A elegante Beatriz Lyra


A talentosa atriz Beatriz Lyra tem uma carreira consagrada nos palcos, cinema e televisão. O autor Manoel Carlos costuma dizer que ela é "seu amuleto da sorte".


Beatriz Alcina de Lyra Andrade nasceu na cidade de Canhotinho, na Bahia, no dia 02 de maio de 1933 (algumas fonte, erroneamente dizem que ela nasceu em 1930). Mas aos seis anos de idade, ela já morava em Recife.

Depois, a atriz mudou-se para o Rio de Janeiro, onde foi aluna de um colégio interno. Em 1952 inciou sua carreira artística no Teatro Experimental de Ópera, de Paschoal Carlos Magno e Alda Pereira Pinto. Mas sua estréia profissional foi em 1956.

Foi em 1968, na peça Luz de Gás (1968), entretanto, que ela despontou no teatro, onde firmou uma sólida e prestigiada carreira teatral, destacando-se em peças como Chantagem (1969), A Teia de Aranha (1970), Senhorita Julia (1971) e Um Vizinho em Nossas Vidas (1971), onde atuou ao lado da amiga de toda vida Theresa Amayo.


Theresa Amayo, Myrian Pérsina e Beatriz Lyra em Um Vizinho em Nossas Vidas
(Acervo de Theresa Amayo)


No teatro ainda, merecem menção as peças Crimeterapia (1973) e Chiquinha Gonzaga (1974), onde ela interpretou Nair de Teffé (Eva Todor vivia Chiquinha Gonzaga). Ela ainda atuou em peças como Divórcio, Cupim da Sociedade (1977), Campeões do Mundo (1980), O Preço (1988) e Jornada de Um Poema (2000).

Beatriz Lyra e grande elenco em Crimeterapia

Em 1969 a atriz estreou na televisão, fazendo uma participação especial em A Ponte dos Suspiros (1969). Mas só retornaria a TV anos mais tarde, após formar-se também em turismo.

Beatriz Lyra, Ary Fontora e Georgina de Morais em A Fonte dos Suspiros

Em 1971 estreou no cinema, como a mãe de Carlos Mossy em Lua de Mel e Amendoim (1971), mas fez poucos filmes, apenas mais dois: Este Rio Muito Louco (1977) e J.J.J., o Amigo do Super-Homem (1978).

Em 1975 retornou à TV, na bem sucedida novela A Moreninha (1975), na Rede Globo. No ano seguinte atuou em outro grande sucesso da teledramaturgia, A Escrava Isaura (1976), onde interpretava Esther.

Beatriz Lyra e Lucélia Santos em A Escrava Isaura

Na Globo, A atriz participou de Ciranda, Cirandinha (1978), Marina (1980), Brilhante (1980), Elas Por Elas (1982), Guerra dos Sexos (1983), Amor Com Amor se Paga (1984), Mandala (1987), Barriga de Aluguel (1990), O Dono do Mundo (1991), Felicidade (1991), História de Amor (1995), Por Amor (1997), Laços de Família (2000), Mulheres Apaixonadas (2004) e fez participações especiais em Senhora do Destino (2004), O Profeta (2006).

Muitas  de suas novelas, foram escritas por Manoel Carlos, o Maneco.

Sérgio Viotti e Beatriz Lyra em História de Amor

Também contracenou com o ator Jardel Filho em Sol de Verão (1982-1983), o último trabalho do ator, que morreu na reta final da novela. E na Manchete, atuou em Novo Amor (1986).

Jardel Filho e Beatryz Lyra em Sol de Verão

Beatriz Lyra e Ê|nio Gonçalves em Novo Amor

Afastada das telas desde que fez uma participação especial em Haja Coração (2016), Beatriz Lyra vive no Bairro do Catete, no Rio de Janeiro. A atriz nunca se casou, nem teve filhos.

Theresa Amayo e Beatriz Lyra, atualmente 
(Acervo de Theresa Amayo)

Beatriz Lyra, Ilka Soares, Theresa Amayo, Eva Todor e Nathália Timberg
(Acervo Coleção Marcelo Del Cima)


Milton Gonçalves e Beatriz Lyra


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil