Atriz Vanessa Marquez, de Plantão Médico (ER) é morta em confronto policial



A atriz Vanessa Marquez, que interpretou a enfermeira Wendy Goldman na série Plantão Médico (ER), foi morta a tiros em um confronto policial.

A atriz de 47 anos foi baleada depois de puxar uma arma falsa contra os policiais que foram até o seu apartamento. Ela havia sofrido convulsões e seu senhorio chamou auxílio médico. Após se recuperar, a atriz entrou em discussão com os policiais que acompanhavam a visita de sua assistente social. A discussão começou devido a um cheque de auxílio da previdência social que ela recebia.

Vanessa estreou no cinema em O Preço do Desafio (Stand and Delivery, 1988), que lhe valeu boas críticas. Ela ainda atuou em filmes como Gangs da Noite (Night Children, 1989), Cash: Em Busca do Dólar (Twenty Bucks, 1993), Maniac Cop 3: O Distintivo do Silêncio (Maniac Cop 3: Badge of Silence, 1993) e Um Pai Fujão (Father Hood, 1993). Também atuou em séries como Seinfeld e Melrose Place. Geralmente a atriz interpretava papéis de latinas, embora fosse norte-americana, nascida em Los Angeles.



Andy Garcia e Vanessa Marquez em O Preço do Desafio

Em 1994 ela ingressou na série Plantão Médico, sendo demitida após a terceira temporada, em 1997.

Em 2016, quando vieram à tona as denúncias de assédio contra o produtor Harvey Weinstein, Vanessa veio a público dizer que foi demitida da série após não ceder ao assédio de produtores e colegas de elenco. Tais declarações vieram depois que George Clooney, que era o astro da série, fez críticas a atitude do produtor. Vanessa declarou que Clooney sabia do assédio que ela sofreu, e ajudou a prejudicar a sua carreira após a sua demissão. O ator teria dito a ela "mulheres que não jogam o jogo perdem a carreira".

Ela também denunciou que constantemente era vítima de racismo pelos colegas.

Vanessa Marquez também era cantora, e dublou Monica Bellucci no papel de cantora no filme Sob Suspeita (Under Suspicion, 2000).

Após deixar o elenco do programa, ela teve dificuldades em manter a carreira. Em 2005 ela foi tema do programa Intervenção (Intervention), um reality onde pessoas com problemas com drogas e álcool passam por uma intervenção convocada por parentes e amigos, produzido pelo canal a cabo A&E.

Seu assistente social informou que a atriz vinha sofrendo problemas psicológicos e distúrbios alimentares há alguns anos.



Vanessa Marquez morreu em 30 de agosto de 2018, aos 47 anos de idade.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Bill Daily, o eterno Major Healy de Jeannie e Um Gênio


Bill Daily ficou famoso por seu papel como o Major Healey, o amigo do Major Nelson e Jeannie na série Jeannie é um Gênio (I Dream of Jeannie, 1965-1970).


William Edward Daily Jr.nasceu em 30 de agosto de 1927, em Des Moines, Iowa.

Bill Daily começou a carreira de ator por acaso. Sua primeira incursão na vida artística foi como músico, tocando jazz em clubes noturnos em Iowa. Enviado para o exército, para lutar na Guerra da Correia (1950-1953), ele conheceu o músico Dick Contino no front. Ambos formaram uma dupla, e passaram a entreter as tropas norte-americanas em combate. Daily tocava baixo, e Contino era o cantor da dupla.


De volta aos Estados Unidos, começou a se apresentar fazendo stand-up, ficando famoso em casas destinadas ao gênero. Após se formar no Goodman Theatre School, arrumou um emprego na Rede NBC de Chicago, como locutor e gerente de estúdio. Depois chegou ao cargo de diretor da emissora.

Ele também começou a escrever números de comédias para Bob Newhart, de quem era amigo desde os 15 anos de idade. Em 1964 ele fez sua estréia como ator no seriado A Feiticeira (Bewitched). Ele interpretou um assistente social que apresenta um menino para o casal Stephens, que pensam em adoção. Samantha e James ainda não tinha os filhos Tabatha (Erin Murphy) e Adam (David Mandell-Bloch), e o menino foi interpretado pelo jovem Bill Mummy, que anos mais tarde ficaria famoso na série Perdidos No Espaço (Lost in Space).

Bill Daily em A Feiticeira

O famoso escritor Sidney Sheldon, o roteirista de Jeannie é Um Gênio, viu a sua participação, e o convidou para interpretar o Major Anthony Healy na série. Daily, que era praticamente um novato na televisão, tornou-se um dos coadjuvantes mais queridos em um seriado de todos os tempos.


Com o fim da série, em 1970, ele fez sua estréia no cinema no filme O Chimpanzé Manda-Chuva (The Barefoot Executive, 1971), uma produção dos Estúdios Disney, estrelada pelo jovem Kurt Russell e pela atriz Heather North. Porém, ele não conseguiria repetir o sucesso do mulherengo Major Healy.

Ele faria poucos filmes, atuando geralmente como ator convidado em séries de TV como Mary Tyler Moore, CHIPs e O Barco do Amor (The Love Boat). Em 1972 ele ingressou no elenco fixo da série The Bob Newhart Show (1972-1978), que também fez muito sucesso. Ele interpretava Howard Borden, o vizinho de Bob Newhart, o astro da série.

Suzanne Pleschette, Pat Finley, Bob Newhart e Bill Daily em The Bob Newhart Show

Em 1981 ele atuou na série Aloha Paradise, que só durou uma temporada. Em 1985 voltou a vestir  a farda do Major Healy em Jeannie é Um Gênio: 15 Anos Depois (I dream of Jeannie... Fifteen Years Later, 1985).

Também atuou em Starting from Scratch (1988-1989), mas no Brasil é mais lembrado por suas participações regulares em Alf, o ETeimoso (Alf, 1986-1990), onde interpretou o psiquiatra Dr. Larry Dykstra.

Bill Daily em Alf

Fez seu retorno ao cinema atuando em Alligator 2: A Mutação (Alligator II: The Mutation, 1991), o terceiro filme de sua carreira. No mesmo ano vestiu novamente a farda do Major Healy em Jeannie Ainda é um Gênio (I Still dream of Heannie, 1991), que retomava os personagens clássicos da série, muitos anos depos. Larry Hagman, o Major Nelson, se recusou a participar do filme, que deu como desculpa que ele estava em uma missão no espaço para não aparecer. Barbara Eden novamente vestiu as roupas esvoaçantes de Jeannie.


Bill Daily, Hyden Rorke, Wayne Rogers e Barbara Eden em Jeannie Ainda é Um Gênio

Desde então atuou pouco, fazendo participações na série Bob (1992-1993), estrelada pelo seu amigo Bob Newhart e em Tudo Por Um Gato (Caroline in the City, 1995-1999). Após dublar uma personagem em Horrorween (2011), declarou sua aposentadoria.

Entretanto, ainda fazia shows de stand-up ocasionalmente, e apresentava um programa (como convidado) em uma rádio em Albuquerque, Novo México. Também comparecia com frequência em eventos destinados aos fãs.

Sua filha, Elizabeth Daily é cantora e atriz, e seu filho Patrick trabalha como cinegrafista em produções em Hollywood.
 
Nos últimos tempos de vida, Daily morava com o filho, onde faleceu, em 04 e setembro de 2018, cinco dias depois de completar 91 anos.

Bill Daily, em 2018




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Cineasta grego Costa-Gravas desmente boato de sua morte


Hoje Mysini Zorba, o ministro da cultura da Grécia, anunciou a morte do cineasta grego Constatin Costa-Gravas. A notícia chegou a ser vinculada em importantes portais de notícias pelo mundo, inclusive pela agência Associate Press.

Porém, a notícia era falsa, e o cineasta, que tem 85 anos, foi até a televisão estatal grega confirmar que está vivo. Ele atribuiu a notícia a "uma piada de mau gosto".

Indicado ao Oscar de melhor diretor por Z - A Orgia do Poder  (Z, 1969) e vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado por Desaparecido: Um Grande Mistério (Missing, 1982). Ambos os filmes tem um forte teor político, que se repetiu em toda a sua filmografia.  Costa-Gravras ganhou diversos prêmios importantes, como a Palma de Ouro em Cannes e Urso de Ouro em Berlim. 

Seu pai foi preso durante a Guerra Civil Grega (1944-1949), devido a sua ligação ao partido comunista. Devido as suas relações com o comunismo, foi proibido de cursar a Universidade na Grécia, fazendo seus estudos cinematográficos em Paris. Ele também teve seu visto para entrar nos Estados Unidos negado devido a isto.

Ele estreou na direção em Crime no Carro Dormitório (Compartiment tueurs, 1965), que tinha Simone Signoret e Yves Montad no elenco. Apesar de sua obra ser política, seus filmes tiveram grande apelo comercial. 

"Eu fiz Z, primeiro porque sou grego. Em segundo lugar, porque senti que gostaria de fazer alguma coisa. Algumas pessoas assinam petições, outras vão às ruas, eu faço algo como cineasta". Afirma Gavras, que faz filmes para tentar "mudar a sociedade".

Ao todo o cineasta dirigiu 23 filmes, e esta atualmente produzindo Adults in the Room.  Sua morte foi anunciada porMysini Zorba, o ministro da que será lançado ainda este ano.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Artistas que faleceram no dia do seu aniversário


No dia 29 de agosto de 1982, os fãs do cinema choraram a morte da atriz Ingrid Bergman, que falecia no dia em que completava 67 anos de idade. Ingrid não foi a única celebridade morta no dia de seu nascimento.

O escritor inglês William Shakespeare (1564-1616) nasceu e morreu num 23 de abril. A poetista portuguesa Florbela Espanca nasceu em 08 de dezembro de 1894, e tirou sua vida no mesmo dia, em 1940.  Já a feminista Betty Friedan (1921-2006) nasceu e morreu em um 4 de fevereiro. Confira a lista de celebridades do mundo cinematográfico que partiram no dia seus aniversários:


Ingrid Bergman (29 de agosto de 1915 – 29 de agosto de 1982) 

Uma das mais queridas atrizes de Hollywood, foi protagonista do clássico Casablanca (Idem, 1942). Ganhou três Oscars por À Meia Luz (Gaslight, 1944), Anastácia, A Princesa Esquecida (Anastasia, 1956) e por Assassinato no Expresso Oriente (Murder on the Orient Express, 1974). Faleceu no dia em que completava 67 anos.


Maury Chaykin (27 de julho de 1949 – 27 de julho de 2010)

Ator canadense, que atuou em filmes como Dança com Lobos (Dance with Wolves, 1990) e O Doce Amanhã (The Sweet Hereafter, 1997). Faleceu aos 61 anos.

Nan Grey (25 de julho de 1918 – 25 de julho de 1993)

Atriz americana que atuou em filmes de baixo orçamento da década de 1930, como A Filha de Drácula (Dracula’s Daughter, 1936) e A Volta do Homem Invisível (The Invisible Man Returns, 1940). Faleceu no dia em que completou 75 anos.

Otto Kruger (6 de setembro de 1885 – 6 de setembro de 1974)

O juiz de Matar ou Correr (High Noon, 1952). Trabalhou com Nan Grey em A Filha de Drácula (Dracula’s Daughter, 1936). Morreu no dia em que completou 89 anos.

Um dos mais importantes cineastas do Japão, faleceu ao 60 anos.


Diane Shalet (23 de fevereiro de 1935 – 23 de fevereiro de 2006)

Trabalhou em filmes como O Último Magnata (The Last Tycoon, 1976) e Os Rebeldes (The Reivers, 1969). Faleceu no dia em que completou 71 anos.

Carlos Reichenbach (14 de junho de 1945 – 14 de junho de 2012)

Importante cineasta brasileiro, diretor de filmes como Alma Corsária (1993) e Dois Córregos – Verdades Submersas no Tempo (1997). Faleceu com 67 anos.

Grace Bradley (21 de setembro de 1913 – 21 de setembro de 2010)

Atriz coadjuvante da década de 1930, atuou em filmes como O Testa de Ferro (The Cat’s-Paw, 1934) e Lua de Amor (Sitting on the Moon, 1936). Morreu ao completar 97 anos.

Mike Douglas (11 de agosto de 1925 – 11 de agosto de 2006) 

Mike Douglas era cantor, dublou os números de canto do príncipe encantando em Cinderella (Idem, 1950). Os diálogos foram dublados pelo ator Wiliam Phipps. Mike teve seu próprio programa, o The Mike Douglas Show (1971-1975). Faleceu no dia em que completou 81 anos.

Mike Douglas e Agnes Moorehead no The Mike Douglas Show

Fran Warren (4 de março de 1926 – 4 de março de 2013) 

Fran Warren era cantora, dublou Lana Turner nas canções de É Proibido Amar (Mr. Imperium, 1951) e apareceu em filmes como Piratas da Perna de Pau (Abboutt and Costello Meet Captain Kidd, 1952). Morreu no dia em que completou 87 anos.

Gavin Gordon (7 de abril de 1901 – 7 de abril de 1983)

Importante galã da década de 1930, fez par romântico com Greta Garbo em Romance (Idem, 1939) e com Marlene Dietrich em A Imperatriz Vermelha (The Scarlet Empress, 1934). Também atuou em A Noiva de Frankenstein (Bride of Frankenstein, 1935). Faleceu aos 82 anos.

Greta Garbo e Gavin Gordon

Tatyana Samoylova (4 de maio de 1934 – 4 de maio de 2014)

Atriz russa, chamada de “A Audrey Hepburn russa”, foi protagonista de Quando Voam as Cegonhas (Letvat Zhuravli, 1957). Faleceu no dia em que completou 80 anos.

John Banner (28 de janeiro de 1910 – 28 de janeiro de 1973)

Conhecido como o sargento Hans Georg Schultz da série Guerra, Sombra e Água Fresca (Hogan’s Heroes, 1965-1971), estrelada por Bob Crane. Veio a falecer no dia em que completou 63 anos.


Edna May Oliver (9 de novembro de 1883 – 9 de novembro de 1942) 

Edna foi uma importante atriz coadjuvante do cinema na década de 1930. Atuou em filmes como As Quatro Irmãs (Little Women, 1933) e David Copperfield (The Personal History, Adventures, Experience, & Observation of David Copperfield the Younger, 1935). Foi indicada ao Oscar de atriz coadjuvante por Ao Rufar dos Tambores (Drums Along the Mohawk, 1939). Morreu aos 59 anos.
George Petrie (16 de novembro de 1912 – 16 de novembro de 1997) - George Petrie foi um ator que fez inúmeras participações em séries de televisão. Ele faleceu com 85 anos.


Gertrude Astor (9 de novembro de 1887 – 9 de novembro de 1977) - Gertrude Astor foi uma estrela dos tempos do cinema mudo. Estreou nas telas em 1915 e atuou até década de 1960, quando fazia papéis de figurante. Faleceu no dia em que completou 90 anos.


María Félix (08 de abril de 1914 - 08 de abril de 2002)

Uma das maiores estrelas do cinema mexicano, recusou inúmeros convites para atuar em Hiollywood, dizendo que empregadas latinas só interpretaria em seu país, que só sairia de sua casa para fazer papéis de rainhas, como ela fez em importantes produções europeias. Faleceu aos 88 anos.


Ramsay Ames (30 de março de 1919 - 30 de março de 1998)

Atriz e modelo americana, foi uma popular modelo para os desenhos das pin-ups. Atuou em filmes de baixo orçamento, como A Sombra da Múnia (The Mummy's Ghost, 1944). Faleceu no dia em que completou 79 anos.




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Morreu Paixão Cortês, o guardião do folclore gaúcho, aos 91 nos


Paixão Côrtes foi um dos maiores nomes na preservação das tradições do folclore do Rio Grande do Sul. O Folclorista compositor, radialista e pesquisador gaúcho faleceu em Porto Alegre, e 27 de agosto de 2018, aos 91 anos de idade.


João Carlos D'Avila Paixão Cortês nasceu em Santana do Livramento, em 12 de julho de 1927.

Em 1948, o então aluno do Colégio Júlio de Castilhos fundou um grupo tradicionalista, cuja missão era resgatar a cultura gaúcha. Junto com Luiz Carlos Barbosa Lessa e Glauco Saraiva, realizou diversas viagens pelo interior do Rio Grande do Sul, gravando músicas e registrando histórias do folclore local.


O grupo fundou o CTG 35 (Centro de Tradições Gaúchas) em 1948, e em 1953 fundou o Conjunto Folclórico Tropeiros da Tradição.

Em 1953 começou um importante programa na Rádio Gaúcha, chamado Festa no Galpão. Em 1955 passou a apresentar em Grande Rodeiro Coringa.

Em 1954 posou para o escultor Antônio Caringi, que usou Paixão Cortês como modelo para a estátua O Laçador, que em 1992 foi eleita o símbolo da cidade de Porto Alegre.

O Laçador

Em 1957 Walter George Durst foi ao Rio Grande do Sul filmar Paixão de Gaúcho (1957), baseado no romance O Gaúcho, de Machado de Assis. O filme era estrelado pelo ator, também gaúcho, Alberto Ruschel, astro de renome internacional desde que protagonizara o sucesso O Cangaceiro (1953). No elenco ainda o ator Lima Duarte.

Barbosa Lessa e Paixão Cortês foram contratados como consultores, e também apareceram no filme, durante um número musical. Paixão dança, com o Grupo Folclórico Brasileiro A Dança do Anú, composta por ele e Lessa.

Paixão Cortês e grupo de dança no filme Paixão de Gaúcho


Ele ainda faria mais um filme, também rodado no Rio Grande do Sul. Em 1971 o premiado diretor Anselmo Duarte adaptou para o cinema Um Certo Capitão Rodrigo (1971), de Érico Veríssimo. Paixão Cortês interpretou Pedro Terra na obra.

Paixão Cortês e Francisco di Franco em Um Certo Capitão Rodrigo

Em 1958 ingressou no grupo Os Galdérios, que se apresentou na famosa casa de espetáculos Olympia, em Paris. As apresentações foram um grande sucesso, e foram assistidas por astros como Charles Trennet e Mario Lanza.

Os Gaudérios, no Olympia (Paixão Cortês é o segundo à esquerda)

O conjunto chegou a se apresentar, como convidados, do famoso concurso Eurovisão, e também fez inúmeras apresentações na televisão francesa.

O grupo se apresentando na TV francesa

De volta ao Brasil, foi convidado por Mauricio Sirotsky para apresentar o programa Festança na Querência, na Rádio Gaúcha, que ficou no ar até 1967.

Paixão Cortês teve muitas  músicas (compostas ou recolhidas por ele) gravadas pela cantora Inezita Barroso e pelo Conjunto Farroupilha, e escreveu diversos livros registrando a cultura rio grandense.

Inezita Barroso cantando Balaio


Paixão Cortês estava internado há alguns dias devido a uma queda, onde fraturou o fêmur. Ele faleceu em 27 de julho de 2018, aos 91 anos.

Capitão Furtado e Paixão Cortês, dos grandes nomes do folclore brasileiro no Rádio

Leia também: Morreu a atriz Beyla Genauer, aos 85 anos

Leia também: Morre a atriz Cacilda Lanuza



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Morre o radialista Zé Bettio, aos 92 anos de idade



O radialista Zé Bettio, um dos mais famosos locutores do rádio paulista, morreu no dia 27 de agosto, aos 92 anos de idade.

Nascido em Promissão, interior de São Paulo, em 02 de janeiro de 1926, José Bettio foi radialista, cantor, compositor e acordeonista.


Por muitos anos, ficou a frente da gravadora Chantecler, onde lançou a dupla Chizãozinho e Xororó. Amigo da dupla, Zé Bettio foi padrinho da cantora Sandy. Também lançou a dupla Milionário e José Rico.

Ele começou tocando acordeon no rádio, com uma dupla sertaneja. Teve seu primeiro programa na Rádio Difusora de Guarulhos, depois passou pelas rádios Comenta e Rádio São Paulo, mas a popularidade veio na Rádio Record, na década de 70.

Ainda passou pelas Rádio Capital e Gazeta, mas voltou à Record onde permaneceu até 2009, quando se aposentou. devido a problemas de saúde.

Tímido, nunca aceitou fazer um programa de televisão. Também recusou os convites que teve para o cinema, mas foi produtor do filme O Ladrão de Galinhas (1975).

Em 2016 ele sofreu um AVC, que deixou sequelas. Zé Bettio faleceu enquanto dormia, em sua residência.

Zé Bettio será sempre lembrado por seus bordões "vamo levantar!" e "joga água nele!".

Leia também: Morreu a atriz Beyla Genauer, aos 85 anos

Leia também: Morre a atriz Cacilda Lanuza



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

A selvagem Tuesday Weld


Tuesday Weld tornou-se ídolo dos adolescentes na década de 60, e poderia ter se tornado uma grande estrela do primeiro time se não sabotasse, de propósito, a sua carreira cinematográfica. Por suas atitudes, foi apelidada "Tuesday Wild", Wild em inglês significa "selvagem", e era um trocadilho com seu sobrenome.


Susan Ker Weld nasceu em 27 de agosto de 1943, em Nova York, Estados Unidos. Ela era a terceira filha de Lathrop Motley Weld, membro da tradicional família Weld (fundadores dos Estados Unidos, com vários membros na política). Sua mãe Yosene Balfour Kerr, foi a Balfour Ker, que trabalhava na Revista Life.

Seu pai morreu quando ela tinha três anos de idade, e a família dele quis adotar as crianças legalmente, com a condição de ficar com a guarda das crianças e excluir sua mãe da herança. Yosene recusou, e acabou ficando com os filhos, mas completamente desamparada financeiramente.

Apelidada de Tuesday (terça-feira), a pequena menina, de apenas três anos de idade recebeu a função de sustentar a família, trabalhando como modelo infantil.

Tuesday aos três anos de idade

A pressão sobre a criança fez ela se distanciar da mãe e dos irmãos, e muito jovem ela já não tinha mais características infantis. Seu forçado amadurecimento e a exaustiva carga de trabalho levou a menina a ter um colapso nervoso, aos nove anos de idade.

Aos dez ela começou a fumar e beber. Nesta época também começou a namorar homens mais velhos. Aos doze, sucumbindo a pressão, a menina tentou o suicídio.

Aos dezesseis anos ela assinou contrato com o pequeno estúdio Vanguard Pictures, e estreou no cinema no filme Ritmo Alucinante (Rock Rock Rock!,1956), um filme voltado para adolescentes, recheados de números musicais com astros da época, como Chuck Berry, Frank Lymmon e Teddy Randazzo. Tuesday aparecia cantando, mas na verdade a voz que o público ouviu era da cantora Connie Francis, que dublou a nova estrela.

Teddy Randazzo e Tuesday Weld em Ritmo Alucinante

Sua estreia no cinema chamou a atenção da Warner Brothers, que a testou em um pequeno papel em O Homem Errado (The Wrong Man, 1956), dirigido por Alfred Hitchcock e estrelado por Henry Fonda.

Em seguida foi para a Fox, onde ganhou um papel maior em A Delícia de Um Dilema (Rally 'Round the Flag, Boys!, 1958), coadjuvando Paul Newman e Joanne Woodward.

Dwayne Hickman e Tuesday Weld em A Delícia de Um Dilema

Sem contrato, trabalhou em pequenos papéis em diversos estúdios. Na Paramount interpretou a filha de Danny Kaye no filme A Lágrima que Faltou (The Five Pennis, 1959). Por sua atuação, recebeu o Globo de Ouro de atriz revelação, dividido com as também novatas: Stella Stevens, Angie Dicknson, Janet Munro, Yvette Mimieux, Carol Lynley e Cynthia Chenault.

Em seguida foi para a televisão, ingressando no elenco da série As Aventuras de Ozzie e Harriet (The Adventures of Ozzie and Harriet). Mas o estrelato veio com o papel de Thalia Menninger na série The Many Loves of Dobie Gillis, em 1959. Tuesday interpretava a menina por quem Dwayne Hickman, seu antigo colega de A Delícia de Um Dilema, era apaixonado. O jovem Warren Beatty vivia o rival de Dwayne no coração de Tuesday.

Tuesday e Warren Beatty em The Many Loves of Dobie Gillis

Apesar do sucesso, ela permaneceu na série por apenas uma temporada. Ela teve um papel maio em A Vida Íntima de Adão e Eva (The Private Lives of Adam and Eve, 1960), estrelado por Mickey Rooney, Fay Spain, Paul Anka e Mamie Van Doren.

Paul Anka e Tuesday Weld em A Vida Íntima de Adão e Eva

Depois assinou um longo contrato com a Fox, onde estrelou Dizem que é Amor (High Time, 1960), ao lado de Bing Crosby e o cantor Fabian, dirigido por Blake Edwards.

Cartaz de Dizem que é Amor

Paralelamente, ela investia também nos trabalhos na TV, atuando nas séries 77 Sunset Strip, The Millionaire, Zane Grey Theater e The Tab Hunter Show. Na época, Tuesday e Tab Hunter foram obrigados a fingirem serem namorados. Hunter, o ídolo das adolescentes, era gay, e os estúdios precisavam esconder isto do público.

Tab Hunter e Tuesday Weld

Depois foi escalada para fazer o papel que havia sido de Hope Lange na continuação do filme De Volta à Caldeira do Diabo (Return to Peyton Place, 1961), que não repetiu o sucesso do filme anterior.

Em Coração Rebelde (Wild in the Country, 1961) fez par romântico com o "rei do rock" Elvis Presley, com quem teve um breve romance. Mas Elvis logo se desinteressou pela moça rebelde, que ele não conseguiu domar.

Tuesday Weld e Elvis Presley em Coração Rebelde

Na época, ela também se envolveu com o ator John Ireland, com quem também contracenou em Coração Rebelde, o que causou um grande escândalo. Ela tinha 17 anos, e ele 47. Tuesday ficou famosa por diversos relacionamentos com homens mais velhos.

Sua mãe foi uma das pessoas que ficou escandalizada com os relacionamentos da jovem atriz com homens mais velhos. Tuesday e a mãe não se davam desde que ela era criança, mas era a atriz quem sustentava a casa. Weld então ameaçou a mãe, que se não a deixasse em paz, sairia de casa o dinheiro desapareceria. Embora sua carreira nunca tivesse atingido o estrelato, sua vida conturbada alimentava a imaginação dos fãs, e consequentemente, sua popularidade.

Ao lado de Richard Beymer, estrelou Armadilha Para Solteiros (Bachelor Flat, 1961), que fez um grande sucesso. Mas o sucesso parecia incomodar Tuesday Weld.

Tuesday Weld e Richard Beymer em Armadilha Para Solteiros

Em 1961 ela finalmente saiu de casa, cortando relações definitivas com sua família.

Em Stanley Kubrick queria que ela estrelasse seu novo filme, Lolita (Idem, 1962), no papel de uma adolescente por quem James Mason se apaixona. Seria uma grande chance para a atriz, mas ela recusou o papel, dizendo que já estava "cansada de ser a Lolita". A atriz Sue Lyon acabou ficando com o trabalho.

Tuesday Weld começou então a recusar grandes papéis, que acabaram promovendo a carreira de outras atrizes. Ela disse não para Bonnie e Clyde: Uma Rajada de Balas (Bonnie and Clyde, 1967),  O Bebê de Rosemary (Rosemary's Baby, 1968), Bravura Indômita (True Grit, 1969), Flor de Cactus (Cactus Flower, 1969) e Bob, Carol, Ted e Alice (Bob & Carol & Ted & Alice, 1969).

Em uma entrevista de 1971 ao New York Times, Weld explicou que ela havia escolhido rejeitar esses papéis precisamente porque acreditava que seriam sucessos comerciais: "Você acha que eu quero um sucesso? Eu recusei 'Bonnie e Clyde' porque eu estava amamentando na época, mas também porque no fundo eu sabia que ia ser um grande sucesso. O mesmo acontecia com Bob, Carol, Fred e Sue, ou seja lá como ele se chamava. Isso cheirava a sucesso." Faye Dunaway e Natalie Wood ficaram com os respectivos papéis.

Tuesday Weld estava amamentando a sua primeira filha. Em 1965 ela havia se casado com o roteirista Claude Harz. Eles divorciaram-se em 1971 e em 1975 ela se casou com o ator Dudley Moore, com quem teve seu segundo filho. O casamento com Moore durou até 1980. Em 1988 ela casou-se com o violinista e maestro israelense Pinchas Zukermaneles também se divorciaram em 1998.

Tuesday Weld e Dudley Moore

E embora tivesse rejeitado filmes que achou que seriam sucesso, continuou trabalhando ocasionalmente no cinema, mas dava preferência a participações especiais na televisão, que pagavam muito e pouco comprometiam sua carreira.

Com Steve McQueen fez comédia Quanto Vale Um Homem (Soldier in the Rain, 1963), mas o filme não foi bem sucedido. Depois, atuou em Bom Mesmo é Amar (I'll Take Sweden, 1965), coadjuvando Bob Hope. O filme ainda contava no elenco com o cantor Frankie Avalon e Dina Merrill, que era sua prima em terceiro grau.

Anthony Perkins também era seu primo distante, e eles trabalharam juntos no hoje cultuado O Despertar Amargo (Pretty Poison, 1968). Eles voltariam a atuar juntos em  Destino que Deus me Deu (Play It As It Lays, 1972), filme pelo qual Tuesday foi indicada ao Globo de Ouro.

Anthony Perkins e Tuesday Weld e O Despertar Amargo

Ela voltou a atuar com Steve McQueen em A Mesa do Diabo (The Cincinatti Kid, 1965), último grande sucesso que ela estrelou. Polêmica, durante um evento de promoção do filme, recusou-se a cumprimentar o governador do estado local, fugindo da cerimônia, na frente de 70 mil pessoas.

Com Steve McQueen em A Mesa do Diabo

Ela ainda atuaria em filmes como Enganando Papai (Lord Love a Duck, 1966), O Pecado de Um Xerife (I Walk the Lien, 1970), Refúgio Seguro (A Safe Place, 1971), mas foi fazendo cada vez menos filmes.

Novamente recusou um importante papel, declinando a oferta de interpretar a Janet em The Rocky Horror Picture Show (1975). Susan Sarandon então foi contratada. Também recusou o papel da atriz Frances Farmer na cinebiografia Frances (Idem, 1982), que valeu uma indicação para o Oscar a Jessica Lange.

Tuesday Weld foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante ao interpretar a desequilibrada Katherine em À Procura de Mr. Goodbar (Looking for Mr. Goodbar, 1977).

Diane Keaton e Tuesday Weld em À Procura de Mr. Goodbar

Nas décadas seguintes, fez muitos filmes inexpressivos, e trabalhos diretamente para a televisão. Mas fez pelo menos dois papéis importantes neste período.

Em Era Uma Vez na América (Once Upon a Time in America, 1984), de Sérgio Leone, ela era a secretária que incita o personagem de Robert de Niro a estuprá-la, durante um assalto a uma joalheria.

James Woods, Robert De Niro, William Forsythe, James Hayden e Tuesday Weld
em Era Uma Vez na América

Ela ainda atuaria com destaque em Um Dia de Fúria (Falling Down, 1993), estrelado por Michael Douglas. Tuesday interpretava a esposa neurótica de um policial. 

Atualmente, ela mora em Aspen, e ainda recebe convites para atuar, mas recusa a maioria deles por falta de interesse. Seu último trabalho no cinema foi em 2001.

Tuesday Weld atualmente



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil