Quando Gene Barry, ou melhor, Bat Masterson, veio ao Brasil


Em 1961 a TV Record começou a exibir a série Bat Masterson (Idem, 1958-1961), que logo fez um enorme sucesso por aqui, principalmente entre a criançada. A bengala de Bat Masterson, que junto com seu chapéu coco era sua marca registrada, passou a ser um dos brinquedos mais cobiçados do país, na época.

Bat Masterson, que era inspirado em um personagem real do velho oeste americano, também ganhou as páginas das histórias em quadrinhos brasileiras.




A série era estrelada pelo ator canadense Gene Barry (nascido em 14 de junho de 1919). Barry já tinha uma longa carreira, em especial na televisão, antes de estrelar a série, e havia protagonizado o clássico de ficção científica A Guerra dos Mundos (The War of the Worlds, 1953).

Gene Barry em A Guerra dos Mundos

Por aqui, a série tinha patrocínio dos Sabonetes Cinta Azul (do compositor Fernando César), e o tema de abertura fazia sucesso na voz do cantor Carlos Gonzaga, mas também foi gravada por Altamiro Carilho, Valdir Azevedo, Ronnie Cord (em inglês) e pela orquestra de Romeu Fossati. A versão brasileira foi composta por Nazareno de Brito.

Havia ainda uma versão, de paródia, cantada no Rio de Janeiro, em homenagem ao delegado linha dura Perpétuo de Freitas. Os versinhos diziam assim:

"Em Passo Fundo ele nasceu
Na Guanabara se criou
Um detetive às direitas,
Perpétuo de Freitas
Perpétuo de Freitas

Não tem bengala
e usa chapéu
sempre o amigo mais fiél
pega bandidos nas malocas
é o Bat Masterson dos Cariocas"



Carlos Gonzaga cantando Bat Masterson


Em novembro de 1961, quando a série já havia sido cancelada nos Estados Unidos, a TV Record, que exibia a série na sua grade de programação, trouxe Gene Barry para uma uma séries de shows nos palcos da emissora.

A ideia partiu dos filhos gêmeos do empresário Oscar Orestein. Orestein havia sido responsável por trazer diversos astros internacionais para os shows da Record, todos destinados ao público adulto. Seus filhos sugeriram ao pai trazer Bat Masterson, para a alegria da criançada.

Oscar Orestein e Gene Barry, lendo uma revista Manchete

No aeroporto, no Rio de Janeiro, o astro foi recebido por uma comitiva da TV Record, que incluía os comediantes Ronald Golias e Pato Preto, que também fazia a linha cowboy. Esperando por Barry também, uma legião afoita de crianças esperando para ver de perto o ídolo da TV.

Uma dessas crianças era o filho do presidente João Goulart, que ganhou uma bengalinha de presente do ator.

Gene Barry e Pato Preto (vestido de Bat Masterson), no aeroporto




Gene Barry chegou no Rio de Janeiro, em 23 de novembro de 1961, e seu primeiro compromisso oficial foi um evento beneficente no Copacabana Palace. Com ingressos a preços exorbitantes, o Gril Room do hotel, famoso por apresentar shows de astros internacionais, teve que se adaptar aos clientes mirins, servindo sorvete e distribuindo bengalinhas de brinquedos.

Durante o evento, ouve um desfile de moda, que contou com Gene Barry, contrariado, desfilando como modelo. Na então capital federal, ele ainda fez quatro shows lotados, no Maracanãzinho. Murilo Néry, que dublava o ator no Brasil, também participou do show.

Gene Barry no Maracanãzinho

Gene Barry e Murilo Néry

Em 28 de novembro o ator viajou para São Paulo, para se apresentar na TV Record, fazendo seu primeiro show no dia 29. O ator fez uma série de apresentações, que foram até o dia 03 de dezembro.

Bat Masterson, em São Paulo



O primeiro show começou com um grande atraso. Num cenário imitando o velho oeste, e com muitos figurantes vestidos como bandidos, Gene Barry entrou no palco através de portas de um saloon. A garotada foi ao delírio. Bat Masterson, ao vivo, deu uma surra nos bandidos.

Mas o resto do show foi meio decepcionante. Barry não fazia muita coisa, e passou o resto do show cantando, e com exceção da música de abertura, canções que nada tinham a ver com o esperado pelo público, como Moon River e True Love, fizeram parte do show do artista. Gene Barry era um bom cantor (e até havia gravado discos), mas as crianças queriam Bat Masterson.

No site Foreign Acts Visit Brazil 1957 to 1968, é possível ler mais sobre o show de Gene Barry no Brasil (e de diversos outros artistas). O site pode ser acessado aqui.


O mal sucedido show fez com que o patrocinador cortasse o patrocínio para o artista se apresentar na TV Rio. Com o show do Rio cancelado, Gene Barry aproveitou para fazer uma turnê pela América do Sul, cantando na Argentina, Uruguai e Peru. Ele ainda voltou ao Brasil, no retorno de navio aos Estados Undos. Na ocasião, em 28 de dezembro daquele ano, ainda fez mais um show no Copacana Palace, onde distribuiu bengalas, vestido de Papai Noel Bat Masterson.


De volta aos Estados Unidos, Gene Barry seguiu atuando. Na televisão, ainda faria sucesso nas séries A Lei de Burke (Burke's Law, 1963-1966) e Os Audaciosos (1968-1971). Em 2005 fez seu último papel no cinema, a convite de Steve Spilberg. Ele e Ann Robinson, sua colega de elenco de A Guerra dos Mundos (1953), fizeram uma participação no remake do filme, feito em 2005 e estrelado por Tom Cruise.



Gene Barry e Ann Robinson em A Guerra dos Mundos (de 2005 e 1953)

Gene Barry morreu dormindo, em 09 de dezembro de 2009, aos 90 anos de idade.


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

5 comentários:

  1. Gene Barry ficou puto ao ver, no Teatro Record Consolação, uma faixa com a imagem de Bat Masterson. Ao ser apresentado a Paulo Machado de Carvalho Filho, foi grosso e lhe disse que "Não tinha prazer de conhecê-lo porque não sou Bat Masterson. Sou Gene Barry. Já fiz outros filmes". E teve a resposta de Paulinho: "Gene Barry não interessa para nós. O que interessa é Bat Masterson". Na apresentação Barry dava uma bofetada em um vilão, feito pelo ator Chocolate. Um dia Chocolate não pode ir e foi substituído pelo contra-regra Armando Mirabelli. Só que esqueceram de falar da bofetada. Quando levou o golpe, o substituto ficou putíssimo e revidou. Ai Barry fez o mesmo e deu um tremendo sururu. Depois, a bambolina do teatro começou a pegar fogo e Barry, pensando que isso fazia parte do show... continuou sua apresentação! No fim do contrato, Pauulinho, para fazer as pazes com Barry, lhe mandou, como presente, um para de abotoaduras. O ator mandou devolver, dizendo ser o presente muito insignificante. Ai Paulinho mandou buscar na H.Stern o par de abotoaduras maior, mais extravagante e, principalmente, mais brega do joalheiro. Ai Barry ficou surpreso e tremendamente agradecido...

    ResponderEliminar
  2. No desfile do Copacabana Palace ele desfilou ao lado de Georgia Quental, que tem perfil no Facebbok e quer uma foto ao lado dele

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente não achei nenhuma foto do desfile. Se alguém tiver poderia enviar?

      Eliminar

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil