Carol Lynley, de O Destino do Poseidon, morre aos 77 anos


A atriz Carol Lynley, a cantora Nonnie Parry de O Destino do Poseidon (The Poseidon Adventure, 1972), faleceu no dia 03 de setembro, aos 77 anos de idade.


Carol Ann Jones nasceu em Nova York, em 13 de fevereiro de 1942. Carol começou a trabalhar como modelo mirim usando o nome Carolyn Lee, mas em 1957, ao ser retratada pela revista Life, descobriu que já havia outra atriz usando este nome, passando a adotar o nome artístico Carol Lynley.

Lynley estreou como atriz na televisão em 1956, mas só fez seu primeiro filme, Não Renego Meu Sangue (TheLight in the Forest, 1958) dois anos depois. A produção era dos Estúdios Disney, e ela contracenava com o ator Fess Parker e James MacArthur.

Carol Lynley no poster de Não Renego Meu Sangue

Em 1959 ela atuou em Amantes em Férias (Holiday For Lovers, 1959), que tinha cenas gravadas em São Paulo, no Brasil. No mesmo ano, ao lado de Brandon de Wilde interpretou uma adolescente que fica grávida em Blue Jeans - O Que os Pais Desconhecem (1959). Por estes trabalhos, recebeu duas indicações ao Globo de Ouro como atriz mais promissora.

Brandon de Wilde e Carol Lynley

Ela destacou-se em filmes como De Volta à Caldeira do Diabo (Return to Peuton Place, 1961), O Último Por-do-Sol (The Las Sunste, 1961), Don Juan Era Aprendiz (Under the Yum Yum Tree, 1963), O Cardeal (The Cardinal, 1963), Venus à Venda (The Stripper, 1963), e Bunny Lake Desapareceu (Bunny Lake is Missing, 1965).

No filme Chama Ardente (Harlow, 1965), deu vida a antiga estrela da década de 30 Jean Harlow.

Carol Lynley em Chama Ardente

Na década de 70 passou a trabalhar mais na televisão, mas brilhou em filmes como O Destino do Poseidon (The Poseidon Adventure, 1972), onde interpretou a cantora da trágica embarcação. No filme, ela aparecia cantando a canção The Morning After, que venceu o Oscar daquele ano. Porém, a voz que ouvimos no filme, na verdade, é da atriz e cantora Renee Armand.


Ela também é lembrada por seu papel no filme de terror O Gato e o Canário (The Cat and the Canary, 1978) e por fazer par romântico com o cantor Julio Iglesias em Me Olvidé de Vivir (1980).

Nos anos seguintes, continuou atuando, sem muito destaque. Seu último trabalho como atriz foi no curta-metragem Vic (2006), dirigido por Sage Stallone.

Carol Lynley sofreu um ataque cardíaco fulminante em sua casa, em 03 de setembro de 2019.



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentário:

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil