Esses Populares Tão Desconhecidos - Elliot Carpenter, o verdadeiro pianista de Casablanca


Em 1942 o diretor Michael Curtiz escalou o o ator e músico Dooley Wilson para interpretar um pianista em Casablanca (Idem, 1942), o inesquecível Sam entrou para a história do cinema na cena clássica onde ele canta As Time Goes By no filme.

Dooley Wilson, Humprey Bogart e Ingrid Berman em Casablanca

Porém, o que poucos sabem é que Dooley Wilson não sabia tocar piano, ele era baterista. Para as cenas onde ele tocava o instrumento, foi escalado outro músico, sentado em outro piano, ao lado da câmera, seu nome é Elliot Carpenter (1894-1982).


Elliot Carpenter



Pianista, compositor, maestro e escritor, Elliot foi solista em diversas casas noturnas, cafés, cabarés e restaurantes em Nova York. Em 1925 viajou para uma importante turnê na Europa, tendo tocado na França e Inglaterra, onde aperfeiçoou-se ainda mais na música.Também publicou o livro Syncopation, sobre o movimento sincopado na música. Gravou muitos discos e é compositor de canções como No More Sleepy Time, The Little Things You Do e The Hills Are Mine. Seu primeiro contato com o cinema foi como compostor no filme Spirit of Youth (1938), estrelado pelo boxeador Joe Louis. Em O Rei da Alegria (Strike up the Band, 1940), da dupla Judy Garland e Mickey Rooney, ele apareceu como um dos músicos da banda onde Rooney "toca" bateria.
Em Casablanca também foi o pianista nas canções It Had to Be You, Shine, Knock on Wood, Baby Face, Avalon, As Time Goes By e nas improvisações do piano. O músico talentoso raramente foi creditado em seus trabalhos cinematográficos.  O filme Broken Strings (1942) foi uma rara exceção. Produzido para ser exibido em cinemas específicos para o público negro, o filme tem muitos números musicais, e Elliot tem uma participação importante no filme, fazendo ele mesmo, durante praticamente todas as apresentações. 

Confira a sua participação no filme


Ele ainda apareceria com músico em outro filme destinado ao público negro, Yes Sir, Mr. Bones (1951). Na década de setenta reapareceu no cinema em O Último dos Valentões (Farewell, My Lovely, 1975), uma releitura dos filmes noir da década de cinquenta. Elliot Carpenter aparece com um dos músicos da casa noturna frequentada por Robert Mitchum.

Elliot Carpenter em 12 de fevereiro de 1982, em Los Angeles.


Com Isaac Flower Hatch, com quem fez dupla na década de 20


Leia também: Dorothy Toy, a "Ginger Rogers" oriental

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil