Relembrando o ator Larry Hagman

Larry Hagman ficou eternizado por dois papéis marcantes na televisão, o Major Nelson de Jeannie é um Gênio (I Dream of Jeannie, 1965-1970) e o milionário J.R. Ewing, em Dallas (2012-2013).


Larry Martin Hagman nasceu no Texas em 21 de setembro de 1931. Ele era filho da atriz Mary Martin e de um promotor público. Mas após o divórcio dos pais foi enviado para Los Angeles, para ser criado pela avó. Mas a avó morreu quando ele tinha 12 anos de idade, e então Larry voltou a morar com a mãe.

Martin fez muitos filmes na década de 40, mas ficou mais famosa como uma estrela da Broadway, principalmente pela personificação de Peter Pan, nos palcos.

Mary Martin e Larry Hagman

Influenciado pela mãe, começou a estudar atuação, e estreou nos palcos em 1951, na Inglaterra, quando a mãe fazia uma turnê pelo país. Pouco tempo depois, foi convocado pela Força Aérea norte-americana, e após dar baixa retomou a carreira de ator.

Hagman estreou na televisão em 1951, mas só começou a atuar com mais frequência a partir de 1957. Por muitos anos fez apenas participações em séries de TV, e estreou no cinema em um filme italiano, em 1964. No mesmo ano, fez um pequeno papel no filme O Barco do Desespero (Ensign Pulver, 1964), estrelado pelo ator Robert Walker Jr. Ainda em 1964, atuou em Limite de Segurança (Fail Safe, 1964).

Henry Fonda e Larry Hagman em Limite de Segurança

O estrelato porém só viria no ano seguinte, quando ele derrotou diversos atores para ficar com o papel do Major Anthony Nelson, o amo da Gênia Jeannie, na série Jeannie é um Gênio (I Dream of Jeannie, 1965-1970), uma das mais bem sucedidas na história da televisão mundial.

Jeannie é um Gênio lançou ao mundo os nomes de Larry Hagman, Barbara Eden e Bill Daily, os protagonistas do programa, que ficou no ar até 1970, mas até hoje é reprisado em diversos países do mundo.




Enquanto estrelava Jeannie é Um Gênio, fez um único filme, O Grupo (The Group, 1966), de Sidney Lumet. E retornou ao cinema após o programa ser cancelado, atuando em De Poeta e Louco... Todo Mundo tem um Pouco (Up in the Cellar, 1970).

Mas fez pouco cinema da decada de 70, atuando em filmes como Antonio (1973), no qual contracenou com sua esposa, a modelo Maj Hagman, em seu único trabalho como atriz (eles se casaram em 1954, e ficaram juntos até 2012). Também esteve  no elenco de Harry, o Amigo de Tonto (Harry and Tonto, 1974) e A Águia Pousou (The Eagle Has Landed, 1976).

Na Broadway, estrelou o espetáculo Aplause (1973), ao lado de Lauren Bacall. Mas foi na televisão que Hagman fez mais trabalhos, chegando a estrelar outra série, Os Boas Vidas (The Good Life, 1971-1972), que não teve grande duração.

Larry Hagman e Donna Mills em Os Boas Vidas

Em 1978 Hagman foi convidado para viver J.R. Ewing na lendária série Dallas. Ele ficou no papel até 1991, e foi indicado ao Globo de Ouro quatro vezes pelo papel. Também concorreu a dois prêmios Emmy pelo mesmo personagem.

A morte de J.R. Ewing, e o desfecho de "Quem Matou Jr?" é até hoje um dos maiores marcos da televisão mundial, responsável por uma das maiores audiências da história da TV.

Larry Hagman em Dallas

Em 1978, quando já estava na bem sucedida Dallas, o ator fez uma participação quase imperceptível, de brincadeira, no filme Superman: O Filme (Superman: The Movie, 1978).

Larry Hagman em Superman: O Filme

Barbara Eden, sua antiga colega de Jeannie é Um Gênio, fez uma participação especial nos capítulos finais de Dallas. Hagman, porém, não atuou nos filmes de retorno da série, feitos na mesma época.

Barbara Eden e Larry Hagman em Dallas

Após o fim de Dallas Larry Hagman diminuiu os trabalhos para cuidar da saúde. Após uma vida de bebedeirs (ele começou a beber aos 14 anos de idade), o ator precisou fazer um transplante de fígado. Hagman passou a ser uma espécie de porta-voz de campanhas de doações de órgãos.

Hagman usava um anel feito com cálculos renais que removeu ao longo dos anos.

Na década de 90 ele retomou o papel de J.R. Ewing em alguns telefilmes, e apareceu em filmes como Nixon (1995) e Segredos do Poder (Primary Colors, 1998). Também atuou na série Orleans (1997), onde interpretava um juiz. Hagman usava uma bengala na série, necessária na recuperação de sua saúde, ainda mais debilitada após um acidente de carro.


Hagman fez ainda participações em séries como Os Simpson, e teve um papel regular na série Estética (Nip/Tuck), em 2006. Também atuou em Desperates Housewives, em 2011.

Larry Hagman em Desperates Housewives

Larry Hagman voltou a interpretar J.R. Ewing no retorno de Dallas, entre 2012 e 2013. Muitos episódios foram exibidos após a sua morte, em 23 de novembro de 2012, em consequências de um câncer de garganta.

Pouco antes de morrer, ele reencontrou seus colegas de Jeannie é Um Gênio durante um programa de Larry King.


0 comentários:

Publicar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil