Bruce Lee, além do mito


Bruce Lee entrou para a história do cinema como astro de filmes de artes marciais, embora o ator tenha feito muito mais filmes como ator mirim, ainda em Hong Kong. Lee, que era norte-americano de nascimento, faleceu com apenas 32 anos de idade, numa morte envolta de muitas conspirações e mistérios.


Bruce Lee nasceu Lee Jun-fan, e embora muitas pessoas acreditem que ele fosse chinês, Lee nasceu no bairro de Chinatown, em São Francisco, Califórnia, em 27 de novembro de 1940. Filho de Lee Hoi-Chuen, astro da Ópera cantonesa. Lee era membro de uma das famílias mais ricas da China.

Bruce Lee, com seus pais

Lei Hoi Chuen havia viajado para os Estados Unidos em turnê com a ópera cantonesa, e já finalizava a viagem quando o Japão invadiu Hong Kong (sua terra natal), durante a Segunda Guerra Mundial. Lei Hoi resolveu ficar nos Estados Unidos, para proteger sua família da guerra, e Bruce Lee, quarto filho do casal, acabou nascendo em solo norte-americano.

Porém, após o ataque a Pearl Harbor, os asiáticos passaram a sofrer perseguição racial e começaram a ser enviados para campos de concentração nos Estados Unidos (atores como Pat Morita e Tura Satana passaram suas infâncias nesses campos), e Lee Hoi resolveu retornar para casa. Bruce tinha apenas poucos meses quando mudou-se para Hong Kong. Seu nome de batismo (Lee Jun-fan) em Chinês, significa "retornar de novo", escolhido por sua mãe que acreditava que o filho retornaria aos Estados Unidos quando fosse mais velho.

Por influência do pai, que também era astro de cinema em seu país, o pequeno Bruce estreou no cinema ainda bebê. Com apenas seis meses de idade, ele participou do filme Golden Gate Girl (1941), um filme chinês, falado em cantonês.

Bruce Lee em Golden Gate Girl

 Aos seis anos de idade ele retornou ao cinema, atuando em The Birth of Mankind (1946), e logo tornaria-se um dos mais populares astros mirins do cinema chinês. Entre a infância e adolescência, Lee atuou em vinte filmes na China, alguns muito populares em seu país.

Bruce Lee, aos 10 anos de idade, em Xi lu xiang (1950)

A medida que crescia, Bruce Lee continuava no cinema, tornando-se ídolo das adolescentes de seu país. Ao mesmo tempo, desde cedo ele treinava artes marciais com seu pai. Aos treze anos, ele foi aluno do famoso mestre Yip Man. Tradicionalmente, os alunos eram treinados por por alunos mais avançados, e não por grandes mestres, mas seus colegas se recusavam a treiná-lo por Lee ser mestiço. Lee nascera nos Estados Unidos, e seu avô materno era alemão. Vendo a recusa de seus discípulos em ensinar o jovem Bruce, Yip Man assumiu seu treinamento, quebrando uma tradição secular.

Bruce Lee, aos 16 anos, em Zha dian na fu (1956)

Mas a Hong Kong do pós guerra era um lugar difícil para se crescer, mesmo para as famílias mais abastadas. Dominada pelo Japão, havia muitas gangues pelas ruas da cidade, e Bruce, astro adolescente do cinema era alvo delas. O jovem acabou se envolvendo em muitas brigas, e tornou-se membro de uma gangue também.

Em 1959 ele se envolveu em uma briga, e espancou um oponente que era membro da Tríades, uma perigosa sociedade secreta chinesa. Lee chegou a ser preso, mas foi solto após a polícia checar a ficha criminal de seu oponente. Com medo de represália, e com o fraco desempenho escolar do filho, seus pais resolveram enviá-lo para os Estados Unidos, para viver com sua irmã, que já morava por lá.

Lee chegou aos Estados Unidos com 18 anos de idade, levando no bolso apenas 100 dólares e dois títulos de campeão de boxe obtidos em Hong Kong (em 1957 e 1958). Ele já estava na América quando Ren hai gu hong (1960), seu último filme feito na China, estreou nos cinemas.

Bruce Lee em Ren hai gu hong 

As coisas não foram fácil em seu começo norte-americano. Lee morou de favor na casa de amigos de seus pais, e o antigo astro do cinema de família abastada, precisou trabalhar como garçon e lavador de pratos para sobreviver. Ele terminou o ensino médio nos EUA, e em 1961 matriculou-se na Universidade de Washington, onde estudou filosofia. Foi na Universidade que ele conheceu Linda Emery, com que se casou em 1964.

Lee abriu sua primeira escola e artes marciais, com o nome de Lee Jun Fan Gung Fu Institute, em Seatle. A escola criou polêmica entre os lutadores orientais tradicionais, por aceitar alunos não orientais . Lee era um mestiço revelando segredos milenares do oriente aos ocidentais.

Em 1964 ele mudou-se com a esposa para Oakland, onde montou sua segunda escola, a Jun Fan. Foi lá que ele conheceu o lutador Ed Parker (considerado o introdutor do karatê nos Estados Unidos). Parker era organizador do Torneio Internacional de Karatê em Long Beach, e foi neste torneio que Lee foi descoberto por um produtor de Hollywood.

Em 1965, ano em que nasceu seu primeiro filho, o também ator Brandon Lee, Bruce derrotou o lutador Wong Jack Man, que era contra a ideia de Lee de ensinar artes marciais a não orientais. A luta durou apenas três minutos (o que Lee considerou longa demais). O produtor William Lee Dozier assistiu a luta, e através de um amigo em comum, o cabeleireiro Jay Sebring , o convidou para viver o personagem Kato na série O Besouro Verde (The Green Hornet, 1966-1968). Jay Sebring, que fez alguns trabalho como ator, era seu aluno, e foi assassinado junto com Sharon Tate, em 1969.

Bruce Lee, que havia desistido de ser ator, logo tornou-se o astro da série. Kato, o fiel assistente do Besouro Verde, logo começou a ofuscar Van Willians, o protagonista da série.


Bruce Lee e Van Williams em O Besouro Verde

A série, apesar da curta duração, fez muito sucesso. Os personagens chegaram a aparecer na lendária serie Batman, estrelada por Adam West e Burt Ward. Em Batman, Kato lutou com o menino prodígio Robin, interpretado por Burt Ward. Ward havia sido aluno de Lee, e era seu vizinho e grande amigo.

Bruce Lee enfrenta Robin em Batman

Ao todo Bruce Lee (e Van Willians) apareceu em três episódios das série, inclusive aparecendo nas famosas cenas das janelas, onde celebridades faziam participações especiais em Batman.

Bruce Lee, Van Williams, Burt Ward e Adam West em Batman

Apesar do sucesso, a série tinha um alto custo, e os estúdios resolveram cancelá-la após a primeira temporada, para investir em produções como Batman, que dava mais lucro.

Bruce Lee então fez algumas participações em séries como Blondie e Ironside, e em 1969 fez sua estreia no cinema norte americano atuando em Detetive Marlowe em Ação (Marlowe, 1969).  Lee tinha um pequeno papel, interpretando um capanga que destruia o escritório do detetive Marlowe (papel de James Garner), para intimidá-lo.

Bruce Lee e James Garner em Detetive Marlowe em Ação

Em 1971 Bruce Lee apresentou para a Warner Brothers um projeto de uma série de televisão chamada The Warior, que se passava no velho oeste. Os estúdios gostaram da ideia, mas acharam que um protagonista chinês não agradaria ao público. Lee foi dispensado do projeto, e a Warner rebatizou a serie como Kung Fu, tendo David Carradine como astro. Bruce Lee não ganhou nem ao menos créditos pelo projeto.

Desgosto com a atitude do estúdio, e com os papéis que Hollywood lhe destinava, retornou a Hong Kong. Lee não sabia que a serie O Besouro Verde havia passado por lá, sendo rebatizada de O Show de Kato. Novamente astro em seu país, ele mal podia andar na rua tamanho era seu sucesso.

O produtor Raymond Chow então o convidou para atuar em dois filmes produzidos por sua produtora, a Golden Harvest. Bruce Lee então estrelou O Dragão Chinês (Tang shan da xiong, 1971), e o filme fez um grande sucesso, batendo recordes de bilheterias em toda a Ásia.

Em seguida foi lhe dado o controle completo de produção do filme O Vôo do Dragão (Meng long guo jiang, 1972). Bruce Lee além de astro do projeto, foi o escritor, diretor e coreógrafo das cenas de lutas. O filme novamente fez um enorme sucesso, batendo os recordes de seu filme anterior. O Vôo do Dragão também fez sucesso, agora internacional, projetando seu nome mundialmente.

Em uma das cenas, Lee enfrenta Chuck Norris em uma luta realizada no Coliseu, em Roma. A cena é consierada uma das mais icônicas cenas de luta no cinema.

Norris havia conhecido Bruce Lee em Long Beach, em 1964, mas foi somente em 1967, quando Lee coordenou as cenas de cenas de Karate em Arma Secreta Contra Matt Helm (The Wrecking Crew, 1968), que eles ficaram amigos.

Bruce Lee e Chuck Norris em O Vôo do Dragão

Lee ainda faria A Fúria do Dragão (Jing wu men, 1972), outro grande sucesso em sua carreira. O ator então começou a filmar Jogo da Morte (Game of Death), tendo no elenco o astro do basquete Kareem Abdul-Jabbar, de 2,18 metros de altura (Lee media apenas 1,71), outro ex-aluno famoso do ator. Porém, após filmar mais de 100 minutos do filme, Bruce Lee abandonou o projeto para atuar em Operação Dragão (Enter the Dragon, 1973).

Filmado em Hong Kong, o filme foi produzido pela Warner Brothers (mesmo estúdio que roubara sua idéia para um seriado poucos anos antes). Esta e foi a primeira produção hollywoodiana sobre kung fu. Dirigido por Robert Clouse, o filme tinha um orçamento milionário, e contava com o astro John Saxon no elenco.


