Stanley Donen, diretor de Cantando na Chuva, morre aos 94 anos


Donald O'Connor, Stanley Donen e Gene Kelly

Morreu no dia 21 de fevereiro o diretor norte-americano Stanley Donen, diretor de clássicos do cinema como Cantando na Chuva (Singing' in the Rain, 1952), Sete Noivas Para Sete Irmãos (Seven Brides for Seven Brother, 1954), Charada (Charade, 1963) e Um Pijama para Dois (The Pajama Game, 1957).

Stanley Donen nasceu em Columbia, Carolina do Sul, em 13 de abril de 1924. Aos 16 anos ele mudou-se para Nova York, em busca da carreira de ator. Ele então conseguiu um emprego como dançarino na produção de Pal Joey (No Brasil, Meus Dois Carinhos), na Broadway. A peça era estrelada por Gene Kelly.



Donen estreou na Metro Goldwyn Mayer como coreógrafo e dançarino em A Rainha dos Corações (Best Foot Forward, 1943), estrelada por Lucille Ball. Donen ainda apareceu em Modelos (Cover Grls, 1944), estrelado por Rita Hayworth e Gene Kelly, ele também dirigiu uma sequência na qual Kelly dança consigo mesmo, em uma escura rua de Manhattan.

No filme, Donen  Sua primeira oportunidade de dirigir um filme inteiro foi na adaptação de um musical sobre marujos de folga em Nova York, Um dia em Nova York (On the Town, 1949), novamente estrelado por Gene Kelly e Frank Sinatra.

Em seguida, dirigiu Fred Astaire em Núpcias Reais (Royal Wedding, 1951), onde o dançarino faz um número subindo pelas paredes. Em 1952 ele dirigiu seu filme mais famoso, Cantando na Chuva (Singing' in the Rain, 1952), considerado por muitos críticos o melhor musical de todos os tempos.



Donen, chamado de o rei dos musicais, dirigiu filmes como O Melhor é Casar (Love Is Better Than Ever, 19520, com Elizabeth Taylor; Sete Noivas Para Sete Irmãos (Seven Brides for Seven Brother, 1954), com Howard Keel e Jane Powell; Cinderela em Paris (Funny Face, 1957), com Audrey Hepburn e Fred Astaire; Um Pijama para Dois (The Pajama Game, 1957), com Doris Day; Malditos Yankees (Damm Yankees, 1958), com Tab Hunter; Charada (Charade, 1963), com Audrey Hepburn e Cary GrantArabesque (Idem, 1966), com Gregory Peck e Sophia Loren; O Diabo é Meu Sócio (Bedazzled, 1967), Com Dudley Moore e Rachel Welch e Um Caminho para Dois (Two for the Road, 1967), com Albert Finney e Audrey Hepburn.

Com o declínio do gênero musical, ele começou a diminuit seus trabalhos, mas ainda dirigiu o clássico O Pequeno Príncipe (The Little Prince, 1974), com Gene Wilder e Bob Fosse. Em 1980 dirigiu a ficção científica Saturno 3 (Saturn 3, 1980), estrelada por Kirk Douglas e Farrah Fawcett.

Seu último filme para o cinema foi o romance Feitiço do Rio (Blame it on Rio, 1984), rodado no Brasil e estrelado por Michael Caine e Demi Moore. No elenco ainda vários artistas brasileiros como José Lewgoy, Lupe Gigliotti, Jane Duboc, Rômulo Arantes, Zeni Pereira, Nelson Dantas e Tessy Calado.

 Stanley Donen e Michael Caine nos intervalos de Feitiço do Rio

Donen ainda dirigiu alguns trabalhos na televisão, e se aposentou definitivamente após dirigir o telefilme Cartas de Amor (Love Letters, 1999).

Stanley Donen nunca foi indicado ao Oscar, mas recebeu um prêmio especial pelo conjunto da obra em 1998. Donen agradeceu cantando Check to Check, canção clássica imortalizada no cinema por Fred Astaire, e sapateou no palco. Num dos momentos mais emocionantes da história do Oscar.


Stanley Donen morreu em 21 de fevereiro de 2019, aos 94 anos de idade. Sua morte foi informada por Michael Phillips, crítico de cinema do Chicago Tribune.


Stanley Donen e Meryl Streep em 2018

Leia também: Morre o ator Tab Hunter, aos 86 anos
Leia também: 18 curiosidades sobre Farrah Fawcett
Leia também: Kirk Douglas celebra 102 anos de vida!
Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil