Relembrando Richard Basehart, o Almirante Nelson de Viagem ao Fundo do Mar


Richard Basehart era um excelente ator, inclusive muito elogiado pelo gênial Federico Fellini, porém nunca alcançou o estrelato em Hollywood. Foi na televisão, como o Almirante Harriman Nelson da série Viagem ao Fundo do Mar (Voyage to the Bottom of the Sea, 1964-1968), que ele se consagrou junto ao grande público. Dono de uma voz potente, também ficou conhecido como narrador e locutor de diversas produções.




John Richard Basehart nasceu em Ohio, em 31 de agosto de 1914. Bahehart era um dos quatro filhos de uma editora de um jornal local, que havia ficado viúva, e estava em dificuldades financeiras. Ao deixar a faculdade, começou a trabalhar como locutor de rádio, e depois tentou seguir os passos do pai no jornalismo, mas uma controvérsia em uma história publicada por ele o fez largar a profissão, e investir na carreira de ator.

Ele estreou nos palcos em 1932 ainda em sua cidade natal, e posteriormente foi para Nova York, onde desempenhos papéis variados dentro e fora da Broadway.  Em 1945 ele ganhou um prêmio de ator revelação, e começou a chamar a atenção dos produtores cinematográficos.

Richard Basehart estreou no cinema em O Destino se Repete (Repeat Performance, 1947), um filme noir feito por um estúdio menor. Em seguida, atuou em Mansão da Loucura (Cry Wolf, 1947), na Warner, e recebeu muitos elogios pelo seu terceiro filme, Demônio da Noite (He Walked By Night, 1948), onde interpretou um assassino sociopata que é incessantemente perseguido pela polícia. O filme foi rodado em estilo documental, e a crítica escreveu "Com este papel, Basehart se estabelece com uma das descobertas mais talentosas de Hollywood nos últimos anos. Ele ofusca o resto do elenco.





Esta foi a primeira de muitas performances do ator em papéis de homens atormentados e introvertidos, e que sofriam de angústia mental. Sua galeria de personagens incluiu o político francês Rosbepierre, um dos líderes da Revolução Francesa em A Sombra da Guilhotina (Reign of Terror, 1949), e um membro da família Hatfield em Roseanna (Roseanna McCoy, 1949).


Richard Basehart fazendo teste de figurino para A Sombra da Guilhotina


Em Horas Intermináveis (Fourteen Hours, 1951) o ator apresentou um desempenho notável no papel de um homem que ameaça se jogar de um prédio (o filme era baseado em um suicídio real, ocorrido em 1938). Boa parte do filme foi gravado com a câmera em close up no rosto do ator. Anos mais tarde, Basehart lembrou "é o sonho de qualquer ator, monopolizar as lentes da câmera. O papel exigia principalmente as expressões dos meus olhos, lábios e músculos faciais".



Richard Basehart em Horas Intermináveis


Evitando o estrelato convencional do cinema, o ator selecionava meticulosamente os seus papéis, o que lhe garantiu muito respeito junto a crítica, mas não o deixou rico como seus colegas astros. O ator apareceu ainda em filmes como Náufragos do Titanic (Titanic, 1953) e Os Bons Morrem Cedo (The Good Die Young, 1954).

Em 1950, enquanto filmava Horas Intermináveis, sua primeira esposa faleceu repentinamente de um câncer no cérebro. Baseahart ficou arrasado, e diminuiu sua presença nas telas. Mas durante as filmagens de Terrível Suspeita (The House on Telegraph Hill, 1951), ele conheceu a atriz italiana Valentina Cortese, com quem se casou ainda em 1951.


Valentina Cortese e Richard Basehart


Cansado de Hollywood, o ator mudou-se para à Itália, junto com sua nova esposa. Na Itália, Richard Basehart procurou o cineasta Federico Fellini, e lhe pediu emprego no filme A Estrada da Vida (La Strada, 1954).

Fellini disse "depois do que você fez em Horas Intermináveis, pode fazer o que quiser", e lhe deu o papel de Bobo, o acrobata e palhaço por quem Gelsomina (Giulietta Masina) fica encantada quando vai trabalhar no circo.


Richard Basehart e Giulietta Masina em A Estrada da Vida


Na Europa, Basehart filmou na Itália e na Espanha, e se destacou como o nobre fanfarrão em Cartouche, o Espadachim Aventureiro (Le Avventure di Cartouche, 1955), e voltou a trabalhar com Fellini em A Trapaça (Il Bidone, 1955), onde viveu um dos membros da gangue de vigaristas.





Giulietta Masina e Richard Basehart em A Trapaça



O casamento com Valetina Cortese não ia bem, e o ator voltou para os Estados Unidos, para fazer novos trabalhos. Valentina ficou na Itália, junto com o filho do casal, o também ator Jackie Basehart. Richard ligava para a esposa todos os dias, mas ela nunca atendeu ao telefone.


O casal se divorciou legalmente em 1960. De volta à América, o ator interpretou Ishmael em Moby Dick (Idem, 1956) e foi o Ivan, um dos Irmãos Karamazov (The Brothers Karamazov, 1958). E em 1957 recebeu uma indicação ao Bafta por seu desempenho em Para Que Os Outros Possam Viver (Time Limit, 1957).




Richard Basehart em Moby Dick


Yul Brynner e Richard Basehart em Os Irmão Karamazov



Na década de 1960 sua carreira decaiu, e Richard Basehart precisou recorrer a televisão para continuar trabalhando, apesar de ter atuado em filmes como Cinco Mulheres Marcadas (5 Branded Women, 1960), Retrato em Negro (Portrait in Black, 1960), Meu Reino Encantado (For the Love of Mike, 1960), Cinzas Sem Glória (Hitler, 1962), Os Reis do Sol (Kings of the Sun, 1963) e O Mundo Marcha Para o Fim (The Satana Bug, 1965).



Richard Basehart como Adolph Hitler em Cinzas Sem Glória


Em 1964 Richard Basehart começou a interpretar  o Almirante Harriman Nelson na série Viagem ao Fundo do Mar (Voyage to the Bottom of the Sea, 1964-1968), o primeiro dos bem sucedidos seriados criados pelo produtor Irwin Allen.

A série fez um enorme sucesso, e até os dias de hoje encanta uma legião de fãs. 



Richard Basehart e David Hedison em Viagem ao Fundo do Mar





Seu filho, Jackie Basehart (1951-2015), também atuou em um episódio da série, que marcou sua estreia como ator. Já Richard chegou a fazer uma participação especial (como dublador) em outra série famosa de Irwin Allen, Perdidos no Espaço (Lost in Space).


Com o fim de Viagem ao Fundo do Mar, em 1968, Richard Basehart teve dificuldades de retomar sua carreira no cinema, passando a fazer uma série de participações como ator convidado em séries de TV, além de atuar em muitos telefilmes.


No grande écran o ator atuou em Renegado Vingador (Chato's Land, 1972), Fim de Uma Alegria (Rage, 1972), A Mansão Condenada (Mansion of the Doomed, 1976) e A Ilha do Dr. Moreau (The Island of Dr. Moreau, 1977). Seu último trabalho no cinema foi em Muito Além do Jardim (Being There, 1979), ao lado de Peter Sellers.



Richard Basehart em A Ilha do Dr. Moreau


Peter Sellers e Richard Basehart em Muito Além do Jardim


Basehart continuou atuando em algumas séries, e fez muitos trabalhos com sua voz, tendo inclusive narrado a mini série Masada (Idem, 1981), estrelada por Peter O'Toole.

Em 1982 ele interpretou o bilionário Wilton Knight no piloto da série Supermáquina (Knight Rider, 1982), e também forneceu a narração ouvida na abertura do programa, até ele ser cancelado em 1986.



Richard Basehart em A Supermáquina


Seu último trabalho foi narrador do encerramento dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984. Um dia após a festa de encerramento, ele sofreu o primeiro de muitos derrames, que lhe tiraram a vida em 17 de setembro de 1984.

Richard Basehart ainda foi casado com Diana Lotery (eles se casaram em 1962 e ficaram juntos até a morte do ator). Com Diana ele teve dois filhos, incluindo a maquiadora Gayla Basehart.

Com Diana Lotery, ele fundou uma instituição de proteção aos animais, em 1971, após ver um cachorro ser jogado de um carro em movimento em uma estrada.



Actors and Others For Animals, a fundação criada por Richard Basehart em 1971




Morre o ator Ed Asner, aos 91 anos de idade



Morreu no dia 29 de agosto o ator Ed Asner, conhecido por interpretar o personagem Lou Grant na série Mary Tyler Moore (Idem, 1970-1977). Indicado 20 vezes ao Emmy, ele recebeu 7 prêmios ao longo de sua prolífica carreira. Ele repetiu o personagem Lou Grant em nas séries Rhoda, Lou Grant e Roseanne.

Asner, que também dublou o personagem Carl Fredricksen na animação Up: Altas Aventuras (Up, 2009), faleceu em casa, enquanto dormia, de acordo com o seu agente Charles Sherman.




Com mais de 400 créditos em sua carreira, Yitzhak Edward Asner nasceu no Kansas, em 15 de novembro de 1929. Asner começou a atuar na televisão no final da década de 1950, e estreou no cinema em Talhado Para Campeão (Kid Galahad, 1962), mas foi na TV que ganhou mais destaque junto ao público.



No cinema, esteve em filmes como El Dorado (Idem, 1966), Missão Secreta em Veneza (The Venetian Affair, 1966) e Os Desajustados (The Todd Killings, 1971).


Ed Asner em El Dorado


Em 1970 ele passou a interpretar Lou Grant, o jornalista chefe e amigo de Mary Tyler Moore, na série de mesmo nome. Por seu trabalho em Mary Tyler Moore (Idem, 1970-1977), o ator recebeu 3 prêmios Emmy de melhor ator coadjuvante em série cômica.



Ed Asner e Mary Tyler Moore


Ed Asner receberia outro Emmy por seu trabalho no telefilme Rich Man, Por Man (1971), e por interpretar o Capitão Davies, o homem que captura e vende o protagonista Kunta Kinte na minissérie Raízes (Roots, 1977).


O personagem Lou Grant apareceria na série Rhoda, derivada de Mary Tyler Moore, e acabou ganhando seu próprio programa, Lou Grant (1977-1982). A série renderia outros prêmios Emmy para o ator, fazendo dele o único artista a ganhar um Emmy de comédia e um de drama por interpretar o mesmo personagem. Lou Grant ainda reapareceria na série Roseanne, em 1996.




 

Asner apareceu em diversas séries de televisão, e atuou nos filmes JFK: A Pergunta que Não Quer Falar (JFK, 1991), Tempestade (Hard Rain, 1998) e interpretou o Papa João XXIII no filme João XXIII - O Papa da Paz (Papa Giovanni - Ionannes XXIII, 2002), além de atuar em Esqueceram de Mim 5 (Home Alone: The Holiday Heist, 2012).



Ed Asner em JFK: A Pergunta que Não Quer Falar


Asner também dublou diversas animações, para séries e longa metragens. Seu mais famoso trabalho de dublagem talvez seja o do aposentado Carl Fredricksen em Up: Altas Aventuras (Up, 2009).





O ator ainda trabalhava ativamente, e deixou vários trabalhos inéditos. Recentemente, ele esteve no elenco de séries como Disque Amiga Para Matar (Dead to Me, 2019), Cobra Kai (2021) e Gracie & Frankie (2021).





Ex ator mirim Matthew Mindler, de O Idiota do Meu Irmão, é encontrado morto, aos 19 anos de idade




O ator Matthew Mindler, que interpretou o sobrinho de Paul Rudd na comédia O Idiota do Meu Irmão (Our Idiot Btoher, 2011), foi encontrado morto no dia 28 de agosto, aos 19 anos de idade.


Matthew Mindler em O Idiota do Meu Irmão



O jovem ator estava no primeiro ano da Universidade de Millersville, e morava no campus. Na terça feira o ator chegou a ir as aulas, mas saiu do dormitório a noite, e não retornou mais. Ele foi declarado oficialmente desaparecido na quarta-feira. No sábado, seu corpo foi encontrado próximo a Universidade. "É com o coração partido que informo a vocês da morte de Matthew Mindler, de 19 anos, de Hellertown, Pensilvânia, estudante do primeiro ano na Universidade de Millersville. Uma busca estava em andamento por Matthew desde quinta-feira, depois de ele ter sido dado como desaparecido. Matthew foi encontrado morto esta manhã, sábado, 28 de agosto, em Manor Township, perto do campus", informou a instituição de ensino.


A polícia ainda não divulgou a causa da morte do rapaz.

Mindler despontou na Broadway em 2008, atuando no espetáculo Billy Elliott. Ele estreou na tv na série As the World Turns (2009) e atuou no filme Mal e Violência 2: Sofrimento (Bereavement, 2010). Seus outros créditos incluem os curtas Frequency (2013) e Solo (2015) e o telefilme Chad: An American Boy (2016), seu último trabalho como ator.



Matthew Mindler deixando o campus na noite de terça





Leia também: Morreu Henry J. Deutschendorf II, que interpretou o bebê Oscar em Os Caça Fantasmas II, aos 29 anos

Morre o ator Michael Nader, de Dinastia, aos 76 anos de idade



O ator Michael Nader, que interpretou Dex Dexter, o terceiro marido de Alexis Colby (papel de Joan Collins) na série de televisão Dinastia (Dynasty, 1983-1989) faleceu em sua residência, no dia 23 de agosto de 2021. Nader faleceu dez dias após ser diagnosticado com câncer intratável.



Michael Nader e Joan Collins



Sobrinho do ator George Nader, Michael Robert Nader nasceu no Missouri, em 19 de fevereiro de 1945. Aos 6 anos de idade ele foi atropelado por um motorista bêbado, que deixou uma cicatriz visível em seu rosto, acima dos lábios.






Nader foi descoberto aos 16 anos de idade, quando ele e mais dois jovens surfistas foram fotografados para a revista Life, em setembro de 1961. Ele começou a trabalhar como modelo, e estreou no cinema como um surfista em A Praia dos Amores (Beach Party, 1963).

Creditado como Mike Nader, ele faria diversos outros filmes da "Turma da Praia", filmes estrelados por Frankie Avallon e Annette Funicello, como Quanto Mais Músculos Melhor (Muscle Beach Party, 1964), A Praia dos Biquínis (Beach Party, 1964), Folias na Praia (Beach Blanket Bingo, 1965) e Como Rechear Um Biquíni (How to Stuff a Wild Bikini, 1965). Ele também atuou em Festa no Gelo (Ski Party, 1965), espécie de filme da Turma da Praia, só que na neve.




Frankie Avallon, Annette Funicello, Michael Nader e Mary Hughes em Folias na Praia


Na década de 1960 o ator ainda apareceu em filmes como Juventude Desenfreada (For Those Who Think Young, 1964), Três no Sofá (Three on a Couch, 1966) e Não Faça Onda (Don't Make Waves, 1967) e apareceu com regularidade em Gidget (1965-1967), série estrelada pela jovem Sally Field.




Sally Field e Michael Nader em Gidget



Em 1967 ele deixou a carreira de ator, mas voltou a atuar 11 anos depois, quando fez sua primeira novela, As The Wolrd Turns, em 1978. A partir de então, tornaria-se um ator regular na televisão norte-americana, voltando ao cinema como um oficial nazista em Fugindo do Inferno 2: A História Verdadeira (The Great Escape II: The Untold Story, 1988).


Mas foi a partir de 1983, quando ele interpretou o marido da obcecada Joan Collins no grande sucesso de Dinastia (Dynasty, 1983-1989), que ele ganhou bastante popularidade na TV. Seu personagem, Dex Dexter, ficou até a última temporada do programa.



Michael Nader e Joan Collins em Dinastia


Em 1991 o ator fez outra novela, All My Children, desempenhando o papel até 2001. Mas problemas com drogas e álcool fizeram com que os produtores o afastassem, alegando que trariam seu personagem de volta quando ele resolvesse seus problemas. Nader havia sido preso em 1997 por dirigir embriagado e novamente em 2001, por tentar vender cocaína para um policial disfarçado.

Nader foi para a reabilitação, mas a rede ABC nunca o chamou de volta, fazendo com que o ator processasse a emissora alegando que eles nunca tiveram a intenção de recontrata-lo. Após o processo, ele chegou a um acordo com a emissora, e voltou ao programa em 2013, que acabou sendo seu último trabalho como ator.





Michael Nader namorou a atriz Ellen Barber por dez anos, e foi casado com Robin Weiss, com quem teve uma filha. Ele também foi casado com as atrizes Beth Windsor e Jody Lister, com quem viveu os últimos 18 anos de sua vida.










Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram

Morre o ator Eddie Paskey, o Tenente Leslie de Jornada nas Estrelas (Star Trek)


Morreu no dia 17 de agosto o ator Eddie Paskey, que atuou na série clássica Jornada nas Estrelas (Star Trek, 1966-1968). E embora seu papel fosse pequeno, os fãs de Jornada nas Estrelas devem lembrar do ator, que apareceu em 58 dos 79 episódios da série.

Eddie interpretava o Tenente Leslie, e morreu apenas três dias antes de completar 82 anos de idade. Sua morte foi divulgada no blog de Dayton Ward, que pesquisa a história de Jornada nas Estrelas. Eddie Paskey começou a trabalhar na série logo no episódio piloto, mas só recebeu crédito apenas duas vezes, embora tenha tido fala em quatro episódios.





Paskey também foi dublê de William Shatner, e era dublê de mãos de James Doohan, já que ator perdeu um dos dedos.

Eddie Paskey pediu para deixar a série devido a problemas de coluna, que eram agravadas devido ao calor dos refletores do estúdio. Depois de se recuperar do seu problema de saúde, ficou sem contatos em Hollywood, e resolveu se aposentar da vida artística.

Mas em 2004 foi homenageado com uma participação especial na série Star Trek: New Voyages. Seus outros créditos incluem as séries Ben Casey, The Dick Van Dyke Show, The Lucy Show e Missão Impossível (Mission: Impossible).







Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube
Siga também nosso Instagram


Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil