Visitando Casablanca, durante uma escala com a Royal Air Maroc


Esta é uma página sobre cinema, e não sobre viagens, mas aproveito aqui para relatar minha experiência de uma escala de 21 horas na cidade de Casablanca, no Marrocos, durante uma longa escala pela Royal Air Moroc. Faço isto para tirar dúvidas que eu mesmo tinha, e não encontrei na internet antes de viajar.

Estava estudando em Portugal, mas chegou a hora de voltar para o Brasil. Como em dois anos você acumula mais coisas que levou, e ainda as cias aéreas brasileiras limitaram as malas, voltar pela Royal Air Maroc, que dá duas malas (de 23 quilos) grátis, foi uma boa opção (além de ser o preço mais barato que encontrei).

Porém, apesar do preço e das malas, a escala era de 21 horas no Marrocos, antes de regressar para São Paulo. Porém, a empresa oferece para todos os passageiros em escalas longas (com mais de 11 horas de duração), hotel, translado e refeições. Essa informação não é muito divulgada, mas se você não tiver pressa, vale a pena, porque você pode passear um pouco pela cidade, sem grandes custos.

Ao chegar no aeroporto de Casablanca, não tem muitas informações nem placas. Suba as escadas em direção ao local de pegar a bagagem (não vá pelo corredor das conexões) e saia da área de passageiros. Suba para o segundo andar, e vá para o escritório da Air Maroc (vai ter um grupo de passageiros indo para o mesmo lugar).

Lá, apresente sua passagem que irão apenas anotar o hotel para o qual você será enviado. A empresa tem vários hotéis, um próximo ao aeroporto. Eu fiquei no Hotel Zenith, que era mais próximo ao centro. Com o grupo de passageiros que vão para o hotel reunido, você é encaminhado para um carro que levará você para o seu hotel. No dia seguinte, o mesmo veículo te leva de volta ao aerporto para o seu embarque.

Cheguei era por volta das 19:00 horas, e fiz esta foto dentro do carro que
me levou para o hotel, ainda no aeroporto

Vi na internet que você pode pedir qual hotel quer ficar. Não sei dizer se é verdade, e na hora fui informado que estava sendo enviado para o hotel do centro pois o do aeroporto estava lotado já. Como queria ficar mais perto do centro para passear na cidade, não achei ruim.

O Hotel Zenith é 4 estrelas, e achei ele lindo. O quarto era ótimo, e embora viajasse sozinho, fiquei em um quarto com 2 camas de solteiro (muito confortáveis). Durante esta aventura, fiz amizade com o grupo de passageiros na mesma situação, que passearam comigo, o que tornou a escala ainda mais interessante. Mas leve uma muda de roupa, pois você só ficará com a mala de mão, o resto da sua bagagem só irá ser retirada na chegada ao Brasil.






Como já disse, achei o quarto super confortável, bonito e limpo. Banheiro com banheira, televisão e ar condicionado. Mas já li relatos de outras pessoas que não ficaram em hotéis tão bons.





Ao chegar no hotel, o checking foi simples, deixei a mala, tomei um banho e fui para o jantar. O jantar (e todas as refeições, no meu caso café da manhã e almoço também), são também oferecidos gratuitamente pela Royal Air Maroc. Mas com exceção do café da manhã, que é buffet onde você se serve, você não escolhe as refeições. São servidos três pratos, entrada, prato principal e sobremesa. A bebida é paga a parte, mas água é grátis. Um refrigerante fica 2 euros, e uma cerveja 3. A moeda local é Dirrã Marroquino. Eu não fotografei a sobremesa, mas era um pudim de caramelo, menos doce que o nosso, mas muito bom.



Se você está indo, leve euros, pois não vai encontrar onde trocar reais. A conversão oficial não é esta, mas a feita na cidade faz com que 10 dirrãs valham 1 euro. 

Após jantar, como fã de cinema (como já disse, esta página é sobre cinema), fui visitar o Ricky's Café, inspirado no café de Humprey Bogart no filme clássico Casablanca, de 1942. O lugar é o segundo ponto mais visitado por turistas na cidade. Eu fiz um longo relato sobre minha visita ao café em outra matéria, que você pode ler aqui.



No dia seguinte, após o café da manhã, fui vistar a Mesquita, a atração mais visitada por turistas. Ela é linda, mas não é antiga, foi construída entre 1987 e 1992, e fica sobre o mar. Por questão de tempo não entrei no prédio, mas o ingresso custava 12 euros.









Para chegar ao local fui de táxi. Sempre negocie os preços, porque eles tentam te enganar. Negocie e pechinche em tudo, locais de compra, taxistas. Deixe bem claro o preço acertado, porque na hora podem querer te cobrar a mais, e confira bem seu troco. E se prepare, os táxis podem estar em péssimo estado, e o trânsito da cidade é caótico.

A Mesquita fica na orla da praia, que tem um calcadão bonito, mas infelizmente, o mar é bem sujo com o lixo humano.



Da Mesquita, fui de táxi para a antiga medina, que é uma espécie de mercado popular. Dá para ir a pé, cerca de 20 minutos de caminhada, mas como meu grupo tinham crianças pequenas, fomos de táxi por causa delas. Não fiz muitas fotos da Medina, mas me decepcionei um pouco, imaginava algo mais cenográfico, como vejo nos filmes. Parece um camelodromo, que vende de tudo, de tênis falsificado a roupas típicas. Porém, me decepcionei por não encontrar nenhuma barraca de temperos, que queria trazer para o Brasil. Mas muitas vendem óleo de argan e derivado, o que te confunde as vezes.

Cuidado com carteiras, e sempre, sempre pechinche! 

Foto que tirei em uma área menos tumultuada na Medina

Eu quando viajo gosto de andar pelas ruas, para sentir a cidade, conhecer sua vida local, mas a escala era curta, e acabou sendo um pouco corrido (não exaustivo). Voltei ao meio dia para o hotel, fiz check out, e almocei (correndo), pois o carro para o aeroporto era as 13 horas. O meu voo era as 17, mas com o trânsito do Marrocos, é bom mesmo sair bem cedo.

Caso você só queira descansar, o hotel é confortável, e tem piscina, acadêmia e spa.



Era junho, e o dia estava muito quente. Então, carregue água com você. No aeroporto, um gatinho dormia em um vaso, aproveitando o ar condicionado.





E como disse, está não é uma página de viagens, mas sim sobre cinema clássico. Se este assunto te interessa, por favor, siga a gente no Facebook, para acompanhar nossas matérias.


Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil