusive The Slainesville Boys (2004), um curta-metragem dirigido pelo ator, que sonhava em virar cineasta.

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Morreu a atriz e cantora Ruth Ferreira, aos 85 anos de idade


A atriz e cantora Paulista Ruth Ferreira, protagonista de A Sina do Aventureiro (1958), o primeiro filme dirigido por José Mojica Marins (o Zé do Caixão), faleceu no domingo, dia 20 de janeiro.

Ruth era filha da cantora de rádio Rosária de Jesus, e trabalhou como atriz, cantora de fados e vedetes. Sua filha, Maura Ferreira, também é atriz e cantora.

Rosária de Jesus e Ruth Ferreira

Ainda criança, Ruth Ferreira começou a cantar no rádio em São Paulo, sendo uma espécie de Shirley Temple paulista. Chegou a gravar quatro discos de 78 RPM no começo da década de 40, geralmente cantando fados.

Ruth Ferreira e o cantor português Manoel Monteiro

Em 1951 foi eleita a Rainha das Atrizes de São Paulo, e no ano seguinte estreou no cinema, em Sós, e Abandonados (1952). Na época, Ruth tinha apenas 18 anos de idade.

Ela faria apenas mais um filme, A Sina do Aventureiro (1958), o primeiro filme do Zé do Caixão, ainda José Mojica Marins. 

Ruth Ferreira cantou em diversas rádios, como a Rádio Record, e se apresentou inúmeras vezes na TV Tupi, Paulista e Record, na década de 50. Também trabalhou como vedete em espetáculos de revista na década de 50, sendo chamada de "o brotinho paulista".



No começo dos anos 60 deixou a carreira artística para se casar. Mas há alguns anos retornou aos palcos em alguns espetáculos burlescos em São Paulo. A atriz faleceu aos 85 anos, em São Paulo, no dia 20 de janeiro de 2019.

Ruth Ferreira, em 2018


Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil