Por onde anda? Don Murray, de Nunca Fui Santa (1956)


O ator Don Murray ficou famoso ao estrelar Nunca Fui Santa (Bus Stop, 1956), ao lado da atriz Marilyn Monroe. Este foi seu filme de estréia.



Donald Patrick Murray nasceu em 31 de julho de 1929, em Hollywood, Califórnia. Filho de um coreógrafo da Broadway e de uma ex artista do Ziegfeld Follies, Murray foi um atleta na escola, jogando futebol americano, basquete e praticando corrida.

Após formar-se no ensino médio, ingressou na Academia Americana de Artes Dramáticas. Em 1950 ele estreou na televisão norte-americana, atuando em uma peça do programa Studio One (1950). Em 1951 ele estreou na Broadway, interpretando Jack Hunter em na The Rose Tattoo em 1951. 

Marueen Sapleton e Don Murray em The Rose Tattoo

Ir para pesquisa
Após atuar em muitos programas e séries de televisão, o ator interrompeu sua carreira para alistar-se na Guerra da Correia. Mas Murray não lutou nas batalhas, sendo escalado para trabalhos alternativos, ajudando órfão e vítimas de guerra. Ao retornar da Europa, ele estrelou a versão teatral de The Skin of Our Teeth (1954), ao lado da atriz Mary Martin. O diretor Joshua Logan o viu em cena, e o convidou para estrelar Nunca Fui Santa (Bus Stop, 1956), sua estreia no cinema.


Murray interpretava Beauregard "Bo" Decker, um inocente cowboy apaixonado pela cantora Cherie (papel de Monroe). Por este papel, ele foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, e ao Bafta de Melhor Ator Revelação. O filme também lhe valeu um casamento com sua colega de elenco, Hope Lange, com quem ficou casado até 1961. Eles tiveram dois filhos, Christopher e Patricia Murray, ambos também atores.

Com Hope Lange

Em seguida ele estrelou Despedida de Solteiro (The Bachelor Party, 1957) e depois foi escalado para Cárcere Sem Grades (A Hatful of Rain, 1957). O diretor Fred Zinnemann queria que ele interpretasse o personagem cômico, irmão do protagonista, mas Murray insistiu em ficar com o papel principal de Johnny Pope, um veterano da Guerra da Coréia viciado em Morfina. O filme é considerado um dos seus melhores papéis, e um dos primeiros a mostrar os efeitos do abuso de drogas sobre viciados e sua família.

Com Eva Marie Saint em Cárcere Sem Grades

Em Tempestade Sobre Washington (Advise & Consent 1962), filme dirigido por Otto Preminger, interpretou um senador chantageado. Com Steve McQueen e Lee Remick co-estrelou O Gênio do Mal (Baby the Rain Must Fall, 1965).

Don Murray, Steve McQueen e Lee Remick em O Gênio do Mal

Ele ainda destacou-se em filmes como Caçada Humana (From Hell to Texas, 1958), De Mãos Dadas com o Diabo (Shake Hands With the Devil, 1959), Fama a Qualquer Preço (These Thousand Hilla, 1959), A Senda do Ódio (Onde Foot in Hell, 1960), Almas Redimidas (The Hoodlum Priest, 1961) e O Túnel 28 (Escape from East Berlin, 1962).

 A partir do final da década de 60 passou a atuar mais na televisão. Ele estrelou a série Os Violentos (The Outcasts, 1968-1969). Também atuou na série Os Novos Centuriões (Police Story, 1973-1975) e How the West Was Won (1976-1977).

Neste período atuou pouco no cinema, destacando-se como o governador Breck em A Conquista do Planeta dos Macacos (Conquest of the Planet of the Apes, 1972) e estrelou Herói Mortal (Deadly Hero, 1975). Também aventurou-se na direção, dirigindo A Cruz e a Navalha (The Cross and the Switchblade, 1970), estrelado por Pat Boone e Erik Strada; e Damien's Island (1976).

Com Roddy McDowall e Hari Rhodes em A Conquista do Planeta dos Macacos

Em 1979 ingressou na novela Knots Landing, permanecendo até 1982. Murray decidiu deixar a trama após não chegar em um acordo de uma negociação salarial. Sua personagem então caiu em um penhasco, gerando muita revolta entre os fãs. 

Na década de 80 continuou priorizando a televisão, mas apareceu em filmes como Viagem Radioativa (Radioactive Dreams, 1985) e Peggy Sue, Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got a Married, 1986).

Barbara Harris, Kathleen Turner e Don Murray em Peggy Sue, Seu Passado a Espera

Don Murray continuou atuando, com pouco destaque, nos anos seguintes. Em 2001 retornou a direção em Elvis is Alive (2001), onde também atuou. Por muito tempo, foi seu último trabalho artístico, até retornar as telas atuando na série Twin Peaks (2017), onde interpretou Bushnell Mullins.

Em Twin Peaks


Leia também: O galã Bradford Dillman

Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil