A atriz Evelyn Venable, a garota da Columbia


Os fãs mais atentos de cinema talvez lembrem de alguns papéis da atriz Evelyn Venable, que geralmente interpretou mulheres doces e sensíveis nas décadas de trinta e quarenta. Mas apesar de ter tido alguns destaques, e até mesmo protagonismo, seu nome é pouco conhecido.

Porém, não há cinéfilo que nunca tenha visto o seu rosto, pois Evelyn Venable é a atriz que estampa o logotipo da Columbia Pictures, nos filmes produzidos entre 1936 e 1976. Ela também foi a modelo e dubladora da Fada Azul, em Pinóquio (Pinochio, 1940), um clássico dos Estúdios Disney.

Abertura da Columbia, com Evelyn Venable


Nascida em Cincinnati, Ohio, em 18 de outubro de 1913, Evelyn Venable era filha de professores universitários, e neta do escritor e educador William Henry Venable. Enquanto estava no secundário ela começou a fazer teatro amador na escola, mas seu talento chamou a atenção de críticos teatrais, e ela logo estreou em produções profissionais.


Ainda no colégio, ela ganhou uma bolsa para estudar interpretação na Universidade de Vassar, mas deixou o curso após um ano, para estudar idiomas na Universidade de Cincinnati. Mas o teatro falou mais alto, e a convite do diretor Walter Hampden, um amigo de sua família, ingressou em uma companhia teatral, fazendo papéis importantes, como a Ophelia de Hamlet e a Roxxanne de Cyrano.

Enquanto se apresentava em Los Angeles, recebeu inúmeros convites de estúdios cinematográficos, os quais ela recusou inicialmente. Após muitas recusas, ela enfim assinou com a Paramount, fazendo exigências pouco usuais, mas que foram aceitas pelo estúdio. Em seu contrato, ela exigia não precisar cortar o cabelo, posar para fotos de biquini ou com as pernas de fora e também não fazer papéis pequenos e nem cenas de beijos em seus filmes.

O primeiro filme de Venable foi Filha de Maria (Cradle Song, 1933), primeira adaptação cinematográfica de um texto do espanhol Gregório Martinez Sierra.

Evelyn Venable em Filha de Maria

Ao lado de Will Rogers ela fez seu segundo filme no estúdio, Apostando no Amor (David Harun, 1934). Durante as filmagens, ela conheceu o diretor de fotografia Hal Mohr, com quem se casou em dezembro de 1934. Seu filme seguinte foi Uma Sombra que Passa (Death Takes a Holiday, 1934), onde ela fazia par romântico, sem beijos, com Fredrich March. Este é considerado seu melhor papel no cinema.

Evelyn Venable e Frerich March em Uma Sombra que Passa

Apesar do relativo sucesso, suas restrições contratuais não agradavam a Paramount, que a dispensou após atuar em Um Sorriso Para Todos (Mrs. Wiggs of the Cabagge Patch, 1934). Sem contrato fixo, fez alguns trabalhos em filmes menores. A atriz de começo promissor, acabou relegada a protagonista de filmes de baixo orçamento ou a papéis coadjuvantes.

Na Fox, ela foi a mãe de Shirley Temple em A Mascote do Regimento (The Little Colonel, 1935) e na RKO coadjuvou Katharine Hepburn em Alice Adams - A Mulher Que Soube Amar (Alice Adams, 1935).

Evelyn Venable e Shirley Temple

Evelyn Venable e Katharine Hepburn

Contratada por obra, passou por estúdios pequenos, como a Mascot e a Republic, e em 1936, precisando de dinheiro, aceitou o convite da Columbia para ser a modelo do logo.

Segurando uma tocha, numa posse similar à Estátua da Liberdade, ela posou para o estúdio, tornando-se a garota símbolo da abertura de seus filmes. 

Evelyn Venable, a garota da Columbia

Mas ela não foi a primeira atriz a representar o estúdio. O primeiro logotipo do estúdio vigorou de 1924 a 1928, e não se sabe quem foi sua modelo.

Primeiro logotipo da Columbia

O segundo logo foi usado entre 1928 a 1936. Existe controvérsia de quem seria a atriz desta segunda abertura. Bette Davis afirmava ser a atriz Claudia Dell.

Mas em 1987 a revista People publicou um artigo com a atriz Amelia Batchler, que afirmava ser ela a modelo original. Na entrevista, Batchler, que nunca teve uma grande carreira, afirmou que ganhava 25 dólares por semana e fazia o que os estúdios mandavam (inclusive lavar o chão), e posou para a sessão sem saber que encarnaria a "Torch Lady". Já em 2001 o jornal Chicago Sun-Times publicou uma entrevista com uma senhora de nome Jane Bartholomew, que afirmava ser ela a modelo. Mas ao contrário de Claudia Dell e Amelia Batchler, não existem registros documentados de sua passagem pela Columbia (e nem por outros estúdios).

O segundo logo da Columbia, Amelia Batchler a esquerda, e Claudia Dell a direita

Evelyn Venable foi a terceira "Torch Lady" (a garota da tocha, na tradução), e ganhou 75 dólares pelo trabalho. Sua imagem, colorizada e remasterizada, foi usada até a década de 80. Em 1992 a designer gráfica Jenny Joseph posou novamente para a abertura do estúdio, sendo usada até os dias de hoje (embora um boato diga, erroneamente, que a modelo seja a atriz Annette Benning). De todas as modelos, ela é a única cujas fotos originais e imagens dos bastidores sobreviveram ao tempo (que se tem notícia).

Jenny Joseph, a atual garota da Columbia

Em 1937, satisfeitos com o trabalho de Evelyn Venable, a Columbia a contratou para atuar em um papel de apoio na comédia O Diabo Fez-se Ermitão (Racketeers in Exile, 1937). Mas não lhe ofereceram um contrato fixo. Após atuar em outras produções de baixo orçamento, em estúdios quase desconhecidos, ela foi contratada por Walt Disney para ser a modelo (e dubladora) da Fada Azul em Pinóquio (Pinochio, 1940). Na época, os Estúdios Disney utilizavam a técnica da rotoscopia, que consistia em filmar atores reais, e usar o material filmado como base para os desenhistas.

 Evelyn Venable posando como a Fada Azul


A atriz continuou atuando, mas seus filmes cada vez mais se tornavam inexpressivos. Após atuar em 
A Guerra em Que Se Viu (Uncivl War Birds, 1946) e Marmelada Indigesta (Frigh Nigth, 1947), dois curtas da Columbia estrelados pelos Três Patetas, Evelyn Venable abandonou a carreira de atriz.

Ao todo ela fez 27 filmes, em 14 anos em frente as câmeras. Em seus últimos trabalhos, apesar de ilustrar a abertura dos filmes, ela nem chegou a ser creditada.

Evelyn Venable então retornou a faculdade, e terminou o curso, formando-se em grego e latim. Posteriormente, fez mestrado e doutorado, e passou a dar aulas de grego e latim na Universidade da Califórnia, onde também dava aulas de atuação.

Ainda na década de 40, foi uma das primeiras celebridades a divulgar a dieta vegetariana.

A professora Evelyn Venable

Ela e Hal Mohr permaneceram casados até 1974, quando ele faleceu.  Em entrevistas, ela afirmava ter deixado a carreira para priorizar sua família e a criação de suas duas filhas. "Eu vi tantas famílias de Hollywood se separar por causa da carreira dos pais. Eu nunca me arrependi de ter deixado os filmes, se tenho algum arrependimento é o de ter deixado os palcos. Eu poderia ter sido uma ótima atriz, mas simplesmente não recebi uma boa chance ou treinamento adequado", dizia ela.


Evelyn Venable faleceu em 15 de novembro de 1993, vítima de câncer, aos 80 anos de idade.



Curta nossa página no Facebook

Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil