Curt Lowens, o ator que salvou crianças do Holocausto



Apesar de seu nome contar em 125 créditos entre filmes e séries de televisão, Curt Lowens é quase desconhecido entre os cinéfilos. O ator entretanto, tem uma história de vida que supera a sua carreira cinematográfica.


Curt Löwenstein nasceu na extinta Prússia, em 17 de novembro de 1925. De família judia, migrou para os Estados Unidos com a família em 1947, após o termino da Segunda Guerra. Em Nova York estudou arte dramática no Herbert Berghof Studio. Em 1959 estreou na televisão, em um teleteatro estrelado por Jessica Tandy.

Com Eleonora Brown em Duas Mulheres
Após uma breve passagem pela televisão norte-americana, retornou à Europa, onde fez sua estréia cinematográfica no filme Duas Mulheres (La Ciociara, 1960), que deu o Oscar de Melhor Atriz para Sophia Loren. Em seguida, foi um dos frades no filme São Francisco de Assis (Francis of Assisi, 1961), filme dirigido por Michael Curtiz, na Itália.

A Face do Monstro (Lycanthropus, 1961), uma produção austro-italiana, foi o único filme em que exerceu um dos papéis principais, ao lado de Barbara Lass (primeira esposa de Roman Polanski) e Carl Schell (o irmão menos famoso de Maria e Maximillian Schell). 

Na Europa ainda teve pequenos papéis em filmes como Barrabás (Barabbas, 1961), 4 Dias de Rebelião (Le Quatrro Giornate di Napoli, 1962), Vênus Imperial (Venere Imperiale, 1962) e Il Processo di Verona (1963). Em seguida, retornou aos EUA, voltando a figurar em séries de TV.


No cinema fez pequenos papéis, geralmente não creditado, em filmes como Cortina Rasgada (Torn Curtain, 1967), Tobruk (Idem, 1967), Balada Para Satã (The Mephisto Waltz, 1971), O Enigma do Mal (The Entity, 1982) e Sou ou Não Sou? (To Be or Not to Be?, 1983). Entre seus últimos papéis estão o do Cardeal Ebner em Anjos e Demônios (Angels & Demons, 2009) e o avô Arnie na comédia Ela Me Quer (She Wants Me, 2012).

Em Anjos e Demônios


Com Wayne Knight, Ellen Albertini Dow, Curt Lowens, Debra Jo Rupp, Josh Gad, e Ida Darvish em Ela Me Quer
Em Mash, em 1967


Mas Curt Lowens foi muito mais do que um ator que figurou em filmes e séries. Filho de um importante advogado judeu, ele viu a carreira de seu pai e o patrimônio de sua família desaparecer quando seu país natal foi invadido por pela Alemanha Nazista. Eles mudaram para Berlim, acreditando que estariam mais protegidos em meio a comunidade judaica da cidade.

Quando a situação se agravou, tentaram fugir através da Holanda que ainda era neutra, mas o país foi ocupado no dia que iriam partir. Curt e a família foram enviados para Auschwitz, mas seu pai usou sua influência (e o resto de seu dinheiro) para libertar a família, que passou a usar documentos de identidades falsos.



Sua mãe não resistiu, e veio a falecer em 1944. Usando o nome de Ben Joosten, juntou-se a resistência holandesa. Com Hanna van der Voort e Nico Dohmen criou uma rede de resgatadores. Eles se aproximavam dos campos de concentração a noite, e enquanto um grupo fazia barulho para distrair os guardas, outro se aproximava das cercas e retirava quantas crianças fosse possível neste pequeno intervalo de tempo. Não se sabe ao cerco o número de vidas resgatadas pelos três, mas passam de 150 crianças, que eram encaminhadas, com documentos falsos, para famílias que as acolhiam. Todas as crianças resgatadas por Lowens sobreviveram à Guerra. Ele também ajudou a esconder dois pilotos norte-americanos, e por isto foi condecorado pelo presidente Dwight D. Eisenhower.

Em 2012 em frente ao Memorial do Holocausto


Com o fim da guerra, ajudou os exército britânico trabalhado com intérprete das vítimas resgatadas dos campos de concentração. Em 1947 mudou-se para a América, onde tornou-se ator. Curt Lowens faleceu em 08 de maio de 2017, aos 91 anos.




Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

0 comentários:

Enviar um comentário

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil