Últimas Notícias

6/recent/ticker-posts

Acadêmia de Artes e Ciências Cinematográficas repõe o Oscar de Hattie McDaniel, desaparecido há mais de 60 anos



Em 1939 a atriz Hattie McDaniel entrou para a história como a primeira artista negra a vencer um Oscar (de Atriz Coadjuvante), pelo seu papel como a criada Mammy no clássico …E o Vento Levou (…Gone With Wind, 1939). Hattie, que teve que sentar em uma mesa separada da cerimônia de premiação, e não pode comparecer na pré-estreia do filme em questão (pois o cinema onde foi exibido não permitia a entrada de pessoas negras), dava os primeiros passos contra a discriminação em uma lucrativa indústria que por muitos anos não fez questão de esconder seu racismo enraizado.


Em 1960, oito anos após a morte a sua morte, a atriz sofreria outro golpe racista que marcaria sua trajetória. Morta em 26 de outubro de 1952, aos 59 anos de idade, Hattie não teve filhos, e não deixou herdeiros. Em seu testamento, ela registrou seu desejo para que seu acervo, que incluia sua estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante, fosse doada ao acervo da Howard University, uma instituição com longa trajetória na formação de atores.

Seu Oscar então ficou por quase uma década exposto em uma vitrine da universidade, porém, em 1960, em meio aos protestos pelos direitos civís dos negros, que pediam o fim da segregação racial legalizada, um grupo de estudantes da Universidade fez um protesto retrógado, cuja principal pauta era a insatisfação diante da decisão da Howard University de incluir alunos negros nas salas de aula da instituição de ensino.

Durante esta revolta racista, a vitrine foi quebrada, e o Oscar de Hattie desapareceu. E embora a universidade não tenha registrado oficialmente o desaparecimento do inestimado prêmio, a versão mais aceita é de que ele tenha sido jogado no Rio Potomac. Outro item desaparecido durante este ataque foi o par de sapatos do ator Bill "Bojangles" Robinson, um lendário bailarino dos primeiros tempos de Hollywood, que estavam espostos ao lado do Oscar de Hattie McDaniel.

Bill "Bojangles" Robinson

Sessenta e três anos depois do ato de vandalismo que fez com que o Oscar (e os sapatos de Bojangles) se perdessem na história, a Acadêmia promoveu na noite de 01 de outubro o evento "Hattie's Come Home" (Hattie volte para casa), colocando uma réplica idêntica ao prêmio recebido pela atriz no final da década de 1930 no Museu do Oscar, criado em 2021. Desde sua inauguração, o museu exibia um espaço vazio dedicado ao prêmio concendido a artista, e agora, passadas seis décadas desde seu desaparecimento, o seu merecido prêmio retorna a sua casa original.

Em tempo, o Oscar de Hattie McDaniel é diferente da estátueta que estamos habituados a ver, já que até entre 1937 (ano da criação da categoria coadjuvante) até 1944, ele era um prêmio diferente, consistindo em uma pequena placa, com uma réplica do Oscar tradicional.


Leia também:  Hattie McDaniel, a luta constante de uma pioneira

Leia também:  Cantora Joyce Bryant, chamada de "A Marilyn Monroe Negra", morre aos 95 anos de idade

Leia também: Oscar Micheaux, o primeiro cineasta negro da história do cinema

Leia também: A luta de Hattie McDaniel para viver em sua própria casa

Veja também: Homenagem a Ruth de Souza

Veja Também: Os Artistas que Morreram em 2021

Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

Siga também nosso Instagram

Siga também no Kwai

Postar um comentário

0 Comentários