Por Onde Anda? Kate Jackson, de As Panteras


Quando Kate Jackson foi escalada para formar o trio inicial da série As Panteras (Charlie's Angeles, 1976-1981), onde interpretou a agente Sabrina Duncan, ela era a atriz com mais experiência em atuação. Jackson já tinha feito um nome no cinema e televisão.

Farrah Fawcett, Kate Jackson e Jaclyn Smith em As Panteras

Lucy Kate Jackson nasceu no Alabama, em 29 de outubro de 1948. Kate Jackson estudou interpretação na Universidade, e no final da década de 1960 mudou-se para Nova York, para estudar na American Academy of Dramatic Arts.

Jackson trabalhou como guia turístico no Rockfeller Center, antes de conseguir um emprego na série de televisão de teor sobrenatural Sombras Tenebrosas (Dark Shadows), onde interpretou a misteriosa Daphne Harridge, permanecendo nas temporadas de 1970 e 1971. Ela também estrelou o filme Maldição das Sombras (Night of Dark Shadows, 1971), que era baseado no enredo do programa.

Kate Jackson em Sombras Tenebrosas

Ao deixar a série, fez algumas participações em outros programas de televisão, como Bonanza, e estrelou o drama Acorrentadas ao Passado (Limbo, 1972). E entre 1972 a 1976 também estrelou outra série de televisão, Os Novatos (The Rookies), onde interpretava uma enfermeira.

Neste período, também esteve no elenco do terror Abelhas Assassinas (Killer Bees, 1974), onde contracenou com a veterana Gloria Swanson.

Kate Jackson em Bonanza

Kate Jackson em Os Novatos

Kate Jackson e Gloria Swanson em Abelhas Assassinas

Após receber boas críticas por seu desempenho no telefilme O Santuário de Lorna Love (Death at Love House, 1976), a atriz foi convidada para se juntar a Farrah Fawcett e Jaclyn Smith no elenco da série As Panteras (Charlie's Angels), em 1976. Na verdade, ela ficou com o papel por uma questão contratual, já que havia assinado com a NBC para estrelar Os Novatos, e contrato ainda estava em vigência.

Aaron Spelling queria que ela interpretasse a Pantera Kelly, mas ela pediu para ficar com a personagem Sabrina Duncan. A série rendeu a Jackson quatro indicações ao Globo de Ouro, e duas ao prêmio Emmy.


Jaclyn Smith, Kate Jackson e Farrah Fawcett

Kate Jackson havia deixado claro que queria seguir sua carreira paralela a série, e em 1977 chegou a atuar no filme Trovões e Relâmpagos (Thunder and Lightinig, 1977), e no piloto de James at 15 (1977), que lhe rendeu outra indicação ao Emmy.

Mas as gravações se tornaram exaustivas, e a NBC a obrigou a recusar o papel principal em Kramer vs Kramer (Idem, 1979), que acabou rendendo o primeiro Oscar para Meryl Streep. Jackson ficou chateada de perder um papel tão importante, e pediu para deixar o elenco. Shelley Hack entrou em seu lugar.

Farrah Fawcett também já havia deixado o elenco anteriormente, e Cheryl Ladd havia entrado em no elenco para substituí-la. Ladd e Kate Jackson nunca se deram bem nos bastidores, o que ajudou na decisão de sua saída definitiva.

Jaclyn Smith, Cheryl Ladd e Shelley Hack, em As Panteras

Mas a atriz ficou um pouco queimada no meio artístico, e conseguiu alguns poucos trabalhos nos anos posteriores a sua saída, atuando apenas em alguns telefilmes. Mas em 1982 o diretor Arthur Hiller a escalou para protagonizar Fazendo Amor (Making Love, 1982), onde ela contracenava com Henry Hamlin e seu antigo colega de Os Novatos Michael Ontkean.

O filme hoje é considerado à frente de seu tempo, por lidar com sensibilidade o tema da homossexualidade, mas no entanto, na época recebeu críticas ruins, e foi um fracasso nas bilheterias.


Entre 1983 e 1987 ela estrelou sua quarta série de televisão, Scarecrow and Mrs. King, que lhe valeu uma quarta indicação ao Globo de Ouro. Mas a série foi cancelada quando Kate Jackson descobriu que estava com câncer de mama, e pediu para deixar o elenco para tratar de sua saúde.



Achando estar recuperada, interpretou a mãe de Patrick Dempsey na comédia Loverboy: Garoto de Programa (Loverboy, 1989), e ganhou um papel em Baby Boom, uma série cancelada após o décimo terceiro episódio.

Mas em setembro de 1989 uma nova mamografia indicou um câncer de mama residual, e ela precisou fazer uma mastectomica parcial. Pouco tempo depois, a atriz também descobriu uma grave doença cardíaca, e precisou de novas operações, até 1995. Neste período, Kate Jackson fez poucos trabalhos, todos na televisão, mas se tornou uma voz ativa na conscientização sobre o câncer de mama e doenças do coração.

Durante o período em que lutou contra a doença, ela se reaproximou das antigas colegas de As Panteras, Jaclyn Smith e Farrah Fawcett, que também travavam uma batalha contra o câncer. Elas passaram a formar uma corrente de apoio mútuo, mas infelizmente a a loura Farrah acabou falecendo, em 2009.

Farrah Facett, Kate Jackson e Jaclyn Smith

Recuperada, ela voltou a atuar, mas sua carreira nunca mais teve a mesma projeção de antes. Ela fez alguns filmes para a televisão, e participou de algumas séries como Sabrina, a Aprendiz de Feiticeira (Sabrina, the Teenage Witch) e Ally McBeal. Seu último trabalho como atriz foi em uma participação na série Mentes Criminosas (Criminal Minds), em 2007.

Kate Jackson em Ally McBeal

Em 2010 a atriz declarou falência. Um antigo agente, responsável por seus investimentos, havia feito ela perder seu todo seu patrimônio, avaliado em cerca de três milhões e meios de dólares.

Kate Jackson foi casada três vezes, e em 1995 adotou seu único filho, Charles Taylor Jackson.

Kate Jackson atualmente

Kate Jackson, antes e depois


0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil