Robert Clary, de Guerra, Sombra e Água Fresca, o ator que sobreviveu ao Holocausto


Robert Clary é mais lembrado por interpretar o Cabo LeBeau na série de televisão Guerra, Sombra e Água Fresca (Hogan's Heroes, 1965-1971), um programa cômica sobre um campo de prisioneiros durante a Segunda Guerra Mundial. Ele interpretava um soldado francês, prisioneiro do exército nazista.

Mas poucos sabem que Clary, que é judeu, é um sobrevivente do terror dos campos de concentrações, onde praticamente todos os membros de sua família foram assassinados.

Larry Hovis e Robert Clary em Guerra, Sombra e Água Fresca

Robert Max Widerman, seu nome verdadeiro, nasceu em Paris, em 01 de março de 1926. Clary estudou desenho e aos doze anos, começou a cantar em uma rádio francesa. Ele logo se tornou uma estrela mirim, mas aproveitou pouco a fama.

Em 1942, aos 16 anos de idade, ele foi enviado para um campo de concentração na Polônia, junto com seus pais. No antebraço esquerdo, foi marcado com o número A5714. Pouco tempo depois, foi separado dos pais e dos treze irmãos, ao ser enviado para o campo de concentração de Buchenwald.

Buchenwald foi um campo de concentração modelo, feito para disfarçar as atrocidades do Holocausto. Ele chegou a ser vistoriado, como forma de mostrar como os judeus eram bem tratados. Muitos artistas e celebridades foram enviados para lá, para promoverem shows e espetáculos durante as vistorias.

Aos domingos, acompanhado de um acordeonista, ele era obrigado a cantar para entreter os soldados nazistas. Muitos dos artistas de Bunchewald posteriormente também foram executados, mas Clary foi um dos que conseguiu sobreviver.

Sobre os anos em que foi prisioneiro, ele escreveu em sua autobiografia: "Toda a experiência foi um pesadelo completo, a maneira como eles nos tratavam, o que tínhamos que fazer para sobreviver. Éramos menos que animais. Às vezes sonho com esses dias. Acordo com um suor aterrorizado por medo de ser mandado para um campo de concentração, mas não guardo rancor porque é uma grande perda de tempo. Sim, há algo escuro na alma humana. Na maioria das vezes, os seres humanos não são muito agradáveis. É por isso que quando você encontra aqueles que são, você os valoriza."

Em 11 de abril de 1945 ele foi libertado pelas tropas soviéticas. Posteriormente ele descobriu que seus pais e dez de seus irmãos haviam sido executados nas câmaras de gás em Auschwitz. Dos seus treze irmãos, apenas três haviam sobrevivido.

Após a Guerra, ele voltou a cantar, e em 1948 gravou seus primeiros discos. Um soldado norte-americano levou um disco para os Estados Unidos, e o francês acabou sendo descoberto pelas rádios norte-americanas.


Estrela em seu país, ele foi para os Estados Unidos em 1949, fazer uma turnê, como cantor. Ele apareceu no programa de televisão The Ed Wynn Show naquele ano. O sucesso nos EUA estendeu sua viagem por meses, depois por anos. 



Logo ele foi contratado para trabalhar na Broadway, onde além de cantor, pode demonstrar suas habilidades cômicas e em 1951 estreou no cinema, atuando em Homens do Deserto (Ten Tall Men, 1951), estrelado por Burt Lancaster.

Era um papel pequeno, mas no ano seguinte, interpretou Aladin em A Princesa de Damasco (Thief of Damascus, 1952).


Robert Clary, o primeiro a direita, em A Princesa de Damasco

Em 1952 ele atuou em New Faces, um espetáculo da Broadway que fez muito sucesso. A peça foi filmada, e lançada nos cinemas com o nome de New Faces (1954) e era estrelada pela cantora e atriz Eartha Kitt. Na Broadway, ele conheceu Eddie Cantor, que se tornou um grande incentivador de sua carreira. Em 1965 Clary casou-se com Natalie Cantor, a filha de Eddie. Eles ficaram juntos até a morte dela, em 1997.

Robert Clary e Eartha Kitt

Na década de 50 ele atuou muito no teatro e televisão, mas não fez mais filmes. Ele só retornou ao cinema em 1963, em Amor Daquele Jeito (a New Kind of Love), estrelado por Paul Newman e Joanne Woodward.

Robert Clary e Joanne Woodward em Amor Daquele Jeito

Ao longo de sua carreira, ele fez poucos filmes, trabalhando mais na televisão. E foi na televisão que ele fez seu papel mais famoso, o cabo francês LeBeau em  Guerra, Sombra e Água Fresca (Hogan's Heroes, 1965-1971).
No primeiro ano da série, entretanto, ele não estava contente com seu papel, e pediu para ser desligado. Mas os produtores o convenceram a ficar, e deram um papel maior para ele, além de permitir que ele cantasse em diversos episódios.

Clary foi criticado por interpretar uma comédia sobre um campo de prisioneiros. Em sua defesa, ele declarou que era um Stalag e não um campo de concentração. Stalag eram campos para prisioneiros militares, e Clary, sem desmerecer os soldados prisioneiros, afirmou que a situação deles era muito mais tranquila que os campos de extermínio. Além disto, o papel permitia a ele interpretar um membro da resistência contra o nazismo.

Werner Kemplerer, o Coronel Klink, também era judeu. Nascido na Alemanha, ele e sua família fugiram do Holocausto, migrando para os Estados Unidos, em 1935. Clary e Kemplerer foram grandes amigos, até a morte do ator, em 2000.

Do elenco, os atores John Banner e Leon Askin também foram afetados pelo Holocausto. Banner, o Sargento Schultz, era judeu austríaco, e foi um popular ator teatral em seu país. Em 1938, após Hilter anexar a Austria à Alemanha, conseguiu fugir para os Estados Unidos.

Askin, o General Burkhalter, também era judeu austríaco, e outro grande nome do teatro em seu país. Em 1940 ele foi preso e torturado, mas conseguiu fugir, migrando também para os Estados Unidos. Seus pais foram mortos no campo de concentração de Treblinka. As cicatrizes no rosto do ator são marcas deixadas pelos soldados nazistas.

Leon Askin e Werner Klemperer

Robert Clary, Bob Crane e Werner Klemperer em Guerra, Sombra e Água Fresca

Robert Clary e Kenneth Washington são os últimos integrantes de Guerra, Sombra e Água Fresca ainda vivos, sendo que Washington entrou apenas na última temporada.

Bob Crane, Robert Clary e Kenneth Washington

Após a série ser cancelada, Robert Clary atuou pouco, fazendo participações em séries de televisão. Ele foi do elenco regular da novela Days Of Your Lives, em 1987.

No cinema, ainda interpretou Joseph Spah, em O Dirigível Hindenburg (The Hinderburg, 1975). Spah é um personagem real, e era ator (seu nome artístico era Ben Dova). Ele foi acusado de ter sabotado o dirigível alemão, sendo inocentando após um julgamento. Leia mais sobre ele aqui.

Robert Clary em  O Dirigível Hindenburg

Seu último longa metragem foi Lembranças de Um Amor (Remembrance of Love, 1982), que mostrava o reencontro de sobreviventes do Holocausto, muitos anos depois.


Em 2001, após narrar um curta-metragem, o ator se aposentou das telas. Ele escreveu suas memórias, e passou a viajar o mundo, contando suas experiências nos campos de concentração. Ele também voltou a pintar, retomando os estudos feitos no começo de sua carreira.



Robert Clary, atualmente



Curta nossa página no Facebook
Se inscreva no nosso canal do Youtube

1 comentário:

  1. O Werner Klemperer inclusive foi o primeiro garoto propaganda da Volkswagen, estrelando um dos primeiros comerciais de televisão do Fusca.

    ResponderEliminar

Se inscreva no nosso canal no Youtube

Postagem em destaque

A viagem de Clark Gable ao Brasil