Bruce Lee e John Saxon em Operação Dragão

Lançado em 26 de julho de 1973, o filme chegou aos cinemas seis dias após a morte do ator, em 20 de julho daquele ano. A morte de Lee, com apenas 32 anos de idade, foi envolta por mistérios e conspirações.

Em 10 de maio daquele ano, o ator havia desmaiado no estúdio Golden Harvest, quando dublava cenas de Operação Dragão. Lee sofreu convulsões e foi imediatamente levado ao Hospital, onde diagnosticaram um edema cerebral. O ator foi medicado e liberado após a diminuição do inchaço.

No dia de sua morte Bruce Lee havia marcado um encontro com o ex-James Bond George Lazenby e outros atores, para tratar da finalização de Jogo da Morte, no qual Lazenby também atuava.

Mais tarde, o ator queixou-se de dor de cabeça, e a atriz Lee Betty Ting lhe deu um analgésico chamado Equagesic, um misto de aspirina e relaxante muscular. Lee resolveu ir dormir um pouco antes do jantar.  Quando seus colegas foram chamá-lo para comer, o ator estava inconsciente na cama. Eles chamaram uma ambulância, mas ele já chegou sem vida ao hospital.

Seu cérebro estava inchado, e chegou-se a divulgar que ele teria morrido vítima de uma alergia a haxixe, mas a única substância encontrada em seu corpo foi a do remédio Equagesic. A autópsia declarou que o ator sofreu uma anafilxia ao relaxante muscular presente do remédio. Mas seu médico pessoal veio a público declarar que o remédio não estava relacionado com sua morte.

Logo começaram a surgir rumores que sua morte havia sido encomendada pela Tríades, organização com a qual Lee teve problemas na adolescência. Outros diziam que ele havia sido morto por um cabal secreto de mestres de artes marciais, por ter revelado os segredos das lutas para não orientais. Os rumores voltaram quando seu filho Brandon Lee foi morto em um acidente estranho durante as filmagens de O Corvo (The Crow, 1993). Leia mais sobre Brandon Lee aqui.


Bruce e o pequeno Brandon Lee

Autopsias posteriores, entretanto, revelaram que o ator morreu por um grave edema cerebral, agravado com o remédio tomado pelo ator e pelo uso excessivo que Bruce Lee fazia de cortisona, devido a uma hérnia de disco que sofria a três anos. Lee também sofria de uma insuficiência renal, devido ao uso de esteróides.

A morte do ator fez de Operação Dragão um grande sucesso de bilheteria mundial. Todas as especulações sobre sua morte geraram uma enorme publicidade para o filme. Após sua morte, Bruce Lee tornou-se um grande ícone da cultura pop.

Robert Clouse, o diretor de Operação Dragão, foi chamado para finalizar Jogo da Morte (Game of Death, 1978), o filme deixado inacabado pelo ator. Bruce Lee havia atuado e dirigido boa parte do filme, e Clouse contratou um dublê para finalizar a obra. No roteiro, Bruce Lee simulava sua morte, e as cenas em que ele aparece no caixão, na verdade são imagens reais de seu funeral. O filme foi lançado em 1978, cinco anos após a morte do ator.

O filme ainda reaproveitava cenas de Operação Dragão, e tinha muitos problemas na sua finalização, devido a morte do protagonista, mas mesmo assim também fez muito sucesso. O traje amarelo, com listras pretas, que o ator usava no filme serviu de inspiração para a roupa de Uma Thurman em Kill Bill (Idem, 2003), de Quentin Tarantino.


 Bruce Lee em Jogo da Morte e Uma Thurman em Kill Bill

Entre os alunos famosos de Bruce Lee estão o cineasta Roman Polanski, o lutador Joe Louis, e os atores Burt Ward, Chuck Norris, James Gardner, James Coburn, e Steve McQueen. Norris e McQueen inclusive carregaram seu caixão quando o corpo do ator foi transportado para os Estados Unidos. Em 1993 Brandon Lee foi enterrado ao lado de seu pai.


Steve McQueen, Bruce Lee e o instrutor e ator Fumio Demura

Em 1993 Jason Scott Lee protagonizou Dragão: A História de Bruce Lee (Dragon: The Bruce Lee Story, 1993). Jason e Bruce Lee, apesar do mesmo sobrenome, não são parentes. O filme foi lançado em maio de 1993, dois meses após a morte de Brandon Lee.

Jason Scott Lee em Dragão: A História de Bruce Lee 

Shannon Lee, a filha de Bruce (nascida em 1969), estreou como atriz neste filme. Ela é a cantora que aparece cantando California Dreamin (sucesso do The Mammas and the Papas), nas cenas que mostram o sucesso de seu pai em Hollywood. Shannon tinha apenas quatro anos quando o pai morreu. Ela também atuou em alguns filmes, mas hoje preside (junto com sua mãe) a Bruce Lee Fudation, uma ONG que ajuda pessoas e ensina artes marciais e filosofia.

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil