The Boswell Sisters - As pioneiras do "rock and Roll" no cinema






As irmãs Boswell (Boswell Sisters) foram as pioneiras em trios vocais femininos nos Estados Unidos, e foram a inspiração para o começo da carreira das Andrews Sisters, que posteriormente ficariam muito mais famosas.

Martha (1905-1958), Connee (1907-1976) e Helvetia "Vet" Boswell (1911-1988) começaram a estudar canto e ter aulas de violão, violino, banjo e piano ainda crianças, em Nova Orleans. Na década de vinte começaram a se apresentar em casas noturnas e espetáculos de vaudeville, e em 1925 tornaram-se as recordistas de venda de discos nos Estados Unidos.

O trio fazia parte da lista dos artistas mais populares da década de trinta, tendo 20 musicas no topo das paradas de sucesso entre 1930 e 1936 e eram convidadas frequentes do programa de rádio de Bing Crosby na CBS.

Como era comum nos primeiros anos do cinema falado, artistas do rádio eram contratados para aparecer em números musicais no cinema, e com as irmãs Boswell não foi diferente. Elas estrearam no filme em Ondas Sonoras (The Big Broadcast, 1932), estrelado pelo amigo Crosby.

As irmãs Boswell e Bing Crosby

No cinema, apareceram em muitos curtas-metragem musicais, os chamados soundies (espécie de avôs dos vídeo clips), e em mais dois longas: Moulin Rouge (Idem, 1932) e Folias Transatlânticas (Transatlantic Merry-Go-Round, 1934).

O trio em Moulin Rouge

Foi em Folias Transatlânticas que elas apareceram cantando uma de suas gravações mais famosas, chamada "Rock and Roll". A música em nada lembra o ritmo que conhecemos hoje, mas foi a primeira vez que o termo foi usado em uma canção. Era uma referência ao descrever o movimento de um navio no mar.

As irmãs Boswell em Folias Transatlânticas

Este foi o último trabalho das irmãs juntas no cinema. O trio seria desfeito em 1936, após Martha e Vet se casarem e deixarem a carreira. Connee continuou cantando e apareceu ainda em diversos outros filmes. Ela sempre aparecia cantando sentada, pois sofria de paralisia, consequência de uma poliomelite que teve na infância. Apesar de não esconder sua deficiência física, nunca permitiram que ela se apresentasse em sua cadeira de rodas. Na Segunda Guerra Mundial foi contratada para cantar para os soldados americanos no front, mas queria se apresentar na cadeira de rodas, o que foi considerado ofensivo e ela então teve seu contrato rescindido.

Connee em um filme, em carreira solo

Connee em um raro registro em sua cadeira, já na década de 50

Seu último trabalho foi na série de TV Pete Kelly's Blues (1959), onde interpretou a cantora Savannah Brown.


O ROCK NO CINEMA

Apesar do canção das Boswell Sisters chamar-se "rock and roll" ela não pertence ao gênero musical do rock. A primeira vez que este termo foi usado no cinema foi em uma frase no filme Asleep in the Feet (1932), uma comédia curta de Hal Roach. No filme Casa Maluca (The Big Store, 1941), a atriz Virginia O'Brien canta um boogie woogie cujo o refrão diz  "rock, rock, rock it, baby...".

É difícil dizer quem é "o pai" do rock, e seria necessário muito mais tempo para escrever sobre a evolução do rock no cinema, que "estourou" a partir da década de cinquenta com o filme Ao Balanço das Horas (Rock Around the Clock, 1956), estrelado por Bill Halley e seus cometas. Ou os filmes de Elvis Presley, que viriam na sequência. 


Como a maioria das expressões culturais, o rock' and roll é uma mistura de várias influências e teve vários pioneiros envolvidos para tornar-se o ritmo que conhecemos hoje. Mas não podemos deixar de destacar a importância da cantora Sister Rosetth Tharpe (1915-1973), uma cantora gospel casada com um pastor do Arkansas. Se não podemos dizer quem é "o pai do rock", não seria leviano dizer que Rosetta é a "mãe" do gênero. Ela apareceu em alguns filmes na década de quarenta.

Sister Rosetta Tharpe em 1955


0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil